Siga-nos

Conteúdo Especial

Um dia no templo. Um dia para sempre

Para o fã do automobilismo, Interlagos é como um templo, uma catedral mundial da velocidade. Por isso, é tratada com reverência por quem tem a chance de estar diante da pista que foi palco de grandes glórias de grandes campeões

Quando se tem a chance de conversar com um fã genuíno do automobilismo, tanto o brasileiro com aquele vindo de outras terras, é possível notar um certo fascínio por Interlagos. Desde outros tempos, aos mais antigos, logo vêm à mente momentos de glória com Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace; até às lembranças um pouco mais recentes, pós-anos 1990, onde Ayrton Senna literalmente fez chover, e outros grandes como Michael Schumacher, Felipe Massa, Fernando Alonso, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton também brilharam. Não à toa, Interlagos tem a merecida alcunha de templo da velocidade.

No sétimo capítulo da série Histórias de Interlagos, Fernando Delucena, leitor do GRANDE PREMIUM e membro da Scuderia GP, conta sua única experiência com o circuito paulistano. Que não chegou a ser no GP do Brasil, mas em um dia normal. Normal? Não foi nada disso o que Fernando viveu em algum dia de 2004.

Diferente de hoje, quando se tem o smartphone à mão, e as fotografias tornam-se frequentes e habituais, Delucena não chegou a registrar nenhuma imagem daquele dia inesquecível. As lembranças, que hoje estão somente na retina, são resultado de um puro esquecimento. Mas que nem de longe é lamentado pelo leitor.

“Foi a primeira e única vez que fui a Interlagos. Foi em um dia normal, no meio da semana, e eu jamais havia pistado antes em um autódromo. Mas cheguei lá e me dei conta de que, naquele dia tão especial, eu tinha deixado a câmera fotográfica no hotel”, diz Fernando. 

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Mas acho que assim foi melhor, porque se tivesse gasto o tempo batendo fotos, minha memória não teria criado esse pôr do sol incrivelmente avermelhado que hoje me recordo, invadindo a pista do heliponto, onde eu podia ver toda a pista, bem como a tomada do S do Senna”, explica. Não era um dia de F1 à época, mas havia carro na pista e o som do motor roncando estava lá.

“Tinha um protótipo andando, e eu me lembro de passar um bom tempo ali olhando cada curva sob o cair da tarde, e um sonho ali desfilando na minha frente. Sorte que não tirei foto nenhuma”, recorda Delucena.

As lembranças, os trechos da pista, cada momento em que se tem a chance de estar em Interlagos é um convite à celebração do melhor do automobilismo mundial, seja com a F1, ou nas várias histórias do esporte a motor brasileiro, como a Stock Car, a Superbike, as inúmeras corridas de endurance e outros tantos fatos que viraram história, que ficam para sempre. Como o que Fernando Delucena viveu há 13 anos. Que não traz as recordações em fotografias, mas na memória de um dia que vai ficar para sempre na memória e no seu coração.

O GP do Brasil deste ano acontece entre os dias 10, 11 e 12 de novembro e pode decidir o título da temporada 2017. Não perca esta grande corrida e adquira já seu ingresso.
 

(Foto: José Cordeiro/Autódromo de Interlagos)

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect