Siga-nos

Guia 24 Horas de Le Mans 2020

EQUIPES E PILOTOS LMP2

Depois dos GTs, é chegada a vez dos protótipos: o GRANDE PREMIUM apresenta todos os pilotos (pilotas também) da classe LMP2 para as 24 Horas de Le Mans 2020

LMP2; ALPINE SIGNATECH; ANDRÉ NEGRÃO;
André Negrão vai disputar mais uma vez as 24 Horas de Le Mans na LMP2 (Foto: Alpine Cars)

EUROINTERNATIONAL

Sede: San Pietro Mosezzo, Novara (Itália)
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 6º lugar do ELMS na classe LMP3

Com sede física na região italiana de Novara, mas bandeira estadunidense na inscrição, a Eurointernational é aquela mesma equipe que, há muitos anos atrás, disputou a Fórmula Indy. Seu proprietário é Antonio Ferrari, sem nenhum parentesco com o Commendatore Enzo, que retorna depois de muito tempo à disputa das 24h de Le Mans. A última vez fora em 1995 – ainda com o nome Euromotorsport – com René Arnoux, Massimo Sigala e Jay Cochran numa Ferrari 333 SP protótipo.

Campeã da série ELMS na LMP3 após uma polêmica envolvendo a Inter Europol Competition, rival pelo título, quanto a penalizações e recursos, a escuderia conquistou uma vaga de ofício e terá na prova um protótipo Ligier JS P217 entregue a uma tripulação Pro-Am como manda o figurino, trazendo dois estreantes no evento, um deles filho de piloto de F1.

LMP2; 24H DE LE MANS; FIA WEC; EUROINTERNATIONAL;
Eurointernational LMP2 #11 para 24 Horas de Le Mans (Foto: Eurointernational)

Pilotos do carro #11

ADRIEN TAMBAY

25 de fevereiro de 1991 (29 anos), Paris, França
Graduação: Ouro
Estreante nas 24h de Le Mans

Filho do antigo piloto de F1 Patrick Tambay, que esteve quatro vezes na disputa das 24h de Le Mans, Adrien Tambay foi eleito pela Eurointernational para fazer sua estreia em La Sarthe no retorno da equipe à maior prova longa do mundo. O piloto de 29 anos foi rival de Esteban Gutiérrez e Marco Wittmann na hoje extinta Fórmula BMW Europeia, tendo corrido também na F3 EuroSeries, na AutoGP e na World Series antes de se embrenhar no DTM, onde foi piloto Audi por cinco temporadas — com apenas um pódio. Tem carreira curta no Endurance, tendo feito duas provas apenas no ano passado defendendo a Inter Europol Competition no ELMS.

ERIK MARIS

16 de fevereiro de 1964 (56 anos), Boulogne-Billancourt, França
Graduação: Bronze
Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 15º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 6º lugar na classe LMGTE-AM em 2018

O diletante francês Erik Maris está de volta às 24h de Le Mans após ficar fora do grid na última edição. Estreou na prova francesa em 2014 com 50 anos de idade, pela equipe IMSA Performance Matmut. Defendeu também a Lombard Racing, a OAK Racing – esta, duas vezes – e a Ebimotors, pela qual alcançou o melhor resultado em divisões, com um 6º lugar na classe LMGTE-AM junto a Fabio Babini e Christina Nielsen. A seu favor, o fato de nunca ter abandonado nas cinco participações anteriores, o que é bastante significativo.

CHRISTOPHE D’ANSEMBOURG

8 de janeiro de 1963 (57 anos), Uccle, Bélgica
Graduação: Bronze
Estreante nas 24h de Le Mans

O belga Christophe Philippe Charles de Marchant et d’Ansembourg, ou simplesmente Christophe d’Ansembourg, tem nobreza no sobrenome, paixão por velocidade e dinheiro pra dar e vender. Membro do board de uma companhia de investimentos de seu país – e casado com uma brasileira – d’Ansembourg é figurinha fácil em provas de carros históricos, principalmente de Grupo C e protótipos antigos, além de F1. Basta jogar no Google e o veremos no cockpit de modelos McLaren e Williams dos anos 1970 e 1980. Aos 57 anos, o empresário faz sua estreia nas 24h de Le Mans.

G-DRIVE RACING BY ALGARVE

Sede: Moscou (Rússia) e Albufeira (Portugal)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Goodyear
Em 2019/20: campeã do Asian Le Mans Series na classe LMP2

A parceria entre a G-Drive Racing da Rússia e os anglo-portugueses da Algarve Pro Racing foi a aquisição de última hora para as 24h de Le Mans de 2020 não fecharem sua lista de entradas com um número ímpar de competidores – como se isso fosse algum incômodo…

Após abrirem mão do convite de ofício do ACO num primeiro momento, os russos e o time comandado por Stewart e Samantha Cox se entenderam e vão pra jogo com um protótipo Oreca 07 que terá pneus Goodyear além do pacote padrão da categoria – motor Gibson V8 e ECU Cosworth. A trinca de pilotos impõe respeito, com um campeão da prova a bordo e outro que quase chegou lá há alguns anos.

LMP2; 24h de LE MANS; G-DRIVE RACING; ALGARVE;
LMP2 #11 da G-Drive Racing em associação com a Algarve (Foto: G-Drive)

Pilotos do carro #16

RYAN CULLEN

25 de março de 1991 (29 anos), Sommerset, Irlanda (nacionalidade cipriota)
Graduação: Prata}
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 19º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 14º lugar na classe LMP2 em 2019

O irlandês Ryan Cullen, de 29 anos, tem sua segunda oportunidade nas 24h de Le Mans – e que veio a calhar, pois acabou limado da tripulação da DragonSpeed, equipe que defendia no European Le Mans Series. De resultados medianos na carreira, nunca se destacou muito no automobilismo do Reino Unido nas Fórmulas Ford e Renault – e muito menos na extinta GP3 Series, onde sua melhor performance lhe deu somente um 13º lugar. Também enveredou pela Porsche Supercup sem muito sucesso e no ELMS. Ano passado, estreou pela United Autosports em La Sarthe, compondo trio com Will Owen e Alex Brundle.

OLIVER JARVIS

9 de janeiro de 1984 (36 anos), Burwell, Inglaterra
Graduação: Platina
Participações nas 24h de Le Mans: 8
Melhor resultado geral: 2º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP2 em 2017

Excelente aquisição para o plantel das 24h de Le Mans deste ano, o veloz britânico Oliver Jarvis sabe como poucos o caminho do pódio na prova francesa. Já esteve por lá quatro vezes, três como piloto oficial Audi e uma com a Jackie Chan DC Racing, na histórica corrida de 2017 em que quase deu um protótipo LMP2 como vencedor. Com carreira iniciada em 1992, aos oito anos apenas no kart, Jarvis fez a escadinha natural de monopostos, chegou ao DTM em 2009 e de lá para as provas de longa duração, com dois vice-campeonatos mundiais do WEC e diversas outras aparições em provas e categorias internacionais – incluindo a Stock Car em 2018. Atualmente, guia para a Mazda na série IMSA.

NICHOLAS ‘NICK’ TANDY

5 de novembro de 1984 (35 anos), Bedford, Inglaterra
Graduação: Platina
Participações nas 24h de Le Mans: 7
Melhor resultado geral: 1º lugar em 2015
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP1 em 2015

Campeão absoluto das 24h de Le Mans de 2015 com o trio “patinho feio” da Porsche formado por ele, Earl Bamber e Nico Hülkenberg, o britânico Nick Tandy é outra novidade muito bem-vinda para o plantel da clássica prova francesa, que integra pela oitava vez na carreira. Incrivelmente, além da vitória há cinco anos, seus resultados em La Sarthe são pouco consistentes – se bem que ano passado fechou a disputa no pódio da LMGTE-PRO com um 3º lugar.

Integrante do programa Porsche na série IMSA – e que será extinto ao fim deste campeonato – Tandy ficaria fora da prova de Le Mans em 2020 porque a inscrição das trincas coligadas ao programa estadunidense foi retirada da lista de entradas por conta da situação econômica difícil e da Pandemia do Covid-19. Sorte dele – e nossa – que o veremos em ação novamente num protótipo. Em tempo: além da vitória em Le Mans, ele ganhou também as 6h de Nürburgring em 2015 defendendo a KCMG na classe LMP2.

IDEC SPORT

Sede: Fontenay Trèsigny (França)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 11º lugar do ELMS na classe LMP2

Atual campeã do European Le Mans Series na divisão LMP2 – e por isso tendo recebido uma vaga direta para a disputa das 24h de Le Mans – a IDEC Sport não passa por um momento dos mais positivos no que se refere a resultados nas provas deste ano. Nas três primeiras provas do ELMS, marcaram apenas 12 pontos e foram obrigados a desistir na abertura da temporada em Paul Ricard.

Para este ano, têm o britânico Richard Bradley como novidade na tripulação principal e o segundo carro, com o dorsal #17, foi confiado a uma tripulação totalmente composta por pilotos não-profissionais. O desempenho do time francês nesta edição da corrida é uma grande incógnita.

24H DE LE MANS; ENDURANCE; IDEC SPORTS
LMP2 da IDEC Sport para as 24 Horas de Le Mans (Foto: IDEC Sport)

Pilotos do carro #17

DWIGHT MERRIMAN

Data de nascimento desconhecida, EUA
Graduação: Bronze
Estreante nas 24h de Le Mans

O estadunidense Dwight Merriman, que disputa a classe LMP2 na série IMSA pela ERA Motorsport, é um empresário do ramo de softwares e eletrônica. Fundou a DoubleClick – depois adquirida pelo Google pela módica quantia de US$ 3,1 bilhões – com o sócio Kevin O’Connor e hoje comanda a MongoDB, Inc., além de diversas companhias afiiadas no ramo da internet. Como piloto, não é propriamente dos mais rápidos. Vai a La Sarthe para pegar horas de voo e aprender.

KYLE TILLEY

16 de fevereiro de 1990 (30 anos), Bath, Inglaterra
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans

Mais um dentre vários neófitos na edição 2020 das 24h de Le Mans, o britânico Kyle Tilley começou nos karts no final dos anos 2000 e precisou parar com a carreira de piloto de competição, retornando aos cockpits em 2016, no Continental Tire SportsCar Challenge. Disputou o hoje GT World Challenge America – então Pirelli World Challenge e também provas de F1 clássicos com um Ensign N177, o mesmo modelo com o qual Nelson Piquet estreou na categoria máxima. Também disputa a série IMSA na classe LMP2 com a equipe ERA Motorsports.

JONATHAN KENNARD

26 de junho de 1985 (35 anos), Tumbridge Wells, Inglaterra
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 26º lugar em 2010
Melhor resultado na categoria: 10º lugar na classe LMP2 em 2010

Uma década após sua única participação – até hoje – nas 24h de Le Mans, o britânico Jonathan Kennard regressa a La Sarthe. Em 2010, foi 10º colcado na classe LMP2 com um velho protótipo Lola B05/40 AER Mazda da equipe Kruse Schiller Motorsport, alinhado para ele, Jean de Pourtales e Hideki Noda.

Nos monopostos, Kennard foi campeão da Fórmula Palmer Audi – hoje extinta – em 2004, chegou a andar na F3 inglesa e a ter um emprego de piloto de testes da Williams. Competiu também na Superleague Fórmula, European Le Mans Series e FIA GT, voltando às pistas após cinco anos fora em provas de carros históricos e no Radical European Masters.

Pilotos do carro #28

PAUL LAFARGUE

8 de julho de 1988 (32 anos), Bourgogne, França
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 10º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 5º lugar na classe LMP2 em 2019

Filho do ‘patrão’ Patrice Lafargue, Paul tem 32 anos e vai para sua quarta aparição nas 24h de Le Mans. Iniciou a trajetória no automobilismo em 2011 no VdeV Endurance Proto com um Norma M20F. Defendendo a Ruffier Racing, ganhou duas vezes as 24h de Barcelona na categoria dos Porsche Cup, foi campeão do VdeV em 2014 e duas vezes vice, antes de ingressar no ELMS, onde conquistou ano passado o tíitulo de pilotos da categoria LMP2.

PAUL-LOUP CHATIN

19 de outubro de 1991 (28 anos), Dourdan, França
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 7º lugar em 2014
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMP2 em 2014

Mestre em ciências e instrutor de esqui alpino, Paul-Loup Chatin foi kartista – campeão europeu da série KF2 em 2008 – e vencedor do Volant Euroformula, o que lhe deu a chance de competir na Fórmula Renault francesa. Venceu o GP de Pau da categoria em 2012 e no ano seguinte, levou o título do ELMS na classe Prototype Challenge com um Oreca FLM09C.

Daí para o Endurance, foi um pulo: campeão da série europeia novamente, só que com um LMP2, Chatin foi ao pódio em sua estreia nas 24h de Le Mans junto a Oliver Webb e Nelson Panciatici, com a 3ª posição a bordo de um Alpine A450b. Disputou o FIA WEC pela Signatech e regressou ao ELMS via Panis-Barthez. Entrou na IDEC Sport em 2017 e ano passado colaborou para o inédito título da equipe na LMP2.

RICHARD BRADLEY

17 de agosto de 1991 (29 anos), Singapura (tem nacionalidade inglesa)
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado geral: 6º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 1º lugar em 2015 na classe LMP2

Campeão das 24h de Le Mans em 2015 na classe LMP2, via KCMG, Richard Bradley tem uma história bastante peculiar. De dupla nacionalidade, nascido em Singapura, correu com a licença daquele país para competir no automobilismo asiático e hoje, residindo em Bangcoc, a capital da Tailândia, se apresenta como piloto de origem britânica. Ufa…

De fato, sua trajetória foi toda no automobilismo oriental, com participações no Asian Le Mans Series, Super GT, Super Formula e F3 japonesa até chegar no FIA WEC, no qual foi 3º colocado de pilotos em 2014 e vice-campeão em 2015, tudo na classe LMP2. Guiou para as francesas Graff e Duqueine Engineering no ELMS e agora está na IDEC Sport. Chega à sua quinta participação nas 24h de Le Mans.

DRAGONSPEED USA

Sede: Signes (França) e Indianápolis, Indiana (EUA)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 13º lugar do ELMS na classe LMP2 e 3º lugar da IMSA na classe LMP2

Dividida em duas frentes em 2020, a DragonSpeed não conseguiu repetir ainda neste ano as mesmas sólidas performances dos últimos anos tanto no ELMS quanto no FIA WEC, do qual abriu mão para este ano. A volta aos EUA seria positiva para o time de Elton Julian, não fosse a Pandemia e as questões econômicas advindas do Covid-19, que fizeram modificar todos os planos para o segundo semestre.

Principalmente porque a equipe com base europeia na França e sede também em Indianápolis precisou despachar o segundo Oreca 07 da América do Norte e abrir mão de grande parte da campanha na IMSA – posto que esse carro acabou repescado em virtude dos muitos forfaits acontecidos para este ano de 2020. Houve também uma reformulação técnica – resultando numa parceria com a equipe espanhola Racing Engineering – e várias mudanças de pilotos: Timothé Buret foi chamado para o lugar de Ryan Cullen; Renger Van der Zande acabou escalado para a vaga que seria de Felix Rosenqvist e, quase de última hora, Pipo Derani desistiu da disputa e seu substituto será ninguém menos que Juan Pablo Montoya.

LMP2; DRAGONSPEED; 24 HORAS DE LE MANS;
LMP2 da equipe DragonSpeed USA para as 24 Horas de Le Mans (Foto: FIA WEC)

Pilotos do carro #21

GUILLERMO ‘MEMO’ ROJAS JR.

18 de agosto de 1981 (39 anos), Cidade do México, México
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado geral: 10º lugar em 2016 e 2019
Melhor resultado em categoria: 5º lugar na classe LMP2 em 2019

Atual campeão do European Le Mans Series, quando ainda defendia a IDEC Sport, o mexicano ‘Memo’ Rojas Jr. é o mesmo que fez longa carreira no automobilismo da América do Norte, com vários títulos na Grand-Am em parceria com Scott Pruett. Depois da junção daquele certame com a American Le Mans Series, as vitórias e os títulos rarearam – e a partir de 2016, o piloto de 39 anos veio para o automobilismo europeu – seguindo assim os rastros do velho Guillermo Rojas, que disputou as 24h de Le Mans em 1974. O filho vai para a quinta participação em La Sarthe. Ano passado, foi 5º colocado na classe LMP2.

TIMOTHÉ BURET

31 de maio de 1995 (25 anos), Montpellier, França
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 12º lugar em 2016
Melhor resultado em categoria: 8º lugar na classe LMP2 em 2016

Oriundo do VdeV Series, onde começou carreira aos 18 anos em 2013, Timothé Buret foi recrutado quase de última hora pela DragonSpeed para a disputa da 88ª 24h de Le Mans. O francês estará pela quarta vez na pista de La Sarthe, tendo tido como melhor performance um 8º posto na classe LMP2 em seu ano de estreia. Buret divide seu tempo este ano também com os carros do GT World Challenge Europe e da GT4 European Series.

JUAN PABLO MONTOYA

20 de setembro de 1975 (44 anos), Bogotá, Colômbia
Graduação: Platina
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 7º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMP2 em 2018

Aquisição pesada e de última hora para o trio de um dos carros da DragonSpeed, o colombiano Juan Pablo Montoya vai de surpresa para a sua segunda participação nas 24h de Le Mans, como – em princípio – uma ameaça ao sonho de Fernando Alonso em se tornar tríplice coroado do automobilismo mundial. É claro que JPM – que completa 45 anos no domingo, dia da chegada da corrida – só poderá atingir o galardão em caso de hecatombe dos LMP1, mas a julgar por sua única participação até agora em La Sarthe, ele pode se permitir sonhar. Há dois anos, estreou pela United Autosports com um 7º posto geral e o terceiro na LMP2, herdado com a desclassificação do carro vencedor da G-Drive Racing.

Pilotos do carro #27

HENRIK HEDMAN

5 de fevereiro de 1968 (52 anos), Kungkarl, Suécia
Graduação: Bronze
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 14º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 12º lugar na classe LMP2 em 2017

Único piloto de graduação bronze a ter disputado uma prova do FIA WEC com protótipos LMP1, o sueco Henrik Hedman retorna à classe LMP2 nas 24h de Le Mans após as duas últimas edições da prova francesa – que só lhe renderam dissabores, e à equipe também, é claro. O diletante de 52 anos tem como melhor classificação na carreira o quarto lugar na série ELMS, em 2016. Na estreia em La Sarthe, há três anos, foi 12º colocado na categoria. É sua quarta participação na competição.

BENJAMIN ‘BEN’ HANLEY

22 de janeiro de 1985 (35 anos), Manchester, Inglaterra
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 14º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 12º lugar na classe LMP2 em 2017

O britânico ‘Ben’ Hanley foi figura de proa do kartismo internacional, desde o início da carreira no ano de 1998 — e foi assim até há bem pouco tempo atrás. Mesmo perto dos 30 anos de idade, ele jamais largou os micromonopostos por completo e não só pegou um vice-campeonato mundial em 2013 como levou o título europeu em 2015!

Vice-campeão da World Series em 2007, Hanley correu também na extinta GP2 Asia e na Superleague Formula, passando depois ao posto de piloto de testes e de simuladores para a Pirelli e Dallara. Desde 2016, é recruta da DragonSpeed no Endurance, com raras aparições por G-Drive Racing e também pelo Team LNT com o Ginetta LMP1. Disputou também as 500 Milhas de Indianápolis nas duas últimas edições.

RENGER VAN DER ZANDE

16 de fevereiro de 1986 (34 anos), Doodewaard, Holanda
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado geral: não terminou em 2018 e 2019
Melhor resultado em categoria:  não terminou em 2018 e 2019

O retrospecto de Renger Van der Zande em duas participações nas 24h de Le Mans não é dos mais positivos. Vítima de problemas mecânicos no protótipo BR01 da equipe DragonSpeed dotado de motor Gibson V8, ele e seus colegas de pilotagem ficaram pelo caminho nas duas últimas edições da corrida.

Mas não se enganem: o holandês de 34 anos, cuja carreira se iniciou em 2000 no kart até a chegada à Fórmula Renault em 2004, é muito competente. Após passagens pelos monopostos, chegou ao Endurance internacional em 2012, com aparições em diversas provas longas. Na IMSA, foi campeão de pilotos na divisão Prototype Challenge em 2016 e defende há três temporadas a Wayne Taylor Racing, com dois triunfos em sequência nas 24h de Daytona.

UNITED AUTOSPORTS

Sede: Yorkshire-at-Humber, Leeds (Inglaterra)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 1º lugar do WEC na classe LMP2 e do ELMS na LMP2 e LMP3
Vitórias: 3

LMP2; UNITED AUTOSPORTS; WEC;
LMP2 da United Autosports para as 24 Horas de Le Mans (Foto: United Autosports)

Vencer, vencer, vencer… ops! Não é citação ao hino de um certo clube de futebol, mas sim a rotina da United Autosports em 2020. A equipe britânica tem sido a mais bem sucedida do ano nas provas de LMP2 e expande seus domínios para a LMP3 – categoria disputada somente no ELMS. Líder no WEC e na série europeia, a equipe de Zak Brown (ele mesmo, o CEO da McLaren) e Richard Dean é a favorita natural à vitória e aos títulos que disputa. Vai para as 24h de Le Mans com dois carros e o principal deles tem o talento do português Filipe Albuquerque e a experiência do ‘rodado’ Paul di Resta.

Pilotos do carro #22

PHILIP ‘PHIL’ HANSON

5 de julho de 1999 (21 anos), Berkshire, Inglaterra
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
6 provas
3 vitórias
5 pódios
1º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 120 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 9º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 4º lugar na classe LMP2 em 2019

Colíder do Mundial de Endurance (e também do ELMS) junto a Filipe Albuquerque, Phil Hanson é um dos mais jovens pilotos de sempre a ter guiado em Esporte-Protótipos. Estreou em Le Mans aos 18 anos em 2017, defendendo a defunta Tockwith Motorsports e desde o ano seguinte, integra o plantel da United Autosports – ganhando inclusive o título da série Asian Le Mans na temporada 2018/19. Vai para sua quarta participação nas 24h de Le Mans – o melhor resultado veio ano passado, quando foi quarto colocado na LMP2 junto aos seus parceiros de cockpit.

FILIPE ALBUQUERQUE

13 de junho de 1985 (35 anos), Coimbra, Portugal
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
20 provas
5 vitórias
13 pódios
1º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 120 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 5º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 4º lugar na classe LMP2 em 2017 e 2019

O português Filipe Albuquerque é hoje o principal nome do desporto motorizado – como lá chamam o automobilismo – em terras além-mar. De origem no kart, o piloto nascido em Coimbra fez a ‘escadinha’ natural até chegar à extinta A1 GP Series e daí para as provas de Grã-Turismo e Endurance, caindo nas graças da Audi por longo período. Estreou no WEC em 2014 e também no ELMS, pela equipe Jota Sport.

Depois do fim do vínculo com a marca dos anéis entrelaçados, dividiu-se entre EUA e Europa, competindo com os brasileiros Christian Fittipaldi, Pipo Derani e Felipe Nasr na IMSA, além de Bruno Senna no WEC – para o qual voltou este ano pela United Autosports. Chega à esta edição da prova com grande chance de vencê-la na LMP2.

PAUL DI RESTA

16 de abril de 1986 (34 anos), Uphall, Escócia
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
5 provas
3 vitórias
5 pódios
2º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 105 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado geral: 9º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 4º lugar na classe LMP2 em 2019

Com 59 GPs de Fórmula 1 disputados no currículo de três temporadas, mais uma aparição de última hora pela Williams em 2017, o escocês Paul Di Resta se junto ao círculo de pilotos da categoria máxima que migraram para o Endurance. De resultados expressivos nos monopostos, que incluíram o título europeu de F3 e a conquista do prestigioso Masters de Zandvoort, o piloto hoje com 34 anos fez também longa carreira no DTM, do qual foi campeão em 2010.

Não fez todas as provas do campeonato do Mundial de Endurance – ausentou-se em Fuji – por compromissos exatamente no DTM. Não fosse por isso, e estaria também saboreando o momento de liderança no FIA WEC. Disputa esse ano sua 3ª 24h de Le Mans.

Pilotos do carro #32

WILLIAM ‘WILL’ OWEN

23 de março de 1995 (25 anos), Plano (Texas), EUA
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 5º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMP2 em 2018
Em 2020: 2º colocado do ELMS na classe LMP2 com 39 pontos

Nascido no Texas e residente em Denver, no estado do Colorado, o estadunidense Will Owen tem brevê de piloto de avião e se formará em Contabilidade. Aos 25 anos, vai para sua quarta participação nas 24h de Le Mans após uma carreira iniciada no kartismo e posteriormente nos monopostos, com participações na USF2000, Pro Mazda Series e Toyota Racing Series. Foi vice-campeão de pilotos do ELMS em seu primeiro ano de Endurance e já conquistou bons resultados em La Sarthe, como um 5º posto geral na estreia e um pódio em 2018.

ALEX BRUNDLE

7 de agosto de 1990 (30 anos), King’s Lynn, Inglaterra
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 3º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2013 e 2017

Filho do antigo piloto de F1 e também campeão das 24h de Le Mans em 1990 e do Mundial de Endurance em 1988, o britânico Martin Brundle, sempre lembrado pela rivalidade na F3 inglesa com Ayrton Senna, Alex Brundle ataca de piloto e comentarista em 2020. Com a ‘latinha’, Alex faz as análises das transmissões das provas de F3 e F2, normalmente quando não há concomitância de datas com seus compromissos na United Autosports.

Após a estreia no kartismo, Alex fez Fórmula Palmer Audi, a Fórmula 2 criada por John Surtees e também a F3 inglesa, além da extinta GP3 Series. Logo na estreia no Endurance, foi vice-campeão de pilotos no Mundial de 2013 na LMP2. Disputou também provas da IMSA e foi campeão da LMP3 em 2016 pela United Autosports. Em seis participações anteriores nas 24h de Le Mans, foi ao pódio geral em 2017 e vice-campeão da LMP2 duas vezes.

JOB VAN UITERT

10 de outubro de 1998 (21 anos), Dongen, Holanda
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 11º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 6º lugar na classe LMP2 em 2019

Jovem de 21 anos apenas, rápido e talentoso, o holandês Job Van Uitert mostrou credenciais no Endurance com o título de pilotos do ELMS na classe LMP3 há dois anos, o que imediatamente chamou a atenção de outras equipes. Passou com sucesso pela G-Drive Racing e também colaborou com o Racing Team Nederland como regra três do excelente Nyck de Vries.

De curta carreira, iniciada em 2014, Van Uitert começou na Mazda MX5 Cup de seu país e depois migrou para a Fórmula 4 italiana e alemã, com uma visitinha ao Festival Mundial de Fórmula Ford em 2016 – e participações no Lamborghini Super Trofeo. Versatilidade que ajuda numa prova longa feito as 24h de Le Mans, da qual participa pela segunda vez. Estreou ano passado com o 6º lugar na LMP2 e o décimo-primeiro lugar na geral.

NIELSEN RACING

Sede: Corby, Northamptonshire (Inglaterra)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 8º lugar do ELMS na classe LMP3

Campeã do Asian Le Mans Series na temporada bienal 2019/20 na divisão LMP3, a Nielsen Racing foi uma das contempladas com entradas automáticas na 88ª edição das 24h de Le Mans e, por isso, o time com sede em Corby, no condado inglês de Northamptonshire, parte para aquele que é o maior desafio de sua história. Tendo disputado provas do Britcar e da classe LMP3, a equipe tem expertise em La Sarthe com as provas do Road To Le Mans, mas não na divisão LMP2. Vão de Oreca com o trio formado por Tony Wells, Alex Kapadia e Garret Grist.

LMP2; 24 HORAS DE LE MANS; NIELSEN RACING;
LMP2 da Nielsen Racing para as 24 Horas de Le Mans (Foto: Nielsen Racing)

Pilotos do carro #24

GARRET GRIST

9 de abril de 1995 (25 anos), Grimsby (Ontário), Canadá
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans
Em 2020: 15º colocado do ELMS na classe LMP3 com 14 pontos

Oriundo das provas de monoposto da América do Norte, o canadense Garret Grist fez seu debute profissional em 2013 na USF2000 pela equipe Andretti Autosport com um 3º lugar, migrando para a Pro Mazda, onde defendeu Andretti e Juncos em três temporadas. Fez também um campeonato parcial de Indy Lights e foi daí para os Esporte-Protótipos na série IMSA, na hoje inexistente classe Prototype Challenge. Há três anos, passou ao automobilismo europeu, revezando com os LMP3 que correm nos EUA. Ano passado, foi vice-campeão de pilotos do AsLMS defendendo a United Autosports e acabou contratado pela Nielsen Racing para 2020.

ALEX KAPADIA

4 de junho de 1980 (40 anos), Aylesbury, Inglaterra
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 37º lugar em 2015
Melhor resultado em categoria: 8º lugar na classe LMGTE-AM em 2015

Há cinco anos ausente das 24h de Le Mans, o britânico Alex Kapadia, de 40 anos, foi lembrado pela Nielsen Racing para compor o trio do carro #24 na estreia do time na LMP2. Em sua única aparição, no ano de 2015, dividiu um Porsche LMGTE-AM com Jun San Chen e Xavier Maassen. No carro inscrito pelo Team AAI, de Taiwan, acabou em 8º lugar na categoria e trigésimo-sétimo na geral. Ele não é propriamente um estranho na escuderia que defenderá em La Sarthe, já que a defendeu no ELMS há dois anos. O último registro de presença do piloto numa prova internacional foi no Michelin Le Mans Cup, ano passado.

ANTHONY ‘TONY’ WELLS

13 de setembro de 1964 (56 anos), Middlesbrough, Inglaterra
Graduação: Bronze
Estreante nas 24h de Le Mans
Em 2020: 9º colocado do ELMS na classe LMP3 com 18 pontos

O diletante britânico Tony Wells, que completou 56 anos dias antes das 24h de Le Mans, faz este ano sua estreia na clássica prova francesa após o título de pilotos do Asian Le Mans Series na última temporada, formando dupla com Colin Noble – anteriormente elencado pela Nielsen Racing para ser o piloto titular. No início desta década, conquistou títulos no certame Radical European Masters e desde 2014, frequenta o grid – com alguma regularidade, do ELMS e AsLMS.

ALGARVE PRO RACING

Sede: Albufeira, Portugal
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Goodyear
Em 2020: 7º lugar do ELMS na classe LMP2

A equipe portuguesa Algarve Pro Racing, dirigida por Stewart e Samantha Cox, não só dará suporte à empreitada de um segundo carro da G-Drive Racing, como também terá seu próprio carro nas 24h de Le Mans. Com forte apoio da Goodyear, que substitui a Dunlop como fornecedora de pneus, a escuderia vem para mais uma participação em La Sarthe, trazendo com ela, para sua quinta participação, um bom plantel de pilotos Pro-Am como manda o figurino. Destaque principal para o suíço Simon Trummer e para o estadunidense Matt McMurry, que vêm fazendo boas campanhas na série IMSA.

LMP2; 24H LE MANS; ALGARVE PRO RACING;
LMP2 da Algarve Pro Racing para as 24 Horas de Le Mans (Foto: Algarve Pro Racing)

Pilotos do carro #25

JOHN FALB

13 de dezembro de 1971 (48 anos), Las Vegas (Nevada), EUA
Graduação: Bronze
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 15º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 10º lugar na classe LMP2 em 2019

CEO da College Loan Corporation, empresa que ajudou mais de um milhão de famílias nos EUA a alcançar o objetivo estudantil para seus filhos, John Falb tem como mentor o piloto profissional Sean Rayhall, que o ajudou a lhe alavancar a carreira de piloto de competição. Ano passado, fez uma boa estreia nas 24h de Le Mans, pela Algarve Pro Racing. Ajudado por Andrea Pizzitola e David Zollinger, fechou a disputa no top ten da LMP2 e em 15º na geral. Veio da série IMSA e foi habitué do grid do ELMS com protótipos LMP3. Neste ano, ocupa a nona posição do ranking de pilotos da LMP2 no Europeu.

SIMON TRUMMER

8 de junho de 1989 (31 anos), Frutigen, Suíça
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: Não completou em 2016 e 2017
Melhor resultado em categoria: Não completou em 2016 e 2017

A julgar pelo retrospecto, ‘Dona Sorte’ não acompanha o experiente Simon Trummer, ausente das duas últimas edições nas 24h de Le Mans. Em três participações, abandonou duas – uma com a ByKolles e outra com a Manor. Na primeira, em 2015, ele e seus colegas de equipe foram desclassificados por uma irregularidade de falta de peso.

Desta vez, o suíço de 31 anos, vai com a Algarve Pro Racing. O carro, ele conhece bem: na série IMSA, guia para a PR1 Mathiasen Motorsports um Oreca 07 idêntico. Ano passado, Trummer competiu nos EUA e foi 8º colocado no campeonato dos pilotos da classe DPi, defendendo a JDC-Miller Motorsports.

MATTHEW ‘MATT’ McMURRY

24 de novembro de 1997 (22 anos), Phoenix (Arizona), EUA
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado geral: 25º lugar em 2014
Melhor resultado em categoria: 11º lugar na classe LMP2 em 2014

Poucos devem lembrar do feito ou saber dele, mas o estadunidense Matthew McMurry é ainda o mais jovem piloto da história a participar de uma edição das 24h de Le Mans. Em 2014, ele tinha 16 anos e 202 dias de vida quando dividiu um Zytek Z11SN LMP2 da Greaves Motorsports com Tom Kimber-Smith e Chris Dyson, completando a prova como 25º geral e décimo-primeiro na categoria.

Filho de Chris McMurry, um antigo integrante do plantel do extinto American Le Mans Series e que também esteve nas 24h de Le Mans, Matt ainda disputou outra edição da prova francesa há três anos e desde então vem se dedicando às provas da série IMSA. Neste ano, divide com Mario Farnbacher a pilotagem de um Acura NSX-GT3 EVO da Meyer Shank Racing, tendo excelentes atuações. Entra na trinca do #25 da Algarve Pro Racing, já que o titular do carro, Gabriel Aubry, corre no FIA WEC em La Sarthe.

G-DRIVE RACING

Sede: Moscou, Rússia e Saint-Aunès, França
Carro: Aurus 01 (Oreca 07)
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 3º lugar no ELMS na classe LMP2

A caminho da nona participação nas 24h de Le Mans, a G-Drive Racing se estabelece como uma das potências da classe LMP2. Com o apoio do grupo Gazprom e a estrutura técnica de Xavier Combet e da TDS Racing, o time busca a primeira vitória nas 24h de Le Mans após uma derrota na vistoria em 2018 por conta de uma grosseira infração ao regulamento técnico.

Para a edição 2020 da clássica prova francesa, a equipe pôde contar novamente com o concurso do bicampeão do ABB FIA Fórmula E Jean-Éric Vergne, liberado do compromisso após o fim da temporada da categoria dos carros elétricos. Sem dúvida, um reforço considerável para quem quer terminar no topo do pódio.

LMP2; G-DRIVE RACING;
LMP2 da G-Drive Racing para as 24 Horas de Le Mans 2020 (Foto: G-Drive)

Pilotos do carro #26

ROMAN RUSINOV

21 de outubro de 1981 (38 anos), Moscou, Rússia
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 10
Melhor resultado geral: 6º lugar em 2016
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2016

Filho de Alexander Rusinov, antigo participante do Rally Dakar e coorganizador do Raid Paris-Moscou-Pequim em 1992, Roman Rusinov busca o primeiro sucesso nas 24h de Le Mans após a desclassificação técnica da trinca vencedora há dois anos. O piloto de 38 anos começou a carreira nos karts em 1997 e teve uma rápida passagem pelos monopostos antes de ingressar nas provas de Endurance e Grã-Turismo. Disputou várias provas do FIA WEC e foi campeão da classe LMP2 em 2015. Descontada a perda da vitória, seu melhor resultado em La Sarthe é um vice-campeonato na LMP2 em 2016, com um 6º posto na geral.

JEAN-ÉRIC VERGNE

25 de abril de 1990 (30 anos), Pontoise, França
Graduação: Platina
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 7º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 6º lugar na classe LMP2 em 2016

Bicampeão do ABB FIA Fórmula E, certame de carros elétricos no qual esteve presente desde a primeira temporada – mas não em todas as corridas – e com participação em 58 GPs de F1 defendendo a Toro Rosso, o francês Jean-Éric Vergne volta ao Endurance em 2020 com o fim dos compromissos envolvendo a equipe DS Techeetah em meio à Pandemia que atrasou todos os campeonatos e comprometeu o cronograma de provas do European Le Mans Series, ao qual regressou somente por ocasião da Le Castellet 240. O piloto de 30 anos vai para sua quarta participação nas 24h de Le Mans como um dos principais nomes do plantel da divisão.

MIKKEL JENSEN

31 de dezembro de 1994 (25 anos), Aarhus, Dinamarca
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans
Em 2020: 3º colocado do ELMS na classe LMP2 com 36 pontos

Mais um piloto que veio dos monopostos para o Endurance: este é Mikkel Jensen, dinamarquês de 25 anos que passou sem muito brilho pela F3 Europeia e logo conseguiu lugar nas provas de longa duração, disputando em paralelo às aparições na classe LMP3 do European Le Mans Series as provas do ADAC GT Masters e de outros certames periféricos como piloto júnior da marca BMW. Ano passado, levou o título de pilotos da LMP3 pela Eurointernational, cacifando um convite da G-Drive Racing para que dispute as 24h de Le Mans pela primeira vez na carreira.

RACING TEAM NEDERLAND

Sede: Katwijk, Holanda e Saint-Aunès, França
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 3º lugar do WEC na classe LMP2
Vitórias: 1

Presente nas 24h de Le Mans pelo quarto ano seguido e nas competições de Endurance em sua terceira temporada completa – uma no ELMS e duas no FIA WEC, o Racing Team Nederland teve uma mudança substancial em sua estrutura, agora sob a tutela da TDS Racing. Herdaram o equipamento que disputou o Mundial de Endurance do ano passado e o chassi Oreca 07 é, de fato, bastante superior ao Dallara P217 com que competiram no primeiro ano no Mundial. O problema talvez esteja no piloto bronze, o holandês Frits Van Eerd, que não é tão rápido. Só que aí mora outro perigo: ele é ‘o cara’ do dinheiro, o que financia a empreitada. É a velha história: manda quem pode…

LMP2; RACING TEAM NEDERLAND;
LMP2 da Racing Team Nederland para as 24 Horas de Le Mans (Foto: Racing Team Nederland/Twitter)

Pilotos do carro #29

FRITS VAN EERD

25 de junho de 1967 (53 anos), Veghel, Holanda
Graduação: Bronze

Retrospecto no FIA WEC
14 provas
1 vitória
3 pódios
4º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 91 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 11º lugar em 2018
Melhor resultado na categoria: 7º lugar na classe LMP2 em 2018

Empresário, dono da rede de supermercados Jumbo, antigo participante do Rally Dakar e apoiador de Jos e Max Verstappen, Frits Van Eerd é um dos principais gentleman drivers hoje do FIA WEC. Fã inveterado da antiga equipe Minardi de Fórmula 1, mandou decorar o carro na edição passada das 24h de Le Mans com um visual que remetia aos carros da simpática equipe italiana. Em sua segunda temporada no Mundial de Endurance, o piloto de 53 anos vai para a sua quarta participação em La Sarthe. Ano passado, foi 15º colocado na LMP2.

GIEDO VAN DER GARDE

25 de abril de 1985 (35 anos), Rhenen, Holanda
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
16 provas
1 vitória
3 pódios
4º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 91 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 11º lugar em 2018
Melhor resultado na categoria: 7º lugar na classe LMP2 em 2018

Giedo Van der Garde foi defenestrado da Fórmula 1, onde disputou uma única temporadsa pela defunta Caterham e, mesmo após alguns anos afastado, mostrou na última Super Season do Mundial de Endurance que segue veloz e competitivo. É assim o principal piloto da campanha do Racing Team Nederland no FIA WEC.

‘Power Guido’ vai para sua quarta participação em La Sarthe. A melhor performance dele e de Frits Van Eerd foi em 2018, na despedida do veterano Jan Lammers, quando terminaram a prova há dois anos em 11º na geral e sétimo na LMP2. Agora, buscam o pódio para se manter acesos na briga pelo título mundial.

NYCK DE VRIES

6 de fevereiro de 1995 (25 anos), Sneek, Holanda
Graduação: Ouro

Retrospecto no FIA WEC
12 provas
1 vitória
1 pódio

10º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 60 pontos
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 26º lugar em 2019
Melhor resultado na categoria: 15º lugar na classe LMP2 em 2019

O excelente e promissor Nyck De Vries fez barulho no kart e nas categorias de base. Na Fórmula Renault, foi absoluto. Ganhou 16 provas e os títulos europeu e da série Alps. Chegou à F2 após GP3 e World Series e foi campeão. E abraçou depois disso o ABB FIA Fórmula E, como piloto oficial Mercedes e também o FIA WEC, em temporadas parciais com os protótipos, já que a prioridade são os carros elétricos. Por isso, estreou na categoria na Super Season 2018/19 com o campeonato em andamento e nessa temporada 2019/20, não fez todas as provas. Mas guiou muito na única vitória da equipe em Fuji. Vai para sua segunda disputa nas 24h de Le Mans.

DUQUEINE ENGINEERING

Sede: St. Martin de Valgagues (França)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 10º lugar do ELMS na classe LMP2

Com retrospecto bastante recente de participações nas 24h de Le Mans, a Duqueine Engineering é uma organização sediada na região de Gard, nos Alpes Franceses, que hoje reúne tecnologia para a construção de carros de competição – tanto que adquiriu a propriedade intelectual dos chassis Norma, da antiga firma de Norbert Santos. O time chefiado por Gilles Duqueine, Max Favard e Yann Belhomme – os pilares fora da pista – começou sua trajetória em 2014 no FFSA GT, o Campeonato Francês de Grã-Turismo, migrando posteriormente aos protótipos – primeiro na LMP3 e depois com os LMP2.

Esta será a segunda presença do time em La Sarthe. Ano passado, terminaram em 12º na geral e sétimo na categoria. Curiosamente, nenhum dos pilotos de 2019 está na tripulação deste ano.

LMP2; DUQUEINE RACING;
LMP2 da Duqueine Racing para as 24 Horas de Le Mans (Foto: Duqueine Racing/Twitter)

Pilotos do carro #30

JONATHAN HIRSCHI

2 de fevereiro de 1986 (34 anos), St. Imier, Suíça
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 7
Melhor resultado geral: 6º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2018

O versátil suíço Jonathan Hirschi, de 34 anos, vai para sua oitava participação nas 24h de Le Mans, onde já alcançou dois top 10 geral e um pódio na classe LMP2 há dois anos, defendendo a também francesa Graff Racing. Sua carreira de piloto de competição teve início no kart em 2002, quando tinha 16 anos, passando logo em seguida à Fórmula Renault. Depois dos monopostos, desfilou competência nas provas de turismo, Endurance e nos ralis de velocidade e Trophée Andros. Na atual temporada do ELMS, ocupa junto a seus parceiros o 12º lugar entre os pilotos da classe LMP2.

KONSTANTIN TERESCHENKO

17 de junho de 1994 (26 anos), Moscou, Rússia
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: Não completou em 2019
Melhor resultado em categoria: Não completou em 2019

Konstantin Tereschenko está em seu terceiro ano com os protótipos LMP2, após guiar para as equipes AVF by Adrián Valles e Panis-Barthez Competition, migrando em 2020 para a Duqueine Engineering. É rápido, mas muito afoito. Tendo começado a carreira nos karts em 2004, aos dez anos, chegou à Fórmula Renault europeia e também foi campeão da Fórmula Russia em 2012 e da Fórmula 3 Espanhola em 2015, campeonato que disputou em paralelo com o EF Open. Andou também na GP3 Series – sem muito brilho – e foi 8º colocado na World Series, no último ano de existência daquela competição. Estreou nas 24h de Le Mans ano passado pela ARC Bratislava, mas o carro deixou a disputa em decorrência de um acidente.

TRISTAN GOMMENDY

4 de janeiro de 1979 (41 anos), Le Chesnay, França
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 10
Melhor resultado geral: 3º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2014, 2017 e 2018

Mais experiente piloto do trio e com 24 anos de carreira, o veterano francês Tristan Gommendy alcançou ano passado a marca de uma dezena de participações nas 24h de Le Mans, sempre com boas performances. Andou diversas temporadas em monoposto – inclusive venceu o GP de Macau de F3 em 2002, além de guiar na World Series, GP2, ChampCar e Superleague Formula. Em meio a tudo isso, ganhou também o prémio Jean Rondeau de melhor novato nas 24h de Le Mans em 2003, quando guiou um protótipo Dome S101 Judd da Racing For Holland em trinca com Beppe Gabbiani e Felipe Ortiz.

Entrou de vez no Endurance em 2014, divdido entre WEC e ELMS, mas com aparições esporádicas no GT Tour e também no Trophée Andros. Foi ao pódio geral uma vez e três outras na classe LMP2, sempre como 2º colocado. Ano passado, terminou em nono na categoria e 14º geral.

PANIS RACING

Sede: Rouffiac-Tolosan (França)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Goodyear
Em 2020: 5º lugar do ELMS na classe LMP2

A organização que leva o nome do antigo piloto de F1 Olivier Panis, último francês a ganhar antes de Pierre Gasly no recente GP da Itália, perdeu um dos sócios: Fabién Barthez, que estava associado a ele e também a Simon e Sarah Abadie, saiu fora da empreitada, que em 2020 virou apenas Panis Racing.

Cliente da Goodyear, a equipe tem tido bons desempenhos no ELMS neste ano. Chegou em 3º lugar nas 4h de Spa e foi quarta colocada na Le Castellet 240. Para as 24h de Le Mans deste ano, só não contarão com Will Stevens, preso ao compromisso com a Jackie Chan DC Racing no FIA WEC. Seu substituto será Matthieu Vaxivière, que ano passado foi ao pódio na classe LMP2.

LMP2; PANIS RACING;
LMP2 da Panis Racing para as 24 Horas de Le Mans (Foto: FIA WEC)

Pilotos do carro #31

JULIEN CANAL

15 de julho de 1982 (38 anos), Le Mans, França
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 10
Melhor resultado geral: 10º lugar em 2016
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGT1 em 2010 e na classe LMGTE-AM em 2011 e 2012

Um dos pilotos literalmente locais no plantel de inscritos das 24h de Le Mans, Julien Canal é também dos mais bem sucedidos no Endurance entre os de graduação inferior — prata e bronze. Campeão mundial do FIA WEC na LMP2 em 2017 junto com Bruno Senna e também nos anos de 2015 (também na LMP2) e 2012 (LMGTE-AM), tem três vitórias em classes, por três anos consecutivos e mais um pódio em 2015 defendendo a G-Drive Racing. Aos 38 anos, administra várias franquias do McDonald’s na cidade e no entorno do circuito. Vai para sua décima-primeira participação na prova, terceira defendendo a escuderia de Olivier Panis.

NICOLAS ‘NICO’ JAMIN

5 de dezembro de 1995 (24 anos), Rouen, França
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 12º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 7º lugar na classe LMP2 em 2019

Francês de 24 anos, Nico Jamin estreou ano passado nas 24h de Le Mans via Duqueine Engineering – também novata na competição. O resultado foi bem razoável: 12º lugar na geral e sétimo na LMP2. Jamin está em sua terceira temporada no ELMS após uma passagem pelo automobilismo dos EUA e pelas categorias de base em seu país. Na terra de “Tio Sam” venceu a temporada 2015 da USF2000 Championship e teve êxito em diferentes categorias como a Pro Mazda, o Pirelli World Challenge (hoje GT World Challenge America), a IMSA Prototype Challenge e a Indy Lights.

MATTHIEU VAXIVIÈRE

3 de dezembro de 1994 (25 anos), Limoges, França
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 8º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMP2 em 2019

Com duas temporadas completas no FIA WEC e 16 participações, somando dois pódios, o jovem Matthieu Vaxivière vai para sua quarta disputa nas 24h de Le Mans e em busca de mais um top 3 na categoria LMP2. Ano passado, em sua despedida como piloto da TDS Racing, chegou em terceiro. Antes dos desafios nas provas longas, o piloto de 25 anos esteve nos monopostos, tendo iniciado carreira no kartismo em 2005 e passado também pelo Trophée Andros e provas de Mitjet. Foi campeão francês de Fórmula 4 e vice da World Series by Renault em 2015.

HIGH CLASS RACING

Sede: Aalborg, Dinamarca
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 7º lugar do WEC na classe LMP2
Vitórias: nenhuma

A organização dinamarquesa High Class Racing disputa sua primeira temporada no Mundial de Endurance em paralelo com sua quarta participação no European Le Mans Series. Dirigida por Søren Fjørdbach e Peter Utoft, a escuderia quase colocou dois carros na clássica prova francesa pela primeira vez – um deles teria inclusive o veterano Jan Magnussen – mas os planos foram por água abaixo. Desistiram da inscrição, que aliás era da lista de espera, e se concentram no único carro que está no WEC. Desde a prova passada em Spa-Francorchamps a equipe, antes cliente da Goodyear, optou pela troca rumo aos Michelin – algo permitido pelas regras da categoria.

LMP2 HIGH CLASS RACING; WEC; 24 HORAS DE LE MANS;
O LMP2 da High Class Racing para as 24 Horas de Le Mans (Foto: High Class Racing/Twitter)

Pilotos do carro #33

ANDERS FJØRDBACH

4 de novembro de 1990 (29 anos), Aalborg, Dinamarca
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
6 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
12º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 47 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 16º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 11º lugar na classe LMP2 em 2019

Anders Fjørdbach iniciou carreira no automobilismo em 2007 e após uma passagem pelo automobilismo de seu país ingressou em 2013 na Whelen Euro Series, a versão europeia da Nascar. Passou também pelo Blancpain Endurance Series – hoje GT World Challenge Europe – sem muito brilho e foi campeão do VLN Series, o certame de Endurance em Nürburgring. Divide-se neste ano entre o WEC e o ELMS, no qual está há quatro temporadas. Em sua estreia nas 24h de Le Mans, ano passado, terminou num bastante honroso 11º lugar na categoria e décimo-sexto na geral – nem de longe um resultado ruim para uma equipe igualmente estreante na ocasião.

KENTA YAMASHITA

3 de agosto de 1995 (25 anos), Chiba, Japão
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
6 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio12º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 47 pontos

Estreante nas 24h de Le Mans

Atual campeão do Super GT na divisão GT500 em dupla com o também japonês Kazuya Oshima, Kenta Yamashita tem 25 anos e é piloto júnior da Toyota, que pretende investir em sua trajetória no automobilismo internacional. Tanto que o ‘emprestou’, a título de experiência, para pegar a mão de Esporte-Protótipos, defendendo a High Class Racing no Mundial de Endurance na temporada 2019/20. Colaborou com sua experiência prévia em Fuji para dar ao time dinamarquês o melhor resultado no ano com o 4º lugar na categoria e o piloto, que também guia no Super Formula em seu país, faz em 2020 sua estreia nas 24h de Le Mans.

MARK PATTERSON

16 de dezembro de 1951 (68 anos), Port Elizabeth, África do Sul (naturalizado estadunidense)
Graduação: Bronze

Retrospecto no FIA WEC
8 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
12º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 47 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 12º lugar em 2013
Melhor resultado em categoria: 5º lugar na classe LMP2 em 2015

Nascido na África do Sul, o diletante Mark Patterson tinha tudo para quebrar o recorde de Jack Gerber, que aos 68 anos era o mais velho piloto a ter disputado na história as 24h de Le Mans. Ele só não contava com a surpreendente aparição de Dominic Bastien, que náo só correrá a prova de 2020 com um carro do FIA WEC como também vai debutar aos 74 anos na clássica prova francesa!

Empresário – é sócio do MattlinPatterson, especializada no ramo de fundos de investimento e crédito, com lucro próximo de US$ 8.9 bilhões – Mark teve como ‘coach’ no automobilismo, onde iniciou em 2004 aos 53 anos, o brasileiro Oswaldo Negri, com quem competiu na série Grand-Am nos EUA e venceu duas provas.

Vai para sua sétima participação nas 24h de Le Mans e em sua primeira temporada completa do Mundial de Endurance, com resultados até bastante razoáveis em La Sarthe, como o 12º lugar geral em sua estreia há sete anos. Teria disputado a corrida do ano passado pela Algarve Pro Racing, mas uma lesão num acidente noutra corrida o deixou de molho por um bom período.

INTER EUROPOL COMPETITION

Sede: Varsóvia (Polônia)
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 8º lugar do ELMS na classe LMP2

Fundada em 2010, com sede polonesa e comando alemão, a Inter Europol Competition chama a atenção nas 24h de Le Mans deste ano por ser uma das únicas equipes do ELMS na prova a ser cliente da Onroak Automotive – leia-se Ligier – além da Eurasia, que é do Asian Le Mans Series e da Eurointernational, que na verdade vem da LMP3.

A organização comandada por Sascha Fassbender  vai para sua segunda disputa em La Sarthe sabendo que suas chances são bem remotas, mas esperam surpreender. Na recente Le Castellet 240 da série europeia, conseguiram um bastante razoável 6º posto na prova. Ano passado, em Le Mans, tiveram um duro aprendizado: acabaram a disputa em 45º na geral e 16º – e último – lugar entre os times da LMP2 que receberam classificação.

LMP2; 24 HORAS DE LE MANS; INTER EUROPOL;
LMP2 da Inter Europol para as 24 Horas de Le Mans (Foto: Inter Europol)

Pilotos do carro #34

RENÉ BINDER

1º de janeiro de 1992 (28 anos), Innsbruck, Áustria
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 13º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 8º lugar na classe LMP2 em 2019

Sobrinho de Hans Binder, de curta trajetória na F1 durante os anos 1970, o austríaco René Binder era um piloto de pouco ou de nenhum brilho em categorias de base como F3 e GP2 Series até emplacar quatro vitórias pela Lotus Charouz na última temporada da World Series V8 em 2017. Ainda conseguiu fazer algumas corridas na Fórmula Indy, debutou no FIA WEC pela ByKolles e está no ELMS desde o ano passado, primeiro pela Panis-Barthez, pela qual estreou também nas 24h de Le Mans e agora na Inter Europol Competition. Será a segunda aparição do piloto de 28 anos na clássica prova francesa.

JAKUB ‘KUBA’ SMIECHOWSKI

11 de outubro de 1991 (28 anos), Varsóvia, Polônia
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 45º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 16º lugar na classe LMP2 em 2019

Na esteira dos passos do mais famoso compatriota – Robert Kubica – Jakub ‘Kuba’ Smiechowski tem uma trajetória bastante singular no automobilismo. Começou em 2006 nos karts e chegou à Fórmula Renault italiana e europeia. E daí para o BOSS GP, onde foi campeão com um Dallara de GP2 e posteriormente às provas de protótipos como o VdeV Endurance Challenge e o Asian Le Mans Series, do qual foi campeão de pilotos da LMP3 em 2018/19, além do ELMS. Ano passado, foi vítima do difícil aprendizado da equipe em Le Mans e espera ter melhor sorte desta vez.

MATEVOS ISAAKYAN

17 de abril de 1998 (22 anos), Moscou
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado: Não completou em 2018
Melhor resultado: Não completou na classe LMP1 em 2018

Integrante do programa júnior de pilotos russos apoiados pelo SMP Bank de Boris Rotemberg, Matevos Isaakyan teve seu primeiro contato com o automobilismo internacional em 2013 na F4 Francesa. De campanha irregular por onde passou, a despeito do vice-campeonato no último ano da World Series V8, o jovem de 22 anos pegou fama de desastrado e propenso a acidentes. Bateu forte em sua única participação nas 24h de Le Mans, há dois anos, sem contar um acidente monumental na abertura do campeonato em Spa-Francorchamps. Fez apenas quatro corridas pelo FIA WEC na supertemporada 2018/19, abandonando em todas. Como efeito, foi dispensado pela SMP Racing, andou na F2 como substituto de Juan Manuel Correa na Charouz e agora defende a Inter Europol Competition no ELMS e nesta edição das 24h de Le Mans.

EURASIA MOTORSPORT

Sede: Sepang (Malásia)
Carro: Ligier JS P217
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 3º lugar do AsLMS na classe LMP2

Participante da última temporada do Asian Le Mans Series com dois protótipos LMP2, a Eurasia Motorsport regressa para sua terceira participação nas 24h de Le Mans, tendo disputado a corrida em 2016 – quando esteve no ELMS – e também no ano seguinte. O time de bandeira filipina, agora com sede física em Sepang, contígua à pista malaia, terminou aquela competição em 3º lugar e o ACO pré-selecionou um carro para a disputa de 2020.

Como preparação, fizeram as 6h de Spa-Francorchamps do FIA WEC e o desempenho da equipe não foi dos melhores. O time foi bastante afetado por conta da pandemia do Covid-19 e os planos iniciais contemplavam contar com Nick Cassidy, estrela do automobilismo japonês e com o super veloz Shane Van Gisbergen. Acontece que nenhum dos dois estará disponível: Roberto Mehri, que já esteve na F1, assumiu uma das vagas e Nick Foster, australiano que disputou as provas finais do Jaguar eTrophy, a outra.

LMP2; EURASIA MOTORSPORT; 24 HORAS DE LE MANS;
Protótipo LMP2 da Eurasia Motorsports pronto para as 24 Horas de Le Mans (Foto: Eurasia/Facebook)

Pilotos do carro #35

NOBUYA YAMANAKA

13 de fevereiro de 1960 (60 anos), Japão
Graduação: Bronze
Estreante nas 24h de Le Mans

Aos 60 anos, o diletante oriental Nobuya Yamanaka marca presença nas 24h de Le Mans pela primeira vez. Com experiência de menos de três anos no automobilismo e apenas duas provas no AsLMS, fora a participação nas 6h de Spa-Francorchamps, seu desempenho em La Sarthe tende a ser uma grande incógnita. Seu único pódio na carreira foi com um LMP3 na temporada 2018/19 do Asian Le Mans Series. Difícil prever o que o japonês fará.

ROBERTO MEHRI

22 de março de 1991 (29 anos), Castellón, Espanha
Graduação: Platina
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: não completou em 2016
Melhor resultado em categoria: não completou em 2016

Com passagem por várias categorias do automobilismo internacional e mundial, incluindo a F1, onde defendeu sem muito sucesso a Manor Marussia, além de desempenhar o papel de test-driver da Caterham, o espanhol Roberto Mehri é um autêntico andarilho do esporte. Aos 29 anos, já guiou de tudo. Seu único título em 14 anos de pista foi na F3 europeia em 2011. Também foi 3º colocado de pilotos na World Series V8 e no Asian Le Mans Series, na temporada 2019/20. Não estaria na relação de inscritos das 24h de Le Mans, prova que disputou uma única vez (e não terminou, aliás) há quatro anos. Foi confirmado pela Eurasia porque Shane Van Gisbergen não pôde participar.

NICHOLAS ‘NICK’ FOSTER

13 de janeiro de 1992 (28 anos), Brisbane, Austrália
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 38º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 10º lugar na classe LMGTE-AM em 2017

O experiente australiano Nick Foster, de 28 anos, tem bagagem em provas de Grã-Turismo e Endurance, adquirida depois de um início de carreira nos monopostos, contemplando Fórmula Ford e F3 em seu país. Passou por Porsche Carrera Cup, disputou várias edições das 12h de Bathurst, o Blancpain GT Asia – agora GT World Challenge Asia – e também o Jaguar I-Pace e-Trophy, dando muito trabalho nas etapas finais em Berlim a Cacá Bueno e Sérgio Jimenez — principalmente este. Já esteve no FIA WEC via Gulf Racing, tendo disputado o campeonato completo em 2017. E tem no currículo uma aparição nas 24h de Le Mans, com o 10º lugar na classe LMGTE-AM como melhor resultado.

SIGNATECH ALPINE ELF

Sede: Bourges (França)
Carro: Alpine A470 (Oreca 07)}
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 6º lugar do WEC na classe LMP2
Vitórias: 7

Atual bicampeã das 24h de Le Mans na classe LMP2 e detentora do título mundial de equipes na supertemporada 2018/19, a Signatech Alpine Elf vive sua pior temporada desde que ingressou no FIA WEC. E olha que a equipe de Philippe Sinault e Didier Calmels — aquele mesmo, sócio da Larrousse na F1 — não mudou nada na parte técnica.

Mas algumas coisas não se encaixaram ao longo do campeonato 2019/20 e, junte-se a isso, o enorme acidente de Thomas Laurent nas 6h de Spa-Francorchamps, justamente quando os azuis faziam sua melhor apresentação na temporada. O time francês vê na edição 2020 das 24h de Le Mans a possibilidade de salvação de um ano até aqui quase perdido. E nada como correr em casa para recuperar o moral.

E para 2021, surpresa: a Alpine decidiu passar à classe LMH. Num primeiro momento de transição de regulamento, seguirão permitidos os LMP1 sem sistemas híbridos, e o Rebellion R13 será usado pela equipe francesa para representar a lendária marca fundada por Jean Rédélé na turma de cima no próximo Mundial de Endurance — num movimento claro de entrada nas regras LMDh, convergentes com os hipercarros. Os franceses piram: Alpine e Peugeot, juntas, no mesmo grid, na mesma categoria, em 2022!

LMP2; SIGNATECH ALPINE ELF; WEC;
LMP2 da Signatech Alpine Elf para o Mundial de Endurance (Foto: Alpine Cars)

Pilotos do carro #36

ANDRÉ NEGRÃO

17 de junho de 1992 (28 anos), Campinas (São Paulo), Brasil
Graduação: Ouro

Retrospecto no FIA WEC
22 provas
3 vitórias
14 pódios
9º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 64 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 4º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP2 em 2018 e 2019

Quarto colocado do Mundial em seu primeiro ano no Endurance e posteriormente campeão da LMP2 na supertemporada 2018/19, com direito a duas vitórias na mais importante prova longa do planeta, o brasileiro André Negrão, de 28 anos, foi uma grata surpresa da modalidade após uma carreira de altos e baixos nos monopostos, onde competiu nos EUA e Europa, sem alcançar grandes performances. De família de pilotos — o tio Xandy e o primo Xandinho, além do pai Guto Negrão – ‘Deco’ começou a carreira no kart, passando por Fórmula Renault, F3 e World Series, até passar por GP2 e Indy Lights. Está no FIA WEC desde 2017 e vai para sua quarta participação nas 24h de Le Mans.

PIERRE RAGUES

10 de janeiro de 1984 (36 anos), Caen, França
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
32 provas
Nenhuma vitória
8 pódios
9º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 64 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 12
Melhor resultado geral: 4º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMP2 em 2008 e 2017

Apesar de ser o mais experiente piloto do trio do #36 com 12 participações prévias nas 24h de Le Mans e 32 provas disputadas no Mundial de Endurance por diversas equipes, incluindo uma passagem na LMGTE-AM, o francês Pierre Ragues tem sido o elo mais fraco da tripulação da Signatech Alpine Elf na temporada 2019/20. A inconsistência de seus desempenhos contribuiu para que a escuderia francesa não tivesse mais qualquer chance de brigar pelo título e a salvação para o campeonato seria tentar o tricampeonato consecutivo nas 24h de Le Mans. Em La Sarthe, Ragues tem dois pódios, ambos na classe LMP2 e como 3º colocado. De carreira direcionada às provas longas desde 2006, o piloto de 36 anos iniciou no kart e teve também uma passagem pela Fórmula Campus, categoria francesa de base do automobilismo.

THOMAS LAURENT

5 de abril de 1998 (22 anos), La Roche sur Yon, França
Graduação: Ouro

Retrospecto no FIA WEC
23 provas
4 vitórias
11 pódios
9º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 64 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 2º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP2 em 2017

Thomas Laurent foi uma das mais gratas surpresas a surgir no Endurance mundial nos últimos anos. Francês de 22 anos, teve ótima performance como kartista, ganhando títulos locais e internacionais, como a Super Cup do CIK-FIA na classe KZ2 em 2015. E logo chegou às provas de longa duração, sem passar sequer pelos monopostos. Foi vice-campeão de pilotos do AsLMS na LMP3 em seu primeiro ano e o desempenho mostrado chamou a atenção de David Cheng, que lhe confiou um LMP2 de sua equipe em sociedade com Jackie Chan.

Laurent foi espetacular em sua primeira temporada no FIA WEC, ganhando as 24h de Le Mans em sua categoria e levando o vice-campeonato de pilotos — o que lhe fez cair nas graças da Toyota, que o alocou na última Super Season na Rebellion Racing. Mas aí as coisas mudaram para 2019/20 e o piloto está agora na LMP2 via Signatech Alpine Elf, para disputar sua quarta prova em La Sarthe.

JACKIE CHAN DC RACING

Sede: Frant, Kent (Inglaterra)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Goodyear
Em 2019/20: 2º lugar do WEC na classe LMP2
Vitórias: 8

Participante do FIA WEC desde 2016, primeiro em parceria técnica com a Signatech e a partir de 2017 com a estrutura britânica da Jota Sport, a Jackie Chan DC Racing é uma parceria entre o antigo piloto sino-estadunidense David Cheng e o ator Jackie Chan, notório por seus filmes ‘tiro-porrada-e-bomba’. E consolidou-se como uma das forças do Endurance na classe LMP2.

Campeã das 24h de Le Mans em 2017 e vice mundial nas duas últimas temporadas, a escuderia está pelo terceiro ano seguido na briga pelo título. Mesmo sem vitórias, a organização ainda está viva na batalha e os pilotos têm como principal objetivo levar a decisão da temporada 2019/20 para a última corrida em novembro, no Bahrein.

LMP2; TEAM JOTA; WEC;
O protótipo LMP2 da Jackie Chan no Mundial de Endurance (Foto: Jackie Chan DC Racing/Twitter)

Pilotos do carro #37

GABRIEL AUBRY

3 de abril de 1998 (22 anos), St. Germain-en-Laye, França
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
13 provas
3 vitórias
10 pódios
5º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 90 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado geral: 7º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2019

Um dos únicos pilotos do Mundial de Endurance a testar positivo para Covid-19 durante o período da volta da competição na Pandemia, o francês Gabriel Aubry já se encontra recuperado e apto para disputar sua terceira prova nas 24h de Le Mans. Em sua segunda temporada no FIA WEC, pretende ajudar Ho-Pin Tung e Will Stevens a ultrapassar os rivais líderes da United Autosports, já que como não competiu nas 6h de Spa-Francorchamps, perdeu suas chances. Em duas presenças em La Sarthe, contabiliza dois top 10 geral e um pódio, como 2º colocado da classe LMP2 ano passado, na trinca com Tung e o monegasco Stéphane Richelmi.

HO-PIN TUNG

4 de dezembro de 1982 (37 anos), Velp, Holanda (naturalizado chinês)
Graduação: Ouro

Retrospecto no FIA WEC
40 provas
6 vitórias
16 pódios
3º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 98 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 7
Melhor resultado geral: 2º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP2 em 2017

Nascido na Holanda e com dupla nacionalidade, já que os traços orientais não deixam mentir a ascendência chinesa, Ho-Pin Tung é um dos pilotos mais bem-sucedidos com a licença do país oriental no automobilismo. Começou a carreira no kart em 1997 e em 2001 teve sua primeira experiência em monopostos via Fórmula Ford no Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo). Após experiências pouco frutíferas com monopostos, entrou de cabeça no Endurance em 2013, fazendo naquele ano a primeira de sete participações nas 24h de Le Mans. Duas vezes campeão do AsLMS nas classes LMP2 e LMP3, venceu em La Sarthe na LMP2 em 2017 – quando foi segundo na geral – e tem dois pódios na categoria.

WILLIAM ‘WILL’ STEVENS

28 de junho de 1991 (29 anos), Rochford, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
13 provas
3 vitórias
8 pódios
3º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 98 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado geral: 6º lugar em 2016
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-AM em 2017

Mais conhecido do público pela passagem obscura que teve na F1 do que por seus resultados em qualquer outra categoria, o britânico Will Stevens, de 29 anos, chega à sua quinta participação nas 24h de Le Mans tentando alcançar o terceiro pódio em Sarthe. Foi segundo na LMP2 na estreia em 2016 e campeão da LMGTE-AM no ano seguinte via JMW Motorsport. Após dois anos na Panis-Barthez, voltou ao Mundial de Endurance pela Jackie Chan DC Racing para uma temporada completa e tem se saído bem.

Stevens, que tem 20 GPs disputados por Marussia e Caterham no currículo, fez a escadinha da base do automobilismo a partir de 2008 na Fórmula Renault. Passou também pela World Series V8 e, após a F1, concentrou-se em provas de Grã-Turismo e Endurance. Fez várias temporadas do hoje GT World Challenge Europe e em 13 provas pelo FIA WEC, tem três vitórias e oito pódios, sempre com protótipos LMP2.

JOTA SPORT

Sede: Frant, Kent (Inglaterra)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Goodyear
Em 2019/20: 4º lugar do WEC na classe LMP2
Vitórias: 1

Estrutura britânica comandada por David Clark e Sam Hignett, além de Simon Dolan, a Jota Sport já esteve várias vezes na disputa das 24h de Le Mans e do ELMS com relativo sucesso, ingressando no primeiro ano com seu nome verdadeiro no FIA WEC, sem apenas ceder a estrutura como faz à Jackie Chan DC Racing desde 2017.

Desde 2005, já são 13 participações nas 24h de Le Mans – contando as parcerias com a G-Drive e a atual – tendo como ponto alto a vitória em 2014 e mais um pódio no ano seguinte. Cliente Goodyear, a escuderia tem um trio bastante forte de pilotos, onde se destacam um antigo nome da Toyota e o atual campeão do ABB FIA Fórmula E.

LMP2; JACKIE CHAN RACING;
O LMP2 da Jota Sport para mais uma edição das 24h de Le Mans (Foto: Jota Sport/Twitter)

Pilotos do #38

ROBERTO GONZÁLEZ

31 de março de 1976 (44 anos), Cidade do México, México
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
26 provas
2 vitórias
7 pódios
6º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 89 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 9º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 5º lugar na classe LMP2 em 2018

Irmão do antigo piloto do Mundial de Endurance e também organizador das 6h do México Ricardo González, Roberto González está em seu terceiro campeonato seguido no FIA WEC pela terceira equipe diferente. Após passar por Manor e DragonSpeed, fechou com a Jota Sport para ser o piloto de graduação prata do time britânico.

Aos 44 anos, González começou no kart em 1989, tendo passagens pela F3 de seu país, Indy Lights Panamericana, World Series V8 e também na ChampCar (Fórmula Indy), além de aparições esporádicas no American Le Mans Series. Estreou no WEC em 2012 nas 6h de São Paulo, substituindo o irmão na Greaves Motorsports, com um 5º lugar naquela prova entre os LMP2. Em três participações nas 24h de Le Mans, tem um top 10 geral e um top 5 de classe como melhor resultado.

ANTONIO FÉLIX DA COSTA

31 de agosto de 1991 (29 anos), Lisboa, Portugal
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
14 provas
1 vitória
4 pódios
6º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 89 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado geral: 30º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 11º lugar na classe LMGTE-PRO em 2019

Recém-consagrado campeão do ABB FIA Fórmula E numa temporada impecável defendendo a DS Techeetah, o português Antonio Félix da Costa vai com moral elevada para sua terceira presença nas 24h de Le Mans  – e há quem o aponte com chances de ser piloto oficial Peugeot no projeto Hypercars a partir de 2022.

O lisboeta de 29 anos faz sua primeira temporada com protótipos e conseguiu uma vitória na LMP2 durante as 4h de Xangai e outros dois pódios. Na LMGTE-PRO, onde defendeu a BMW via MTEK de Ernst Knoors, foi parceiro de Augusto Farfus. Félix da Costa tem o apelido de “Rei de Macau”, pois venceu duas vezes provas de F3 no Circuito da Guia, em 2012 e 2016, ambas pela Carlin.

ANTHONY DAVIDSON

18 de abril de 1979 (41 anos), Hemel Hempstead, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
52 provas
12 vitórias
24 pódios
7º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 79 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 11
Melhor resultado geral: 2º lugar em 2013
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP1 em 2013

Em quase 25 anos de carreira, o britânico Anthony Davidson, de 41 anos, correu de praticamente tudo. Começou nos karts e fez a escalada de monopostos até a F1, onde foi test driver da BAR e disputou 24 GPs por Minardi, BAR e Super Aguri, contudo sem marcar pontos. A partir de 2010, militou no Endurance, tendo servido à Peugeot e posteriormente contratado pela Toyota para competir pela marca oriental. Foi campeão do FIA WEC em 2014 e teve sua melhor temporada na competição em 2017, com cinco vitórias, contudo sem levar o título.

Mesmo com um retrospecto muito bom defendendo a Toyota, não permaneceu na marca e foi liberado para competir na LMP2, estreando em temporada parcial ano passado pela DragonSpeed e agora defende o Team Jota. Vai para sua 12ª participação nas 24h de Le Mans, onde estreou em 2003 com uma Ferrari 550 LMGT1 dividida com os compatriotas Kelvin Burt e Darren Turner. Foi ao pódio duas vezes e o 2º lugar em 2013 ainda é seu melhor resultado.

SO24-HAS BY GRAFF

Sede: Morangis (França)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 3º lugar do ELMS na classe LMP2 e 7º lugar na LMP3

A Graff Racing é uma das mais tradicionais escuderias francesas do Endurance internacional. Fundada por Jean-Philippe Grand, disputou a clássica prova francesa sob a antiga direção em onze oportunidades entre 1980 e 1993 – e, por muitos anos, especializou-se em preparação de modelos de Fórmula Ford, F3 e Superturismo, ganhando também o GP de Macau de 1997.

Em 2013, Pascal Rauturier e Éric Trouillet reformularam a escuderia, migrando do FFSA GT para as provas de longa duração. Desde então, mantém uma participação regular no ELMS e mesmo no AsLMS, além de três aparições seguidas nas 24h de Le Mans entre os protótipos LMP2, tendo tido um pódio em 2018 com um 2º lugar como recompensa, após a desclassificação da G-Drive Racing. Ano passado, a Graff foi 9ª colocada nas 24h de Le Mans em sua categoria e terceira no ELMS. Para mais esta edição em La Sarthe, a escuderia repete a parceria com o grupo Societé Objectif 24 (SO24), que encaixa entre os titulares o local Vincent Capillaire.

LMP2; GRAFF RACING; LE MANS;
O LMP2 da Graff está pronto para acelerar em Le Mans (Foto: Graff)

Pilotos do carro #39

JAMES ALLEN

4 de julho de 1996 (24 anos), Perth, Austrália
Graduação: Ouro
Participações nas 24h de Le Mans: 2
Melhor resultado geral: 6º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 5º lugar na classe LMP2 em 2017

De volta à Graff após defender a DragonSpeed no ELMS, o australiano James Allen, de 24 anos, está confirmado para sua terceira participação nas 24h de Le Mans após a ausência na última edição. Kartista de relativo sucesso na carreira, esteve alguns anos na Fórmula Renault até a estreia em La Sarthe, conquistando logo de cara o sexto posto geral e o quinto na classe em parceria com Franck Matelli e Richard Bradley. No ano seguinte, esteve no carro alinhado em parceria com a G-Drive Racing, mas que não completou a disputa. Em 2019, venceu uma prova do ELMS pela DragonSpeed e na atual temporada colabora com a Graff, terceira colocada da LMP2.

VINCENT CAPILLAIRE

4 de fevereiro de 1976 (44 anos), Le Mans, França
Graduação: Prata
Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 6º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2018

Piloto-instrutor da escola de pilotagem existente em Le Mans e um dos três pilotos da prova nascidos na região de La Sarthe, Vincent Capillaire ainda é lembrado por ter sido o protagonista de um incidente que ‘matou’ a chance da Toyota chegar à sua primeira vitória na edição de 2017 das 24h de Le Mans. Na época, usando um macacão de cor semelhante à dos comissários de pista, quando defendia a Algarve Pro Racing, confundiu a cabeça de Kamui Kobayashi fazendo um ‘joinha’. Daí o japonês, que liderava absoluto, não saiu do pit-lane com o motor elétrico do carro ligado, provocando uma pane geral e o abandono do carro híbrido.

Apesar da situação incômoda na época, Capillaire é um piloto de razoáveis desempenhos entre os semiprofissionais nas 24h de Le Mans, que já disputou seis vezes. Tem três top 10 na geral, um pódio como 2º colocado em 2018 e ano passado fechou a disputa em 14º na geral e nono na LMP2. Neste ano, está na temporada do ELMS entre os pilotos da LMP3.

CHARLES MILESI

4 de março de 2001 (19 anos), Chaumont-la-Ville, França
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans

Com apenas 19 anos de idade, o francês Charles Milesi foi escolhido por Pascal Rauturier para ocupar o posto de terceiro piloto da Graff Racing, como substituto de Alexandre Cougnaud, que em princípio seria uma escolha óbvia por ser titular do carro no ELMS. Mas como nada é óbvio no esporte a motor, Charles – que disputaria a Super Formula japonesa este ano e foi impedido de entrar no país por conta da Pandemia do Covid-19, fará sua estreia nas 24h de Le Mans.

Kartista até 2016, estreou no automobilismo via Fórmula Renault, disputando também a Fórmula 4 de seu país e a Toyota Racing Series, na Oceania. Ano passado, foi 9º colocado da F3 japonesa, seguindo os passos do compatriota Sacha Fenestraz.

COOL RACING

Sede: Éteaux (França)
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 5º lugar do WEC na classe LMP2
Vitórias: 1

Formada há pouco mais de três anos, a equipe Cool Racing tem base na França e bandeira suíça. Comandada por Patrick e Herminie Barbier, tem como diretor esportivo o antigo piloto Iradj Alexander-David, que já esteve nas 24h de Le Mans dentro do cockpit. A edição de 2020 marca a estreia da equipe em La Sarthe e também na Super Season do FIA WEC, que o time disputa em paralelo com o ELMS e a Michelin Le Mans Cup.

LMP2; COOL RACING; 24 HORAS DE LE MANS;
A Cool Racing apresentou as cores do seu LMP2 para Le Mans (Foto: Cool Racing)

Pilotos do carro #42

ANTONIN BORGA

21 de setembro de 1987 (33 anos), Vergeletto, Suíça
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
6 provas
1 vitória
2 pódios
8º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 79 pontos

Estreante nas 24h de Le Mans

Aniversariando no dia seguinte à sua estreia nas 24h de Le Mans, o helvético Antonin Borga completa 33 anos. Nascido em Vergeletto, ele é empresário e apaixonado por automobilismo. Começou a carreira ainda jovem, há 12 anos, em provas de Fórmula Renault, passando posteriormente ao VdeV Endurance e ao European Le Mans Series, primeiro com os LMP3 da Duqueine Engineering, equipe em que fez provas também do Michelin Le Mans Cup. Ano passado, estreou na LMP2 na série ELMS com dois pódios e ajudou a Cool Racing a terminar em 7º lugar na classificação. No WEC, já soma uma vitória e mais um pódio em seis corridas disputadas.

NICOLAS LAPIERRE

2 de abril de 1984 (36 anos), Thonon-les-Baines, França (naturalizado suíço)
Graduação: Platina

Retrospecto no FIA WEC
51 provas
15 vitórias
35 pódios
8º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 79 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 12
Melhor resultado geral: 3º lugar em 2014
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP2 em 2015, 2016, 2018 e 2019

Quatro vezes vencedor das 24h de Le Mans em categorias, bicampeão mundial de pilotos da LMP2 em 2016 e na Super Season 2018/19: o currículo de Nicolas Lapierre em provas longas é um dos mais alentados entre os 180 inscritos na maior prova longa do mundo. O piloto de 36 anos, que até 2009 ainda tentava a carreira nos monopostos, deu uma guinada na vida ao competir de Esporte-Protótipos primeiro com o Team Oreca e depois com a Peugeot, até o contrato assinado com a Toyota em 2012 — ano em que deu à marca nipônica sua primeira vitória no Endurance em 20 anos — e no Brasil, na disputa das 6h de São Paulo.

Tido como difícil e temperamental, Lapierre é extremamente comprometido e competente no que faz. A prova disso são seus resultados não só em La Sarthe como no FIA WEC, com 15 vitórias e 35 subidas ao pódio em 51 provas que disputou. No ELMS, serviu às equipes G-Drive e DragonSpeed, antes da Cool Racing, optando por esta para dar sequência na sua campanha no Mundial de Endurance na temporada 2019/20.

ALEXANDRE COIGNY

16 de agosto de 1975 (45 anos), Suíça
Graduação: Bronze

Retrospecto no FIA WEC
5 provas
Nenhuma vitória
1 pódio
11º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 54 pontos

Estreante nas 24h de Le Mans

O diletante suíço Alexandre Coigny faz sua estreia nas 24h de Le Mans amparado por uma razoável campanha com a Cool Racing na temporada 2019/20 do FIA WEC. Ausente justamente na corrida onde Borga e Lapierre venceram, tem como melhor performance o 2º lugar nas 6h de Spa-Francorchamps. O piloto de 45 anos iniciou a carreira há cinco nas provas do Funyo e do Endurance Challenge do VdeV, posteriormente migrando para o 24h Series da Creventic e a Michelin Le Mans Cup, antes do European Le Mans Series, onde corre desde 2017, primeiro com LMP3 e agora com LMP2.

CETILAR RACING

Sede: Piacenza, Emilia-Romagna (Itália)
Carro: Dallara P217
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 8º lugar do WEC na classe LMP2

Antes alinhado sob supervisão da Villorba Corse de Raimondo Amadio, o único Dallara P217 inscrito no FIA WEC e também nas 24h de Le Mans deste ano passou à inteira responsabilidade da equipe técnica da AF Corse, sob a chefia do experiente Philippe Dumas. A Cetilar Racing paga assim o preço por sua escolha, sendo entre as oito tripulações LMP2 full season do Mundial de Endurance a que tem os piores resultados da temporada. Ano passado, sob a administração antiga, chegaram em 18º na geral e 13º na LMP2.

LMP2; CETILAR RACING; MUNDIAL DE ENDURANCE;
O protótipo LMP2 da Cetilar Racing para o Mundial de Endurance (Foto: Cetilar Racing/Twitter)

Pilotos do carro #47

ROBERTO LACORTE

25 de junho de 1968 (52 anos), Cascina, Itália
Graduação: Bronze

Retrospecto no FIA WEC
6 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
13º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 40 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 9º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 7º lugar na classe LMP2 em 2017

O diletante italiano Roberto Lacorte, de 52 anos, não é só um entusiasta do automobilismo, no qual compete desde 2010. Ele é o presidente do Iate Clube Repubblica Marinara di Pisa e foi campeão mundial Offshore e da categoria Maxiyacht, nos barcos. Em quatro rodas, estreou no campeonato local de Turismo Endurance com uma Alfa Romeo 147 GTA e desde 2015 participa de provas internacionais começando primeiro no ELMS e desaguando no FIA WEC. Estreou há três anos nas 24h de Le Mans com um belo top 10 geral e sétimo na categoria.

GIORGIO SERNAGIOTTO

28 de julho de 1982 (38 anos), Asolo, Itália
Graduação: Prata

Retrospecto no FIA WEC
6 provas
Nenhuma vitória
Nenhum pódio
13º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 40 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 9º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 7º lugar na classe LMP2 em 2017

Kartista no início da carreira e vencedor da lendária Escola de Pilotagem Henry Morrogh, que revelou, entre outros, Eddie Cheever, Giorgio Sernagiotto foi bicampeão italiano de Fórmula Ford e após a passagem pelos monopostos, começou a disputar provas monomarca do Ferrari Challenge, com dois títulos da categoria. Esteve também no Trofeo Maserati e no VdeV Endurance Challenge até a passagem junto com Roberto Lacorte ao ELMS desde 2015, correndo junto ao compatriota desde então.

ANDREA BELICCHI

18 de setembro de 1976 (43 anos), Parma, Itália
Graduação: Ouro

Retrospecto no FIA WEC
28 provas
Nenhuma vitória
1 pódio
13º colocado da temporada 2019/20 no FIA Endurance Trophy LMP2 com 40 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 10
Melhor resultado geral: 9º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 7º lugar na classe LMP1 em 2012 e na LMP2 em 2017

O experiente Andrea Belicchi completou uma dezena de presenças nas 24h de Le Mans e está de volta ao Mundial de Endurance após sua passagem anterior entre 2012 e 2014 na LMP1 pela Rebellion Racing. Após seu período no FIA WEC, competiu no TCR italiano com a Target Competiition, voltando às pistas via Cetilar Villorba Corse no ELMS. Antes do Endurance, Belicchi foi kartista e competiu de monoposto muito tempo na Fórmula Nissan, ganhando títulos de campeonatos insólitos de F3 como na Rússia e Finlândia.

RICHARD MILLE RACING

Sede: Bourges, França
Carro: Oreca 07
Motor: Gibson GK428 4,2 L V8 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2020: 6º lugar do ELMS na classe LMP2

A Richard Mille Racing é o nome fantasia da equipe que leva o nome do presidente do Comitê de Endurance da FIA e também dono de uma relojoaria suíça de luxo fundada em sociedade com Dominique Guénat, em 2001. Em parceria com a Signatech de Philippe Sinault, inscreveu um carro para o ELMS e para a disputa das 24h de Le Mans com uma motivação bastante singular: uma tripulação LMP2 só de mulheres.

A ideia ótima foi prejudicada na pré-temporada de 2020, adiada por conta da pandemia do Covid-19. Nos dias de testes coletivos em Paul Ricard, um acidente provocou fraturas na britânica Katherine Legge, que por sua experiência prévia foi contratada para ser a piloto principal do time. Sem seu referencial, a escuderia teve de lançar mão de André Negrão em duas etapas do ELMS e na recente prova da Bélgica testou e aprovou a holandesa Beitske Visser, confirmada dias antes das 24h de Le Mans como a substituta de Legge a bordo do carro #50.

LMP2; RICHARD MILLE; LE MANS;
A Richard Mille Racing vai contar com um line-up todo feminino para Le Mans (Foto: Richard Mille)

Pilotas do carro #50

TATIANA ‘TATI’ CALDERÓN

10 de março de 1993 (27 anos), Bogotá, Colômbia
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans
Em 2020: 8ª colocada do ELMS na classe LMP2 com 18 pontos

Nascida numa família do ramo de venda de automóveis em seu país, Tatiana Calderón começou nos karts aos nove. Progrediu dos micromonopostos, onde ganhou títulos na Colômbia e nos EUA, até a estreia na Star Mazda Championship em 2010, aos 17. A partir daí, disputou as mais diversas categorias na Europa e América do Norte, com o vice-campeonato do MRF Challenge Formula 2000 como ponto alto da carreira. Esteve na GP3 Series, EF Open, World Series V8 e Fórmula 2. Testou também na Fórmula E e foi pilota de desenvolvimento da Sauber (hoje Alfa Romeo) na Fórmula 1.

Em 2020, Calderón estreou no Super Formula pela equipe Three Bond Drago Corse e, em paralelo, está na disputa do ELMS com a Richard Mille Racing, ocupando o 8º lugar do campeonato após três provas. Faz sua estreia nas 24h de Le Mans.

SOPHIA FLÖRSCH

1º de dezembro de 2000 (19 anos), Grünwald, Alemanha
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans
Em 2020: 21ª colocada do ELMS na classe LMP2 com 0,5 ponto; temporada parcial da FIA Fórmula 3 pela Campos Racing

Há dois anos, quando disputava o GP de Macau, Sophia Flörsch foi protagonista de um dos mais aterradores acidentes dos últimos anos no automobilismo mundial, numa colisão a uma velocidade superior a 250 km/h. Incrivelmente, a menina nascida em Grünwald, na Alemanha, há 19 anos, sobreviveu. E deu sequência à sua carreira de pilota de competição iniciada em 2009, aos nove aninhos, nos karts.

Sophia competiu também no Ginetta Junior Challenge e na Fórmula 4 alemã e italiana, antes de participações no Europeu de F3 e na Fórmula Regional Europe, terminando o campeonato do ano passado em 7º lugar. Neste ano, fez um contrato para disputar a F3 FIA pela Campos Racing e assinou com a Richard Mille Racing no ELMS. A pandemia fez com que a alemã corresse apenas na Le Castellet 240, como preparativo para sua estreia nas 24h de Le Mans.

BEITSKE VISSER

10 de março de 1995 (25 anos), Dronten, Holanda
Graduação: Prata
Estreante nas 24h de Le Mans
Em 2020: 15ª colocada do ELMS na classe LMP2 com 8,5 pontos

A holandesa Beitske Visser foi confirmada como a substituta de Katherine Legge a menos de duas semanas para a disputa da 88ª edição das 24h de Le Mans. Pelo menos, a pilota de 25 anos ganhou horas de voo a bordo do Oreca 07 da Richard Mille Racing, tendo terminado em 6º lugar nas 4h de Spa-Francorchamps e em décimo-primeiro na Le Castellet 240.

Mesmo sem participações espetaculares na World Series V8 e GP3, ela conseguiu um contrato de piloto júnior da BMW, tendo feito provas do Europeu de GT4 e do International GT Open com os carros do fabricante da Baviera. Foi também vice-campeã da W Series, categoria criada somente para as mulheres. Infelizmente, a temporada 2020 foi cancelada em virtude da pandemia, e a competição só retorna em 2021. Visser estreia, assim como suas colegas, nas 24h de Le Mans deste ano.

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect