Siga-nos

Lado a Lado

Os anos de Ducati

Após oito temporadas defendendo a fábrica de Borgo Panigale, Andrea Dovizioso anunciou sua saída ao final de 2020. Então, nada melhor do que comparar cada ano da passagem do italiano pelo time

Andrea Dovizioso teve anos frutíferos com a Ducati (Foto: Ducati)

Os dias de Ducati estão contados para Andrea Dovizioso. Após oito anos de envolvimento com a fábrica de Borgo Panigale, o italiano anunciou o divórcio para o final da temporada 2020, ressaltando últimos meses bastante conturbados na relação.

A parceria demorou a engrenar, mas depois de alinhada, rendeu grandes frutos para ambos os lados. Nos últimos três campeonatos, tanto o competidor de Forli quanto a marca italiana ficaram com o vice-campeonato.

Dos dias de luta aos dias de glória, é inegável dizer que a parceria entre Dovizioso e Ducati deu bastante certo. Pensando nisso, o GRANDE PREMIUM comparou todos os campeonatos e os desfechos que passaram juntos.

2013
Corridas:
18
Pole-position: 0
Top-10: 17
Top-5: 2
Pódios: 0
Vitórias: 0
Abandonos: 1
Pontos: 140
Posição final: Oitavo

2014
Corridas:
18
Pole-position: 1
Top-10: 17
Top-5: 9
Pódios: 2
Vitórias: 0
Abandonos: 1
Pontos: 187
Posição final: Quinto

MotoGP 2014, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

2015
Corridas: 18
Pole-position: 1
Top-10: 13
Top-5: 7
Pódios: 5
Vitórias: 0
Abandonos: 4
Pontos: 162
Posição final: Sétimo

MotoGP 2015, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

2016
Corridas: 18
Pole-position: 2
Top-10: 9
Top-5: 7
Pódios: 5
Vitórias: 1
Abandonos: 5
Pontos: 171
Posição final: Quinto

MotoGP 2016, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

2017
Corridas: 18
Pole-position: 0
Top-10: 15
Top-5: 11
Pódios: 8
Vitórias: 5
Abandonos: 2
Pontos: 261
Posição final: Segundo

MotoGP 2017, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

2018
Corridas: 18
Pole-position: 2
Top-10: 14
Top-5: 11
Pódios: 9
Vitórias: 4
Abandonos: 3
Pontos: 245
Posição final: Segundo

MotoGP 2018, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

2019
Corridas: 19
Pole-position: 0
Top-10: 17
Top-5: 15
Pódios: 9
Vitórias: 2
Abandonos: 2
Pontos: 269
Posição final: Segundo

MotoGP 2019, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

2020*
Corridas: 8
Pole-position: 0
Top-10: 6
Top-5: 3
Pódios: 2
Vitórias: 1
Abandonos: 1
Pontos: 84
Posição final: Quarto
*temporada em progresso

MotoGP 2020, Andrea Dovizioso, Ducati
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)

Dovizioso embarcou na Ducati em 2013 com a missão de substituir Valentino Rossi após a passagem complicada do italiano. Entretanto, com uma Desmosedici pouco competitiva, o melhor resultado que alcançou foi uma quarta colocação em um GP da França com condições molhadas. Ao final da temporada, ainda conseguiu ficar à frente do companheiro Nicky Hayden, mas com apenas 14 pontos de vantagem.

Já na temporada de 2014, o piloto da moto #4 já começou a mostrar mais adaptação com a fera vermelha do time. Naquele campeonato, não apenas conseguiu seu primeiro pódio usando as cores da Ducati, uma terceira colocação no GP das Américas, como também conseguiu a primeira pole-position na nova casa no GP do Japão.

Andrea começou o ano seguinte em alta, conseguindo pódio em quatro das cinco primeiras corridas do calendário. Entretanto, sua campanha sofreu com grandes problemas mecânicos e quebras e, portanto, até o final da temporada o piloto voltou apenas mais uma vez ao pódio – se nas cinco primeiras provas somou 87 pontos, nas cinco seguintes trouxe apenas 11 para o bolso.

Em 2016, mais uma vez Dovi começou em alta ao conseguir um pódio. Entretanto, mais uma sucessão de problemas jogaram contra o italiano – acidentes com Andrea Iannone, Dani Pedrosa e falha na moto foram motivos dos três abandonos consecutivos. Mas se começou o ano bem, terminou ainda melhor: alcançou sua segunda vitória na MotoGP, a primeira em sete anos.

Para 2017, as coisas estavam bastante diferentes na Ducati. Dovi encarava seu quarto companheiro de equipe diferente – agora, depois de Hayden, Cal Crutchlow e Iannone, tinha Jorge Lorenzo ao lado. Totalmente adaptado à Desmosedici, foi o primeiro campeonato que o piloto brigou com Marc Márquez pelo título, levando a disputa até a última corrida em Valência. Lá, além de ser atrapalhado pelo colega espanhol, sofreu uma queda e terminou como vice-campeão.

A história se repetiu por mais dois anos, em 2018 e 2019. Dovizioso se estabeleceu como o grande adversário da estrela da Honda, sendo um dos únicos a conseguir batê-lo no combate corpo a corpo, mas nunca ameaçando de fato o reinado do hexacampeão. O italiano bem que tentou, mas teve de se contentar com o vice.

As coisas poderiam ser diferentes em 2020. Com Marc fora de combate tratando de uma lesão, Andrea teoricamente tem caminho livre para colocar as mãos no caneco e tirar a Ducati da fila de 13 anos de espera. Entretanto, com a ascensão dos jovens talentos como Fabio Quartararo e Joan Mir, além da inconsistência de resultados, tem jogado um balde de água fria mais uma vez no piloto que, até o momento, está desempregado para o ano que vem.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

LEIA TAMBÉM
+ A paixão que mudou a vida

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect