Siga-nos

10+

Os carros mais vitoriosos da Ferrari na F1

No dia em que a Ferrari apresenta ao mundo o carro com o qual vai disputar a temporada 2020 e chegar ao 1000º GP na história na F1, o GRANDE PREMIUM lista os dez modelos mais vitoriosos da escuderia de Maranello no Mundial

A Ferrari é a grande protagonista do noticiário da F1 nesta terça-feira (11). Afinal, a escuderia de Maranello vai apresentar ao mundo o carro com o qual vai disputar a temporada 2020 do Mundial de F1. O evento, diferente dos últimos anos, não vai ser na cidadezinha de cerca de 10 mil habitantes, mas sim no Teatro Municipal de Reggio Emilia. Se vai dar sorte ou não, só o tempo vai dizer.

O carro da Ferrari para 2020 nasce histórico porque vai ser o modelo com o qual a equipe italiana vai chegar a 1000 GPs em sua história no Mundial. A maior missão para a temporada deste ano será tornar o novo carro capaz de lutar de igual para igual com a Mercedes e buscar a quebra de um jejum de títulos que dura mais de dez anos.

A seguir, o GRANDE PREMIUM traz uma lista dos dez carros mais vitoriosos da história da Ferrari na F1. Há ampla presença de modelos fabricados no início dos anos 2000, época em que Michael Schumacher demoliu todos os recordes da F1 e ajudou a escuderia de Maranello a estabelecer uma dinastia vermelha no esporte.

Mas há modelos que fizeram muita história em tempos distintos no esporte. Como, por exemplo, no início dos anos 1950, quando a F1 ainda engatinhava e a Ferrari dava início ao primeiro domínio no Mundial.

Em contrapartida, os triunfos rarearam na década passada, mesmo o maior orçamento do grid e com amplo investimento ao trazer dois dos principais pilotos dos últimos anos na F1: Fernando Alonso e Sebastian Vettel.

(Fotos: Ferrari e LAT Photographic/Forix)

312T2 – 1976 a 1978: 8 vitórias
 

Concebido para ser uma grande evolução da vitoriosa 312T, a segunda versão do carro trouxe mudanças importantes para se adaptar ao regulamento, mas preservando a base do modelo que ajudou Niki Lauda a faturar o título de 1975.

O 312T2 foi o carro com o qual Lauda sofreu o gravíssimo acidente que quase o matou em Nürburgring, em 1976. Ainda assim, a temporada valeu à Ferrari a conquista do Mundial de Construtores. No ano seguinte, com a especificação B da 312T2 voltou a comemorar o título mundial.

Lauda, aliás, venceu seis vezes com a 312T2, enquanto Carlos Reutemann triunfou outras duas, sendo a última no GP do Brasil de 1978, em Jacarepaguá, antes de o carro dar lugar para o 312T3.

F2008: 8 vitórias
 

De alguma forma, a F2008 pode ser considerado um carro histórico para a Ferrari. Foi em 2008 o último ano em que a equipe teve a chance de comemorar um título na F1, o do Mundial de Construtores. Naquela temporada, Felipe Massa lutou até o fim para levar a taça do Mundial de Pilotos, que foi conquistada por Lewis Hamilton.

Massa, aliás, foi o grande protagonista da Ferrari em 2008 ao vencer seis corridas, enquanto Kimi Räikkönen, que foi o último piloto campeão pela escuderia, na temporada passada, venceu somente duas provas.

312T – 1975 e 1976: 9 vitórias
 

A escuderia italiana fez as primeiras corridas da temporada 1975 com a 312B3-74. Lauda alcançou a primeira vitória do novo carro na sua terceira corrida, o GP de Mônaco, liderando praticamente de ponta a ponta.

Lauda, aliás, estabeleceu uma campanha soberba com a 312T ao triunfar cinco vezes em 1975, marca que o ajudou a vencer o título daquela temporada. Clay Regazzoni também faturou uma vitória no campeonato.

A Ferrari abriu 1976 com a 312T. Lauda venceu mais duas vezes, no Brasil e na África do Sul, enquanto Regazzoni encerrou a trajetória vitoriosa do carro em Long Beach. A partir de então, a equipe de Maranello levou à pista a nova 312T2.
(Ferrari 312T (Foto: LAT Photographic/Forix))

248 F1: 9 vitórias
 

Projetado por Aldo Costa e Rory Byrne, o 248 F1 foi a primeira Ferrari a ser guiada por Felipe Massa no Mundial de F1 e, consequentemente, o carro das suas primeiras vitórias na categoria, em 2006.

A 248 F1 também é um carro histórico porque foi a bordo do modelo que Michael Schumacher alcançou a 91ª e última vitória da sua carreira. No total, o heptacampeão alcançou sete triunfos com o carro, enquanto Felipe Massa venceu os GPs da Turquia e do Brasil, subindo pela primeira vez ao topo do pódio em casa.
( )

F2007: 9 vitórias
 

O carro do último título da Ferrari no Mundial de Pilotos não poderia ficar fora desta lista. Afinal, foi com a F2007 que a escuderia de Maranello teve a chance de voltar ao topo do esporte com o piloto que fora contratado para ser o substituto de Michael Schumacher: Kimi Räikkönen.

O finlandês, aliás, faturou nada menos que seis das nove vitórias do modelo naquela temporada, inclusive o GP do Brasil que lhe valeu o título mundial.

Felipe Massa alcançou outras três vitórias com o carro equipado por motor V8 e calçado com pneus Bridgestone. A F2007 também foi o último modelo da Ferrari que levou a marca da Marlboro, vetada por conta da legislação antitabagista na Europa.
( )

F1-2000: 10 vitórias
 

2000 representou o início de um dos ciclos mais vitoriosos de uma equipe no Mundial de F1. Depois de ‘bater na trave’ em 1999, a Ferrari decidiu dispensar Eddie Irvine para contratar o jovem-sensação Rubens Barrichello. Mas a estrela continuava sendo Michael Schumacher, que era o homem escolhido para a equipe quebrar o jejum de títulos que já durava 18 anos.

Logo na primeira corrida, o GP da Austrália, a F1-2000, projetada por Rory Byrne, alcançou sua primeira vitória, com Schumacher. O alemão triunfou outras oito vezes antes de faturar o tri e levar a Ferrari novamente à glória na F1.

A F1-2000 também foi um carro marcante para Barrichello, que venceu pela primeira vez na carreira no GP da Alemanha.
 

F2001: 10 vitórias
 

A dinastia vermelha teve sequência na temporada 2001 com outras dez vitórias. Todas conquistadas por Michael Schumacher, que empreendeu uma sólida e tranquila campanha rumo ao tetracampeonato.

Projetada novamente por Rory Byrne, a F2001 foi desenhada com base nas mudanças de regulamento técnico. Mas nada que abalasse o domínio da Ferrari, que seguia em curso naquele início de século XXI.

500 – 1952 a 1953: 14 vitórias
 

Quando se fala em dinastia, é impossível não mencionar o primeiro grande domínio exercido por uma equipe na F1. Entre 1952 e 1953, a Ferrari venceu nada menos que 14 vezes, sendo derrotada em apenas uma prova, pela Maserati. Deste total, não entram na conta as edições das 500 Milhas de Indianápolis, que faziam parte do Mundial de F1, mas só contavam com equipes dos Estados Unidos.

A Ferrari 500 foi a protagonista daquele período que coroou Alberto Ascari como o primeiro bicampeão mundial de F1. 

A primeira vitória da 500 ficou com Piero Taruffi, no GP da Suíça de 1952. Alberto Ascari venceu 11 vezes, enquanto Mike Hawthorn e Giuseppe Farina completaram a série vitoriosa.

F2002: 15 vitórias
 

A F2002 venceu 15 vezes em 19 GPs, sendo a maioria em 2002 e uma delas em 2003. Desenvolvido por Rory Byrne e com a supervisão do diretor-técnico Ross Brawn, o modelo foi responsável por algumas das maiores glórias de Schumacher na F1.

Mas a F2002 também foi o carro do maior vexame da Ferrari. Não por culpa do carro, mas pela decisão de Jean Todt em razão da famigerada ordem de equipe para Rubens Barrichello deixar Schumacher passar no fim do GP da Áustria. Outra decisão, não menos polêmica e controversa, fez o alemão ‘devolver’ a vitória ao brasileiro em Indianápolis.

Schumacher alcançou 11 triunfos e o pentacampeonato mundial de F1, enquanto Barrichello viveu sua temporada mais vitoriosa, com quatro GPs no topo do pódio.

F2004: 15 vitórias
 

Projetada por Rory Byrne, Aldo Costa e com a supervisão de Ross Brawn, a F2004 conseguiu ser tão eficiente e vitoriosa quanto a F2002. Schumacher faturou seu sétimo título mundial com enorme facilidade, com nada menos que 13 vitórias.

O carro também levou Barrichello às suas duas últimas vitórias com a Ferrari, nos GPs da Itália e da China.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect