Honda 2018 x 2019

Depois de 13 temporadas com Dani Pedrosa, a Honda vai passar por uma grande mudança em 2019 com a chegada de Jorge Lorenzo para formar dupla com Marc Márquez. No Lado a Lado deste sábado (5), o GRANDE PREMIUM compara os números para responder a pergunta: qual a dupla mais forte da marca da asa dourada?

Juliana Tesser, de São Paulo

A Honda vai passar por uma grande mudança na temporada 2019. Pela primeira vez desde 2006, a montadora da asa dourada não vai contar com Dani Pedrosa, que será substituído por Jorge Lorenzo no posto de companheiro de equipe de Marc Márquez.

Embora os dois espanhóis tenham currículos vitoriosos, Lorenzo alcançou o sonho do título da MotoGP, o que não aconteceu com Pedrosa. Além disso, o #99 vai subir na RC213V com uma experiência profissional mais ampla, já que guiou a YZR-M1 da Yamaha e, nos últimos dois anos, a Desmosedici da Ducati.

Muito embora a experiência em Bolonha não tenha sido das melhores, Lorenzo aprendeu alguns novos truques, o que deve vir a calhar, especialmente por ter de enfrentar o sempre em alta Márquez.

Marc Márquez vai ter um companheiro diferente de Dani Pedrosa pela primeira vez na MotoGP
(Foto: Michelin)

Ainda que tenha se despedido da titularidade da MotoGP em baixa ― o #26 vai ser piloto de testes da KTM ―, Dani tem uma carreira de números expressivos, mas já superados por Lorenzo em muitos quesitos.

No Lado a Lado deste sábado (5), o GRANDE PREMIUM comparou as duplas da Honda em 2018 e 2019 para responder a pergunta: qual o time mais forte?

 

 

 

 

Em números absolutos (considerando não apenas a MotoGP, mas as outras classes do Mundial de Motovelocidade), a Honda tinha nove títulos nos boxes em 2018 e passa a ter 12. No quesito vitórias, Pedrosa e Márquez somavam 66 triunfos após o fim do campeonato de 2017, enquanto Marc e Jorge somam 91.

Somados, os pilotos deste ano também têm mais pódios do que a dupla anterior: 175 contra 191. Márquez e Lorenzo também conseguiram mais poles juntos do que o #93 alcançou com Pedrosa: 75 contra 95. A média de idade, porém, segue inalterada em 28,5 anos.

 

 

 

Jorge Lorenzo vai guiar pela Honda após dois anos com a Ducati
(Foto: Michelin)