Siga-nos

10+

Os candidatos ao título

A Stock Car conseguiu o que queria: vai para sua decisão de 2020 em Interlagos completamente imprevisível. São 11 candidatos ao título, que mostramos neste 10+ (ou 11+, na verdade!)

Quem vai ficar com o troféu da Stock Car 2020? (Foto: Duda Bairros/Vicar)

A Stock Car mudou o regulamento, adicionou lastro, descartou provas, criou rodadas triplas, duas etapas no mesmo final de semana, adicionou a Toyota, manteve a Chevrolet… Tentou, basicamente, de tudo para que, quando chegasse a hora da final de 2020, a temporada tivesse um campeão imprevisível.

E conseguiu: no dia 13 de dezembro, nada menos do que 11 pilotos vão para a pista de Interlagos com chances reais (ou, ao menos, matemáticas) de título. Incríveis três dependem só de si, tamanha a igualdade no topo da classificação.

São estes 11 que apresentamos abaixo, explicando como cada um chegou até a final com a oportunidade de sair com a taça após a última bandeira quadriculada de 2020.

Thiago Camilo – 238 pontos

Thiago Camilo (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Em busca de seu primeiro título, Camilo chega pelo segundo ano seguido como o piloto com mais vitórias, com três, e poles, com quatro. Seu início de campeonato foi devagar, só vencendo a primeira na sétima prova. Mas, depois, nem o uso constante de lastro diminuiu seu ritmo.

Daniel Serra – 237 pontos

Daniel Serra (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Em 2019, Serra foi campeão com só uma vitória no campeonato. Em 2020, ele pode repetir o feito. O atual tri vai para a final só um ponto atrás de Camilo, e isso com recuperação incrível: também demorou a vencer, só na nona etapa (e corrida 2), não tem poles, era o 12° colocado há quatro etapas… E agora só depende de si próprio pelo tetra.

Ricardo Maurício – 231 pontos

Ricardo Maurício (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Maurício é o terceiro que só depende de si: se vencer em Interlagos, é campeão. Sua campanha foi mais regular que a dos dois acima: todos seus descartes são com pontuação, sem nenhum abandono, e tem duas vitórias. Mas isso significou descartar 11 pontos, conta cinco dos rivais.

Ricardo Zonta – 226 pontos

Ricardo Zonta (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Zonta foi o primeiro a vencer, o primeiro a vencer duas, levou a Corrida do Milhão… Mas do meio para o fim da temporada, com o lastro, o desempenho caiu. Ele, que constantemente foi, ao menos, vice-líder, caiu para quarto e já não depende mais só de si.

Gabriel Casagrande – 224 pontos

Stock Car 2020 – 11ª etapa – Goiânia-GO

Casagrande chegou a declarar que era muito difícil entrar na briga pelo título, mas vai para a final em sua melhor posição no campeonato. Todos seus descartes foram em abandonos na primeira metade do calendário, e na segunda não só venceu, como só pontuou em dígito único apenas uma vez.

Rubens Barrichello – 224 pontos

Rubens Barrichello (Foto: Luís França/Vicar)

Empatado com Casagrande, Barrichello vai para a final em situação pior do que duas curvas antes da bandeirada da penúltima etapa. Até ali, ele estava vencendo a corrida 2 e garantindo vários pontos a mais. Mas sofreu pane seca, caiu para terceiro e, agora, precisa vencer e contar que a sorte mude de lado.

Cesar Ramos – 203 pontos

Cesar Ramos (Foto: Luís França/Vicar)

Ramos liderou o campeonato por diversas etapas, mas despencou para sétimo logo na hora decisiva. Curiosamente, é o único que não venceu uma corrida sequer na temporada, mesmo sendo duas vezes pole e com dois de seus descartes sendo de cinco pontos, um número alto para piores resultados.

Allam Khodair – 195 pontos

Allam Khodair (Foto: Luís França/Vicar)

Khodair não vencia uma corrida na Stock Car há cinco anos, mas logo na última antes da final foi ao lugar mais alto do pódio e se garantiu na briga. Só em três corridas pontuou abaixo dos dígitos duplos, prova de que anda sempre no bloco da frente.

Guilherme Salas – 190 pontos

Guilherme Salas (Foto: Luís França/Vicar)

Salas jamais havia vencido uma corrida na Stock Car… Até a penúltima antes da final, em Goiânia. Ao conseguir, consolidou arrancada em que conseguiu não só o triunfo, mas três segundos lugares, em quatro provas seguidas. Briga pelo título por isso.

Diego Nunes – 185 pontos

Diego Nunes (Foto: Luís França/Vicar)

O 10° candidato – que se fosse o último facilitaria a vida deste repórter do GRANDE PREMIUM, já que a editoria se chama 10+ – é Nunes, que também arrancou na metade final da temporada. Antes dela, só um pódio e uma pontuação acima de 10. Depois, até vitória e só uma pontuação abaixo de 10. Virada.

Nelsinho Piquet – 180 pontos

Nelsinho Piquet (Foto: Luís França/Vicar)

A editoria é 10+, mas Piquet será o 10+1 – afinal, só foi se garantir na briga pelo título ao passar o companheiro de equipe Barrichello a metros da linha de chegada da última corrida antes da final (sim, a da pane seca citada acima). Ele “estragou” o nome da lista, mas não liga: afinal, faz seu melhor ano na categoria.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect