Siga-nos

Guia 24 Horas de Le Mans 2020

EQUIPES E PILOTOS LMGTE-PRO

O GRANDE PREMIUM detalha todas as equipes e pilotos da classe LMGTE-PRO do Mundial de Endurance para as 24 Horas de Le Mans de 2020

AF CORSE

Sede: Piacenza, Emilia Romagna (Itália)
Carro: Ferrari 488 GTE EVO
Motor: Ferrari F142 4 litros V8 biturbo
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 3º lugar no FIA WEC na LMGTE-PRO
Vitórias: 24

Impossível dissociar AF Corse de Ferrari quando o assunto é Grã-Turismo, Endurance e 24h de Le Mans. A organização de Amato Ferrari – inclusive, sem qualquer parentesco com o velho Enzo a não ser o sobrenome – busca na edição de 2020 da clássica corrida francesa sua quarta vitória na categoria LMGTE-PRO. Ano passado, a equipe triunfou no ano do 70º aniversário da estreia de Maranello em La Sarthe, com uma das trincas que estará mais uma vez na disputa desta vez. A AF Corse também visa atingir a marca de 25 vitórias na divisão principal dos carros derivados de modelos de série no WEC.

Ferrari #51 AF Corse (Foto: FIA WEC/John Rourke/AdrenalMedia.com)

ALESSANDRO “ALE” PIER GUIDI

18 de dezembro de 1983 (36 anos), Tortona, Itália
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
26 provas
6 vitórias
12 pódios
3º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 95 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado geral: 20º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2019

O italiano Alessandro Pier Guidi, de 36 anos, foi um dos beneficiados com a saída de Gianmaria Bruni do posto de piloto Ferrari em Grã-Turismo. Ascendeu ao lugar do compatriota e forma uma boa dupla com James Calado, tanto que levaram o título de pilotos do Mundial de Endurance na temporada 2017. Desde então, “Ale” alcançou seis vitórias na categoria, sendo a mais importante delas nas 24h de Le Mans do ano passado.

JAMES CALADO

13 de junho de 1989 (31 anos), Cropthorne, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
47 provas
7 vitórias
29 pódios
3º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 95 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 20º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2019

James Calado abriu mão, um dia, do sonho de chegar à Fórmula 1 após boas campanhas na GP2 Series – hoje Fórmula 2. Mal podia prever que, aos 31 anos, o inglês de ascendência portuguesa seria um dos mais proeminentes pilotos de Grã-Turismo do WEC e também da Ferrari. Está em seu sétimo ano como piloto oficial da marca italiana no Mundial de Endurance e o ponto alto da trajetória de sete vitórias em 47 provas defendendo a equipe AF Corse foi o triunfo ano passado nas 24h de Le Mans – corrida na qual fará em 2020 sua sexta apresentação.

DANIEL SERRA

24 de fevereiro de 1984 (36 anos), São Paulo (São Paulo), Brasil
Graduação: Ouro

Retrospecto no WEC
9 provas
2 vitórias
2 pódios

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 17º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2017 e 2019

O atual tricampeão brasileiro da Stock Car é um predestinado. Daniel Serra, 36 anos de idade, tem no currículo uma participação excelente nas 24h de Le Mans em três edições. Duas vitórias – uma pela Aston Martin e outra pela AF Corse, ano passado – além de ter recebido a quadriculada em todas essas três corridas que disputou, posto que foi 7º na classe em 2018. Esta será a quarta participação do piloto em La Sarthe – e a primeira com o status de piloto oficial de fábrica da casa italiana, absolutamente merecido por seus ótimos desempenhos em provas internacionais.

Ferrari #71 AF Corse (Foto: FIA WEC/John Rourke/AdrenalMedia.com)

DAVIDE RIGON

26 de agosto de 1986 (34 anos), Thiene, Itália
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
52 provas
5 vitórias
24 pódios
6º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 63 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 21º lugar em 2015 e 2017
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMGTE-PRO em 2015

Campeão da Fórmula 3000 europeia pela saudosa Minardi e dono de dois títulos da extinta Superleague Formula – lembram dela? – o italiano Davide Rigon chegou ao Mundial de Endurance logo no primeiro ano da competição e se estabeleceu como um dos principais pilotos da AF Corse. Hoje, dos seis inscritos do time na LMGTE-PRO, é o que mais provas disputadas tem na competição – 52 participações com cinco vitórias.

Ainda persegue a primeira vitória nas 24h de Le Mans, porque pódio, em seis participações, alcançou pelo menos um – foi 2º colocado na LMGTE-PRO em 2015, em parceria com James Calado e o veterano monegasco Olivier Beretta, ausente da prova este ano.

MIGUEL MOLINA

17 de fevereiro de 1989 (31 anos), Girona, Espanha
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
18 provas
1 vitória
5 pódios
6º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 63 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 21º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 5º lugar na classe LMGTE-PRO em 2017

O espanhol Miguel Molina veio dos monopostos – disputou a extinta World Series no final da década passada – para os carros fechados, primeiro no DTM como piloto Audi e a partir de 2016 iniciou experiências no Endurance, disputando provas do Australiano de GT e depois o hoje GT World Challenge Europe, até chegar ao FIA WEC via Spirit of Race e depois AF Corse, substituindo Sam Bird por conta dos compromissos por este assumidos na Fórmula E. Molina tem uma vitória em 18 provas no Mundial e um 5º lugar como melhor resultado na LMGTE-PRO em Le Mans. Vai para sua quarta 24h da carreira.

SAM BIRD

9 de janeiro de 1987 (33 anos), Roehampton, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
35 provas
8 vitórias
18 pódios

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 11º lugar em 2015
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMP2 em 2015

Revelado na Fórmula BMW, com passagens por F3 britânica e europeia, além da hoje F2 – antes GP2 Series – Sam Bird reencontra-se nas 24h de Le Mans de 2020 com uma equipe que lhe é bastante familiar. Por conta dos compromissos com o ABB FIA Fórmula E, do qual é um competidor de primeira hora, deixou as provas do Mundial de Endurance e regressa para sua 7ª participação na prova francesa.

Com um pódio em 2015 na LMP2, Bird busca o primeiro sucesso na LMGTE-PRO. Ironicamente, o inglês de 33 anos vai seguir na Fórmula E em 2021 no lugar de um dos colegas de box da AF Corse: ele irá compor dupla com Mitch Evans na Jaguar e substituir James Calado.

WEATHERTECH RACING

Sede: Las Vegas, Nevada (EUA)
Carro: Ferrari 488 GTE EVO
Motor: Ferrari F142 4 litros V8 biturbo
Pneus: Michelin
Em 2020: 8º lugar na classe GTD do IMSA Weathertech SportsCar Championship

A Weathertech Racing, única equipe da série IMSA a desafiar as europeias e de outras nacionalidades nas 24h de Le Mans 2020, pesou os prós e os contras de participar na classe LMGTE-AM e se impôs enfrentar os times oficiais e a tradicionalíssima Risi Competizione na disputa pela vitória na classe LMGTE-PRO.

Também a equipe dirigida por Roberto Amorosi e David MacNeil e estruturada pela Scuderia Corsa é uma das poucas sem apoio técnico da AF Corse nessa prova e, além disso, a única equipe da divisão principal de Grã-Turismo com um piloto de graduação prata, o que só é possível pela participação do excelente Toni Vilander e do sempre consistente Jeffrey Segal.

Ferrari #62 Weathertech Racing (Foto: FIA WEC)

COOPER MacNEIL

7 de setembro de 1992 (28 anos), Hinsdale (Illinois), EUA
Graduação: Prata

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 29º lugar em 2017
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMGTE-AM em 2017 e 2019

Cooper MacNeil é um dos pilotos mais altos do grid das 24h de Le Mans – tem 1,96 metro de estatura e, palavras do próprio, não tem nenhum interesse (ou teve, quando adolescente) em jogar basquete. Começou a carreira de piloto aos 17 anos em 2009, foi bicampeão do extinto American Le Mans Series na classe GTC nas temporadas 2012/13 e desde então disputa o IMSA Weathertech SportsCar Championship.

Em Le Mans, esteve inscrito seis vezes, mas fez forfait numa delas – em 2016, quando seu Porsche da Proton Competition teve problemas. Largou cinco vezes portanto em La Sarthe e terminou em todas as vezes de que participou, com dois pódios – 3º colocado na LMGTE-AM em 2017 e no ano passado. Já fez a prova na LMGTE-PRO em 2014, quando foi autorizado a competir em dupla com Jeroen Bleekemolen, por razões de doença de outro piloto.

TONI VILANDER

25 de julho de 1980 (40 anos), Kankaanpää, Finlândia
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 11
Melhor resultado geral: 13º lugar em 2011
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2012 e 2015

Estrela do Endurance internacional desde meados dos anos 2000, o experiente finlandês Toni Vilander disputa aos 40 anos sua 12ª edição das 24h de Le Mans. O piloto nórdico, que sempre guiou carros Ferrari na clássica prova francesa, tem ótimos resultados – duas vitórias em 2012 e 2015, além de mais quatro pódios (o último, ano passado), tendo abandonado somente duas vezes. É nesse retrospecto sólido que a Weathertech Racing confia para surpreender as organizações oficiais de fábrica de Ferrari, Porsche e Aston Martin na LMGTE-PRO.

JEFFREY “JEFF” SEGAL

27 de abril de 1985 (35 anos), Filadélfia (Pensilvânia), EUA
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado geral: 24º lugar em 2015
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-AM em 2016

O estadunidense Jefffey “Jeff” Segal é um dos bons e consistentes pilotos de Grã-Turismo de seu país. Em seu cartel iniciado em 2003, constam três títulos na extinta série Grand-Am, uma vitória em categoria nas 24h de Daytona e diversos outros triunfos em provas internacionais, afora três pódios em quatro participações nas 24h de Le Mans, com a vitória na LMGTE-AM via JMW Motorsport há quatro anos. É diplomado em administração de empresas pela Universidade de Miami.

RISI COMPETIZIONE

Sede: Houston, Texas (EUA)
Carro: Ferrari 488 GTE EVO
Motor: Ferrari F142 4 litros V8 biturbo
Pneus: Michelin

Três vezes vitoriosa nas 24h de Le Mans com protótipos e Grã-Turismo, a equipe do gigantesco Giuseppe Risi vai para a disputa de sua décima 24h de Le Mans apostando fichas em pilotos da casa. Ano passado, o carro guiado por Jules Gounon, Oliver Jarvis e Pipo Derani simplesmente não acompanhou os demais adversários da LMGTE-PRO em termos de performance. Desta vez, com Gounon de volta e acompanhado dos experientes Sébastien Bourdais e Olivier Pla, a equipe texana – que concentra todos os esforços do ano nesse evento – espera fazer diferente e assim chegar ao sexto pódio em La Sarthe.

Ferrari #82 Risi Competizione (Foto: FIA WEC)

OLIVIER PLA

22 de outubro de 1981 (38 anos), Toulouse, França
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 12
Melhor resultado geral: 8º lugar em 2013
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMP2 em 2013

Refugiado do extinto programa Ford-Chip Ganassi no WEC e IMSA, o veterano francês Olivier Pla disputa sua 13ª 24h de Le Mans da carreira e, a despeito da longa experiência na prova, é um homem de pouca sorte em La Sarthe. Tem apenas um pódio com o 2º lugar da LMP2 em 2013 a bordo de um protótipo Morgan da OAK Racing, um top 10 – nessa mesma corrida, como oitavo na geral – e cinco abandonos. Ano passado, chegou em sexto lugar na LMGTE-PRO junto a Stefan Mücke e Billy Johnson. Vai guiar um carro Ferrari pela primeira vez numa prova de longa duração.

SÉBASTIEN BOURDAIS

28 de fevereiro de 1979 (41 anos), Le Mans, França
Graduação: Platina

Participações nas 24h de Le Mans: 13
Melhor resultado geral: 2º lugar em 2007, 2009 e 2011
Melhor resultado em categoria: 1º na classe LMGTE-PRO em 2016

Se existe alguém no grid que conhece a pista de Le Mans como muito poucos, esse alguém é Sébastien Bourdais. Filho de piloto – seu pai, Patrick, esteve no grid da clássica prova francesa por nove ocasiões – ele nasceu em Le Mans e a pista de La Sarthe é seu quintal de casa. De rica e extensa trajetória no automobilismo, iniciada há mais de duas décadas, Bourdais teve sucesso na extinta F3000 e também na ChampCar, onde levou quatro campeonatos consecutivos. Se não deu certo na F1 com a Toro Rosso, é outro departamento.

O francês é reconhecidamente talentoso e por vezes subestimado. Foi três vezes ao pódio na geral, tem uma pole position em 2010 e a vitória na LMGTE-PRO conquistada no retorno da Ford às 24h de Le Mans, há quatro anos. Hoje com 41 anos, Bourdais divide-se entre a IMSA e a Fórmula Indy, já que com o fim do programa Ford-Ganassi, perdeu o lugar que foi seu nas últimas quatro temporadas.

JULES GOUNON

31 de dezembro de 1994 (25 anos), Aubenas, França
Graduação: Ouro

Participações nas 24h de Le Mans: 1
Melhor resultado geral: 40º lugar em 2019
Melhor resultado em categoria: 10º lugar na LMGTE-PRO em 2019

Filho do antigo piloto de F1 e outras diversas categorias Jean-Marc Gounon, Jules Gounon começou no kart em 2011 e já tem vitórias e titulos de expressão em provas de Grã-Turismo. Ganhou em 2017 as 24h de Spa-Francorchamps com um Audi e o ADAC GT alemão com um Corvette da Callaway Competition. É desde 2018 piloto de fábrica da britânica Bentley, participando do Intercontinental GT Challenge – esse ano triunfou nas 12h de Bathurst, na Austrália – e também do GT World Challenge Europe, antes Blancpain GT Series. Fará sua segunda aparição nas 24h de Le Mans e foi o único piloto que a Risi manteve em relação à edição passada.

PORSCHE GT TEAM

Sede: Stuttgart, Baden-Wüttemberg (Alemanha)
Carro: Porsche 911 RSR-19
Motor: Porsche M97/80 4 litros Flat 6 aspirado
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 2º lugar no FIA WEC na classe LMGTE-PRO
Vitórias: 12

A Porsche chega a mais uma disputa das 24h de Le Mans embalada por seu glorioso e centenário cartel de conquistas. Somando todas as subcategorias, o construtor do cavalinho empinado de Stuttgart conta com incríveis 108 vitórias em La Sarthe, a última delas obtida ano passado via Team Project 1 na classe LMGTE-AM.

Atual campeã de Construtores e de pilotos com Michael Christensen e Kévin Estre, a marca quer provar que seu sucesso nunca é obra do acaso e confia na versão evoluída do já competitivo e consagrado 911 RSR – agora com o tradicional motor Flat 6 cilindros berrando em posição central-traseira, e não além do eixo motriz – para voltar a ganhar na França. A dupla do carro #92, já vencedora da disputa em 2018, sabe que precisa de um triunfo nesse evento para se manter viva rumo ao bicampeonato do Mundial de Endurance.

Porsche #91 Porsche GT (Foto: FIA WEC/ John Rourke/AdrenalMedia.com)

RICHARD LIETZ

17 de dezembro de 1983 (37 anos), Waldhofen an der Ybbs, Áustria
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
62 provas
9 vitórias
28 pódios
5º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 79 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 13
Melhor resultado geral: 11º lugar em 2010
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGT2 em 2007 e 2010 e na LMGTE-PRO em 2013

Fiel à casa Porsche há décadas – estreou nas 24h de Le Mans com vitória, há 13 anos, com um carro da marca alemã – o austríaco Richard Lietz é um dos muito poucos da história do Mundial de Endurance com mais de 60 participações no currículo desde o retorno da competição às pistas. Com um cartel que inclui vitórias e títulos nas mais diversas provas longas do planeta, só faltou o Mundial do WEC. Mas o piloto de 37 anos não tem do que se queixar: venceu três vezes em La Sarthe, sempre com Porsche – a primeira pela IMSA Performance Matmut, a segunda via Proton Competition e a terceira, há sete anos, com o time oficial de fábrica. Bateu na trave pela quarta vitória ano passado: chegou em segundo.

GIANMARIA “GIMMI” BRUNI

30 de maio de 1981 (39 anos), Roma, Itália
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
54 provas
15 vitórias
32 pódios
5º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 79 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 11
Melhor resultado geral: 13º lugar em 2011
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGT2 em 2008 e na classe LMGTE-PRO em 2012 e 2014

Reputado hoje como o melhor piloto de Grã-Turismo em atividade no mundo, o italiano Gianmaria “Gimmi” Bruni foi uma grande aposta da Porsche, que o tirou a peso de ouro da rival Ferrari em 2016. Desde então o italiano disputou pela casa germânica a série IMSA e posteriormente, o Mundial de Endurance, com dois pódios – de dois segundos lugares – nas 24h de Le Mans. Só falta, agora, a vitória com a nova equipe – para quem já tem três defendendo a AF Corse.

Bruni, que começou em 1991 aos dez anos nos karts e passou por diversas categorias de monoposto até chegar à Fórmula 1 via Minardi, foi também bicampeão do FIA WEC em pilotos de Grã-Turismo, vencedor do International GT Open, do European Le Mans Series e do FIA GT. Não é pouco, não…

FRÉDÉRIC “FRED” MAKOWIECKI

22 de novembro de 1980 (39 anos), Arras, França
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
34 provas
4 vitórias
25 pódios

Participações nas 24h de Le Mans: 9
Melhor resultado geral: 16º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 2º lugar na classe LMGTE-PRO em 2012, 2018 e 2019

“Fred” Makowiecki é possivelmente o único piloto do plantel LMGTE-PRO que conduziu modelos dos três fabricantes envolvivdos na disputa de Grã-Turismo desta edição das 24h de Le Mans. Já guiou Ferrari, andou de Aston Martin e está como piloto Porsche desde 2014. Voltou a servir à marca alemã este ano na série IMSA e já foi vice-campeão de pilotos do WEC há seis anos – além de competir no Super GT por equipes Honda e Nissan, sem contar provas eventuais de Endurance e do Blancpain GT Series, hoje GT World Challenge Europe. “Mako” vai para sua décima disputa em Le Mans. Foi ao pódio quatro vezes e em três delas chegou em segundo na LMGTE-PRO.

Porsche #92 Porsche GT Team (Foto: FIA WEC/ John Rourke/AdrenalMedia.com)

MICHAEL CHRISTENSEN

28 de agosto de 1990 (30 anos), Karslunde, Dinamarca
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
37 provas
6 vitórias
18 pódios
2º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 108 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 15º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2018

Discreto e, na mesma medida, extremamente veloz e competente, Michael Christensen é o tipo de piloto que todo chefe de equipe e engenheiro no Mundial de Endurance, claro, da Porsche, gostaria de ter. Entrega o equipamento quase sempre inteiro, agrega consistência, performance e – principalmente, vitórias e títulos, como o do ano passado, em que levou a taça de pilotos LMGTE em dupla com Kévin Estre.

Disputa este ano sua sexta edição das 24h de Le Mans, terceira na trinca com o parceiro de guiada na maioria das provas do Mundial e também com o ótimo belga Laurens Vanthoor. Há dois anos, correram – e venceram – com o livery homenageando o Porsche 917/20 “Pink Pig”, com sua decoração rosa imitando cortes de carne de porco.

KÉVIN ESTRE

28 de outubro de 1988 (31 anos), Lyon, França
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
26 provas
3 vitórias
15 pódios
2º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 108 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 15º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2018

Parceiro de Michael Christensen no Mundial de Endurance desde 2018, após servir à equipe de fábrica da IMSA, Kévin Estre experimentou os primeiros sucessos dentro do automobilismo na Porsche Supercup, ganhando o título do difícil e competitivo certame alemão da marca em 2013. Por algum tempo, é verdade, o francês de 31 anos guiou também como piloto McLaren para as equipes Von Ryan e Garage 59. Foi campeão do WEC na temporada bienal 2018/19 e venceu as 24h de Le Mans na LMGTE-PRO ano retrasado. Vai para sua sexta disputa em La Sarthe.

LAURENS VANTHOOR

8 de maio de 1991 (29 anos), Hasselt, Bélgica
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
3 provas
1 vitória
1 pódio

Participações nas 24h de Le Mans: 4
Melhor resultado geral: 14º lugar em 2016
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-PRO em 2018

Excelente piloto belga que despontou nas séries de Grã-Turismo defendendo a Audi no Team WRT, chamou logo a atenção da Porsche, que assim como fez com “Gimmi” Bruni, contratou Laurens Vanthoor a peso de ouro. Desde 2017, o piloto integra a equipe da casa alemã – que será infelizmente desmantelada – na série IMSA e veremos que planos a Porsche terá para Vanthoor e seus colegas para além de 2020.

O piloto de 29 anos chega à sua quinta participação nas 24h de Le Mans com o pódio e a vitória em 2018, a única em poucas participações no Mundial de Endurance. Estreou em La Sarthe com protótipos LMP2 e foi inclusive companheiro de Oswaldo Negri na Michael Shank Racing, na edição de 2016, quando obteve o 14º posto geral como melhor resultado na prova.

ASTON MARTIN RACING

Sede: Banbury, Oxfordshire (Inglaterra)
Carro: Aston Martin Vantage AMR
Motor: AMG-Mercedes 4 litros V8 biturbo
Pneus: Michelin
Em 2019/20: 1º lugar no FIA WEC na classe LMGTE-PRO
Vitórias: 18

A Aston Martin Racing chega a esta edição das 24h de Le Mans com grande possibilidade de encaminhar os títulos mundiais de Construtores e também de pilotos. Como a corrida tem pontuação dobrada, um resultado pra lá de positivo dos dois carros e principalmente do “Dane Train” formado por Nicki Thiim e Marco Sørensen clarifica as coisas rumo à etapa final, no Bahrein. O modelo Vantage AMR, em seu terceiro ano de uso, melhorou bastante de performance em relação ao que se viu na Super Season passada. Nem parece o mesmo carro que em 2018 levava pau da concorrência…

A equipe técnica do time dirigido por Paul Howarth e David Richards tem talento brasileiro na retaguarda. Os engenheiros Gustavo Beteli e Patrick Bandeira de Mello cuidam do carro #97.

Aston Martin #95 (Foto: FIA WEC/John Rourke/AdrenalMedia.com)

NICKI THIIM

17 de abril de 1989 (31 anos), Sonderborg, Dinamarca
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
44 provas
12 vitórias
19 pódios
1º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 127 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 19º lugar em 2014
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMGTE-AM em 2014

Um dos grandes “ratos” de simuladores, com vídeos que viralizam no YouTube, Nicki Thiim é tremendamente popular entre os fãs de eSports e também entre os fãs de seu país que todo ano invadiam – antes da Pandemia – a França e Le Mans. Foi campeão da Porsche Supercup em 2013 e infelizmente a tragédia envolvendo o compatriota Allan Simonsen lhe abriu portas na Aston Martin Racing. Fez um bom trabalho na LMGTE-AM e ganhou confiança para se tornar piloto oficial de fábrica. Está em sua quarta temporada completa no Mundial de Endurance e vai para sua sétima participação nas 24h de Le Mans. Na estreia, ganhou na classe LMGTE-AM junto a Kristian Poulsen e David Heinemeier-Hänsson.

MARCO SØRENSEN

6 de setembro de 1990 (30 anos), Svenstrup, Dinamarca
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
39 provas
7 vitórias
12 pódios
1º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 127 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 23º lugar em 2016 e 2018
Melhor resultado em categoria: 4º lugar na classe LMGTE-PRO em 2015

Marco Sørensen foi mais um dentre inúmeros pilotos do Mundial de Endurance que abriram mão do sonho de chegar à F1. De carreira iniciada em 2006, com apenas 16 anos, o piloto teve passagens pelo automobilismo alemão, pela extinta World Series (chegou a ser inclusive piloto júnior da Lotus) e GP2 Series, hoje F2 – esta última já em paralelo com o FIA WEC, categoria que disputa há cinco anos. Faz em 2020 sua sexta 24h de Le Mans da carreira e nunca foi ao pódio entre os pilotos da LMGTE-PRO.

RICHARD WESTBROOK

10 de julho de 1975 (45 anos), Chelmsford, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
Estreante no Mundial de Endurance

Participações nas 24h de Le Mans: 9

Melhor resultado geral: 14º lugar em 2010
Melhor resultado em categoria: 3º lugar na classe LMGT2 em 2010 e na LMGTE-PRO em 2016

“Refugiado” do programa Ford-Ganassi IMSA, extinto após quatro anos, o experiente britânico Richard Westbrook, de 45 anos, vem para reforçar a trinca do #95 da Aston Martin e fazer ele próprio sua estreia como piloto do FIA WEC, já que embora tenha marcado presença nove vezes nas 24h de Le Mans, sempre foi inelegível para marcar pontos no Mundial de Endurance. De competência mais do que provada ao longo da carreira, conquistou títulos importantes como do Porsche Supercup alemão e internacional, do FIA GT2 e também o vice-campeonato da série IMSA em 2015 nos protótipos e em 2016 na GTLM. Em La Sarthe, foi duas vezes ao pódio, com Porsche e Ford.

Aston Martin #97 (Foto: FIA WEC/Marius Hecker/AdrenalMedia.com)

MAXIME MARTIN

20 de março de 1986 (34 anos), Uccle, Bélgica
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
15 provas
1 vitória
5 pódios
4º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 92 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 5
Melhor resultado geral: 7º lugar em 2011
Melhor resultado em categoria: 7º lugar na classe LMP1 em 2011 e na LMP2 em 2012

Filho de um antigo participante das 24h de Le Mans – seu pai, Jean-Michel Martin, disputou a prova sete vezes – o belga Maxime Martin estreou no automobilismo em 2005 com os prosaicos Mini Cooper. A carreira internacional teve início em 2009, no extinto FIA GT3, além de diisputar o FFSA GT3 e as 24h de Spa-Francorchamps e de Zolder. No ano seguinte, já estava no FIA GT1 e daí não parou mais. Foi piloto BMW no DTM e em outras categorias entre 2012 e 2017 e está na Aston Martin Racing desde o ano retrasado. Nas 24h de Le Mans, esteve presente cinco vezes. O sétimo lugar na estreia, com um Aston Martin Lola, ainda é o melhor resultado de sua trajetória.

ALEXANDER “ALEX” LYNN

17 de setembro de 1993 (26 anos), Goodmayes, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
22 provas
2 vitórias
6 pódios
4º colocado na temporada 2019/20 do World Endurance Drivers GTE com 92 pontos

Participações nas 24h de Le Mans: 3
Melhor resultado geral: 37º lugar em 2018
Melhor resultado em categoria: 11º lugar em 2019 na classe LMGTE-PRO

De aniversário poucos dias antes da corrida, “Alex” Lynn também tem pai que já disputou as 24h de Le Mans – no caso, Shaun Lynn, há cerca de uma década, e sem nenhum brilho. O britânico de 26 anos começou no kart e fez a escadinha de monopostos, disputando a Fórmula Renault britânica (campeão em 2011), F3 inglesa e europeia, Toyota Racing Series e a GP3, da qual foi o grande protagonista em 2014. Mas nem o emprego de piloto de testes da Williams o segurou para o sonho da F1. Lynn chegou ao WEC em 2016 e daí em diante dedicou-se ao Endurance e também às provas do ABB FIA Fórmula E, sendo piloto das equipes DS Virgin, Panasonic Jaguar e agora da Mahindra. “Alex” disputa sua quarta 24h de Le Mans na carreira, ainda sem grandes resultados na LMGTE-PRO como piloto Aston Martin.

HARRY TINCKNELL

29 de outubro de 1991 (28 anos), Exeter, Inglaterra
Graduação: Platina

Retrospecto no WEC
27 provas
4 vitórias
10 pódios

Participações nas 24h de Le Mans: 6
Melhor resultado geral: 5º lugar em 2014
Melhor resultado em categoria: 1º lugar na classe LMP2 em 2014

Mais um dos que ficaram a pé no Mundial de Endurance com o fim do programa Ford-Ganassi, Harry Tincknell se ajeitou em 2020 como piloto Mazda na IMSA e segue em plena atividade nos EUA. O piloto de 28 anos fechou um acordo para voltar a Le Mans via Aston Martin Racing e assim poder ajudar Martin e Lynn a subirem no pódio mais uma vez nesta temporada – seria o quinto dos pilotos titulares em sete etapas do Mundial. Em seu retrospecto de seis participações anteriores, uma vitória na LMP2 logo na estreia em 2014, com o protótipo Zytek 015S guiado em parceria com Simon Dolan e Oliver Turvey.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect