Siga-nos

10+

Os melhores resultados de brasileiros em Le Mans

Bruno Senna se tornou o quarto brasileiro a ficar na segunda posição em Le Mans. Quais foram os 10 melhores resultados de brasileiros em La Sarthe? O GRANDE PREMIUM conta

Bruno Senna foi segundo em Le Mans (Foto: Reprodução)

O último fim de semana foi um dos mais importantes do calendário do esporte a motor, com a realização da 88ª edição das 24 Horas de Le Mans. A prova foi vencida pelo terceiro ano consecutivo pelo Toyota #8, guiado por Kazuki Nakajima, Sébastien Buemi e Brendon Hartley.

Com sete brasileiros em pista, Bruno Senna conquistou o segundo lugar com a Rebellion, ao lado de Gustavo Menezes e Norman Nato. Na edição desta semana do 10+, o GRANDE PREMIUM relembra os melhores resultados alcançados por nomes do Brasil em La Sarthe.

José Carlos Pace – 2º – 1973

Um dos seis brasileiros vencedores de corrida na Fórmula 1, José Carlos Pace, o “Moco”, foi o primeiro a alcançar pódio em Le Mans. Na edição de 1973, ele fez dupla com o italiano Arturo Merzario para guiar a Ferrari 312PB-73. Mesmo encarando alguns problemas, completaram na segunda posição, seis voltas atrás dos vencedores Henri Pescarolo e Gérard Larrousse.

Apesar do bom resultado, Pace jamais correu em Le Mans novamente. Ele venceu o GP do Brasil de 1975 e faleceu em um acidente aéreo em 1977.

Raul Boesel – 2º – 1991

Raul Boesel com a Jaguar (Foto: Reprodução)

Raul Boesel tem um vasto currículo no automobilismo. 23 largadas na Fórmula 1, diversas participações nas 500 Milhas de Indianápolis, título mundial de SportsCar e vitória nas 24 Horas de Daytona. Em Le Mans, ele igualou o segundo lugar de Pace.

Após um 5º lugar em 1987 e abandono em 1988, Boesel se juntou ao americano Davy Jones e o francês Michel Ferté no Jaguar XJR-12, que ficou duas voltas atrás do Mazda 787B de Volker Weidler, Johnny Herbert e Bertrand Gachot. Foi o primeiro carro japonês a vencer em La Sarthe.

Por curiosidade, um jovem Michael Schumacher competiu pela Sauber Mercedes, fechando na 5ª colocação, 5 voltas atrás do time de Boesel, que não competiu novamente em Le Mans após o pódio.

Lucas di Grassi – 2º – 2014

Hoje consolidado na Fórmula E, Lucas di Grassi teve uma jornada no endurance entre 2012 e 2016, representando a Audi. Em quatro participações em Le Mans, registrou três pódios, e o mais próximo da vitória foi em 2014.

Na ocasião, dividiu o carro com o espanhol Marc Gené e o lendário Tom Christensen, mas se contentou apenas com o segundo lugar, já que o triunfo sobrou para o carro irmão da montadora, guiado por André Lotterer, Marcel Fässler e Benoit Tréluyer.

Bruno Senna – 2º – 2020

O Rebellion #1 de Bruno Senna

Bruno Senna já é um dos brasileiros mais condecorados no endurance mundial, mas não tinha subido ao pódio em Le Mans em seis participações.

Com o Rebellion R13-Gibson, se valeu dos problemas do Toyota #7 durante a etapa do último fim de semana e conquistou o segundo lugar. O pódio vem em momento crucial, já que a Rebellion anunciou o fim das operações após a edição deste ano de Le Mans.

Ricardo Zonta – 3º – 2008

Hoje firme no automobilismo nacional, Ricardo Zonta teve duas participações diferentes em Le Mans. Em 1998, esteve com a Mercedes e fechou na 10ª posição junto de Jean-Marc Gounon e Christophe Bouchut.

Dez anos depois, já depois de sua passagem pela Fórmula 1, ganhou uma oportunidade para guiar pela Peugeot junto de Christian Klien e Franck Montagny. Ficou em terceiro na prova vencida pela Audi de Allan McNish, Rinaldo Capello e Tom Kristensen.

Maurizio Sandro Sala – 4º – 1995

Maurizio Sandro Salla foi uma figura carimbada das 24 Horas de Le Mans no fim dos anos 1980 e nos anos 1990. O melhor resultado aconteceu em 1995.

Na ocasião, o brasileiro se juntou aos ingleses Mark Blundell e Ray Bellm para guiar o McLaren F1 GTR da Gulf Racing. O trio conquistou a quarta posição, sete voltas atrás dos vencedores Yannick Dalmas, Masanori Sekiya e JJ Lehto.

André Negrão – 4º – 2017

O paulista André Negrão se encontrou muito bem no mundo do endurance, com direito ao título mundial na LMP2 e duas vitórias em Le Mans pela classe em 2018 e 2019.

A primeira participação de Negrão em Le Mans, em 2017, foi quando conseguiu a melhor colocação no geral. Levou a Alpine ao quarto lugar ao lado de Nelson Panciatici e Pierre Ragues. Curiosamente, o resultado rendeu apenas a terceira posição na classe LMP2, que teve os dois carros da Jackie Chan DC Racing no pódio.

Team Pace (Paulo Gomes, Alfredo Guaraná e Mário Amaral) – 7º – 1978

O Porsche #31 de Alfredo Guaraná, Paulo Gomes e Mário Amaral (Foto: Arnaud Sigg)
O Porsche do Team Pace (Foto: Arnaud Sigg)

Em 1978, o Brasil teve uma equipe nas 24 Horas de Le Mans. O Team Pace, iniciativa de Charles Naccache, então presidente da CBA, que colocou o trio Alfredo Guaraná, Paulo Gomes e Mário Amaral com um Porsche 935/77.

A participação do trio rendeu a sétima colocação no geral, o melhor resultado de pilotos brasileiros até então, além do segundo lugar na classe Gr.5. A vitória no geral ficou com a dupla da Renault formada por Didier Pironi e Jean-Pierre Jaussaud.

Nelson Piquet – 8º – 1996

O McLaren F1 GTR de Nelson Piquet (Foto: Flickr)

Tricampeão mundial de Fórmula 1, Nelson Piquet se aventurou em Le Mans aos 44 anos de idade. Foi contratado pela Team Bigazzi para guiar o McLaren F1 GTR junto de Johnny Cecotto e Danny Sullivan.

O resultado foi positivo, com a oitava colocação no geral. Piquet participou da prova novamente em 1997, mas abandonou.

Antônio Hermann – 8º – 1997

Antônio Hermann Azevedo é mais conhecido por conta da experiência no mercado financeiro, já que foi presidente do Banco BMG por quatro anos. Nos anos 1990, era uma presença constante em Le Mans

Na edição de 1997, esteve junto de Pierluigi Martini e Christian Pescatori com um Porsche 911 GT1, fechando a prova na oitava posição.

Thomas Erdos – 8º – 2006 e 2010

Nenhum brasileiro tem mais participações em Le Mans do que Thomas Erdo. Foram 13 largadas na história, e por duas vezes ficou no top-10

Em 2006, ano em que venceu na classe LMP2, fechou a prova na oitava posição junto dos ingleses Mike Newton e Andy Wallace, guiando um MG-Lola EX264-AER. O feito se repetiu com a mesma dupla em 2010, agora com um Lola B08/80-HPD.

Os vencedores em categorias menores

Apesar de nenhuma vitória em Le Mans, alguns pilotos brasileiros carregam triunfos em classes menores na disputa de 24 Horas. Thomas Erdos foi o primeiro, com vitórias na LMP2 em 2005 e 2006. Em seguida, veio Jaime Melo na GT2, com triunfos em 2008 e 2009. O Brasil voltaria a vencer oito anos depois, com Daniel Serra na GTE-Pro, feito repetido em 2019. André Negrão, na LMP2, venceu em 2018 e 2019.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect