Siga-nos

10+

Melhores pilotos da Fórmula 1 2020

O GRANDE PREMIUM traz os dez melhores pilotos da temporada de acordo com as médias atribuídas ao longo do ano pelo Ranking GP

Lewis Hamilton, hepta, GP da Turquia 2020,
O ano de Lewis (Foto: Reprodução/Twitter/@F1)

Com a temporada 2020 da Fórmula 1 encerrada oficialmente, é hora de fazer o debrief: entender e reconhecer o que passou e, evidentemente, tirar disso as análises cabíveis. Aqui, neste 10+ de hoje, faremos algo assim: é hora de destacar os dez melhores pilotos da temporada.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Confira todas as edições da temporada 2020 do Ranking GP.

Mas não se trata apenas da opinião de um escriba, compactando a temporada inteira apenas pelos momentos de sucesso ou pelas últimas semanas. Não. O método utilizado será a distribuição das notas do Ranking GP ao longo do ano. Não há opinião para definir a classificação: há as médias das notas atribuídas ao longo das 17 etapas. É verdade que a edição do ranking para o GP de Abu Dhabi ainda não saiu, mas trazemos informações privilegiadas (acompanhem amanhã).

Então, leitor, como você pode bem notar, trata-se de metodologia científica e, assim, 100% correta. Perceba não há como haver erros… Não é?

Vamos ao top-10 de 2020 no Mundial de Fórmula 1.

CHARLES LECLERC; FERRARI; 2019; GP DA BÉLGICA;
Charles Leclerc foi o 10º colocado (Foto: Ferrari)

10) Charles Leclerc – 6.2

A primeira surpresa já encabeça a lista: Leclerc apenas na décima colocação. Uma coisa que o leitor precisa entender é que quando você passa um ano de quase duas dezenas de etapas distribuindo notas, a média final vai te surpreender em alguns casos. Não há como fugir dessa dura realidade.

Mas destaquemos a temporada de Leclerc. Consistentemente à frente do companheiro tetracampeão, Leclerc tirou mais da Ferrari não apenas que Vettel, mas às vezes mais até do que os italianos pareciam ter a oferecer. Terminou com o oitavo lugar do Mundial de Pilotos e dois pódios, embora conseguidos nas primeiras quatro corridas do ano.

Esteban Ocon foi o nono (Foto: Renault)

9) Esteban Ocon – 6.4

O nono colocado também pode surpreender alguns leitores. Mas veja bem: Ocon raramente cometeu erros durante 2020. Sim, é verdade, o francês foi quase sempre mais lento que o companheiro, só que a falta de grandes equívocos rendeu notas medianas por praticamente todo o ano.

Pincele o ano sempre na média com algumas exibições fortes: na Estíria, onde o abandono forçado não apaga grande classificação na chuva, na Bélgica, batendo Ricciardo em Portugal ou o pódio de Sakhir. No fim, a média fica acima do esperado para o 12º colocado no campeonato. Acabou caindo entre os melhores pilotos.

Lando Norris terminou em oitavo (Foto: McLaren)

8) Lando Norris – 6.6

A partir de agora, a lista dos melhores pilotos começa a ser normalizada. Norris foi o melhor piloto do campeonato se levadas em conta somente as duas primeiras corridas do ano. Foi o grande nome na rodada dupla da Áustria. Depois disso, a temporada foi mediana. Os problemas sequências numa sequência de meio de temporada diminuíram os pontos apontados que somou.

De qualquer forma, mesmo admitindo que Sainz seguiu sendo o melhor piloto da McLaren, é inegável que Lando deu um salto de seu primeiro para o segundo ano. Neste 2020, Sainz foi realmente desafiado. Norris precisa amadurecer um pouco mais do ponto de vista da consistência, mas está no caminho certo.

McLaren, GP de Abu Dhabi 2020, Carlos Sainz Jr,
Carlos Sainz ficou com o sétimo lugar na lista (Foto: Twitter/McLaren)

7) Carlos Sainz – 6.7

Falando nele… Sainz teve o começo de temporada comprometido por erros da McLaren nos pit-stops, mas respondeu a tudo isso de maneira honorável. De partida para a Ferrari, não há dúvidas de que Sainz deixou a marca dele na tradicional equipe inglesa.

Apesar do bom ano que viveu, Sainz desta vez teve uma comparação bastante mais próxima a seu companheiro. Mas é justo questionar se teve contribuição na evolução de Norris, entre o ano de novato e o segundo. Pela relação próxima dos dois, é justo acreditar que sim. Os dois deixam a McLaren no terceiro lugar do Mundial de Construtores.

Daniel Ricciardo, Renault,
O sexto lugar é Ricciardo (Foto: Reprodução/Twitter/@RenaultF1Team)

6) Daniel Ricciardo – 6.8

Sem Sainz, a McLaren terá Ricciardo, agora fora da Renault. Assim como no caso retratado acima, os dois anos do australiano na equipe francesa deixaram marca indelével. Com ele, a Renault voltou ao pódio e se tornou um incômodo real para as rivais que brigam lá em cima, em alguns momentos.

Depois de um 2019 apagado, Ricciardo sai de cena mostrando exatamente o piloto pelo qual a Renault pagou com a intenção de tirar da Red Bull. É óbvio que, talvez pela primeira vez desde 2016, a fábrica francesa se vê nos trilhos e não com um profundo poço de aflições. A única pergunta que fica é: e a tatuagem da chefia?

Pierre Gasly ficou com a quinta colocação (Foto: AlphaTauri)

5) Pierre Gasly – 7.1

Sim, Gasly fechou 2020 com o décimo lugar do Mundial: na frente de um piloto da Racing Point, um da Renault e um da Ferrari. A temporada do francês foi absolutamente exuberante, tirando tudo que a AlphaTauri tinha a entregar e muito mais. Uma grande história de redenção que se desenha desde que foi rebaixado da Red Bull no ano passado.

A vitória memorável no GP da Itália foi o ponto mais alto, mais cintilante, num ano em que o mundo do esporte a motor abriu, enfim, os olhos para o francês de 24 anos. O futuro de Pierre é brilhante.

Sergio Pérez, Racing Point, GP de Sakhir 2020,
Pérez no top-3 (Foto: Reprodução/Twitter/@RacingPoint)

3) Sergio Pérez e Nico Hülkenberg – 7.3

Não há um quarto lugar na lista, porque dois pilotos estão empatados na terceira colocação. Avaliar a temporada dos dois é ver uma disparidade enorme em absolutamente tudo, mas média é média, amigos.

Primeiro, Hülkenberg. O alemão disputou três fins de semana do ano, mas largou para somente duas das 17 corridas. Tudo isso com a mesma Racing Point – duas na vaga de Pérez e uma na de Stroll, quando ambos testaram positivo para o novo coronavírus. Hülkenberg deu azar para não largar no GP da Inglaterra e marcou dez pontos em duas provas. O desempenho não foi nada mal para quem estava sempre em outros países no momento em que foi chamado para se apresentar em algumas horas.

Já para Pérez, a situação é diferente. Depois que voltou do diagnóstico de positivo para a Covid-19 que fez o mundo inteiro questionar os protocolos da Fórmula 1, o mexicano fez um ano exemplar. Os esforços culminaram na vitória, a primeira da carreira, no GP de Sakhir. Antes disso, um pódio na Turquia e teria outro pódio, no Bahrein, não fosse a traição do motor Mercedes. Seriam, aí, três pódios consecutivos.

O melhor ano da carreira pode render a Pérez uma chance que não se achava ser possível novamente: a de defender uma grande equipe. É claro que não estava pronto quando passou na McLaren, em 2013, mas agora a situação é bem diferente e a Red Bull é a oportunidade da vida.

Max Verstappen é o segundo colocado (Foto: AFP)

2) Max Verstappen – 7.5

Mesmo com um carro visivelmente pior e com os problemas de confiabilidade com que a Red Bull brindou seu principal piloto ao longo do ano, Verstappen teve a mesma quantidade de pódios que Valtteri Bottas ao longo do ano: 11. Resta alguma dúvida de que Verstappen é um piloto no alto de seus poderes e bastante à frente de quase todos os demais?

Desde que Ricciardo deixou a Red Bull, Max atingiu a maturidade enquanto piloto. Deixe de lado as reclamações e as bobagens que diz fora das pistas, mas dentro do cockpit e com o pé no acelerador, Verstappen não é mais um piloto que vai ou racha. A consistência que apresenta é impressionante e cada vez maior, tudo casado ao brilhantismo que segue ali. A vaga dele entre os melhores pilotos é cativa.

Lewis Hamilton foi o primeiro! (Foto: Mercedes)

1) Lewis Hamilton – 8.5

Falando em vagas cativas entre os melhores pilotos… Em 2020, Hamilton venceu 11 corridas, tornou-se o maior campeão e o maior vencedor de GPs da história da Fórmula 1, completou vitória com três pneus e reafirmou o domínio histórico. Sequer há muita coisa nova a dizer sobre Lewis Hamilton. Por isso, será o único piloto desta lista com apenas um parágrafo destacado para si: é o maior de 2020 e de todos os tempos.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect