Siga-nos

Lado a Lado

A galeria dos campeões e as lendas do Sertões

Chegar ao fim do maior rali das Américas já é uma vitória. Completar no topo do pódio é a glória. E o que dizer, então, de quem já faturou o Sertões por cinco vezes ou mais? É o que o GRANDE PREMIUM relembra às vésperas do início da 28ª edição da prova

JEAN AZEVEDO; SERTÕES; HEPTACAMPEÃO
Jean Azevedo é um dos maiores campeões da história do Sertões (Foto: Honda Racing)

O Sertões está a exatamente um dia de dar a largada para a 28ª edição da sua história. A partir desta sexta-feira (30), com a disputa do prólogo no autódromo Velocitta, em Mogi Guaçu, interior de São Paulo, pilotos e navegadores vão largar com objetivos distintos: para a maioria, atravessar o Brasil e chegar ao destino final da rota da prova em 2020, Barreirinhas, nos Lençóis Maranhenses, já será uma grande vitória por si só.

Mas para outros tantos, não basta simplesmente chegar. Com o nível de exigência cada vez maior daquele que se consolidou ao longo da sua história como o maior rali das Américas, o Sertões conta no seu grid com competidores que têm como objetivo uma só posição: a primeira.

Subir à esperada rampa da vitória com a conquista do Sertões é, definitivamente, uma glória que poucos podem contar. Triunfar em meio a tantas dificuldades proporcionadas pelo tipo de terreno, pelo clima ou pelo roteiro, desenhado para ser mais desafiador a cada edição da prova, é uma glória enorme. E é algo além: é escrever seu nome na história do rali brasileiro.

PAULO GONÇALVES; HONDA RACING; SERTÕES;
O saudoso Paulo Gonçalves (ao centro) também deixou sua marca no Sertões (Foto: Honda Racing)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Desde que Joaquim Rodrigues, o ‘Juca Bala’, tornou-se o primeiro campeão do Sertões, lá em 1993, quando a prova era disputada somente nas motos, muita coisa mudou. Vários nomes se consolidaram no cenário nacional e internacional do off-road, a competição ganhou enorme relevância global e atraiu gente de muito peso como Stéphane Peterhansel, Carlos Sainz, Marc Coma, Cyril Despres, Nasser Al-Attiyah e o saudoso Paulo Gonçalves.

Mas o Sertões, além de ter atraído ícones do Dakar, formou suas próprias lendas. Se conquistar o rali por uma só vez já é incrível, alcançar cinco vezes o topo da prova é inenarrável. Imagine, então, que há pilotos pentacampeões e também competidores que venceram o Sertões sete vezes, uma marca fantástica.

Na esteira da abertura de mais um Sertões, o GRANDE PREMIUM relembra a trajetória vencedora das grandes lendas da competição e, de quebra, traz a relação de todos os campeões ao longo de quase 30 anos de história.

Jean Azevedo: 7 títulos

Dono de um sobrenome icônico e campeão no rali brasileiro, Jean Azevedo é um dos pilotos com maior número de títulos no Sertões. Um dos grandes nomes do off-road nacional também no Dakar, Jean vai fazer nada menos que sua 25ª participação na prova em 2020. Dono de um aproveitamento invejável, Azevedo acumula conquistas no Sertões nas três últimas décadas.

A primeira vitória do natural de São José dos Campos foi em 1995, com uma moto Suzuki KDX, quando o Sertões ainda engatinhava na sua história. Desde então, foram mais seis conquistas: 2000, de KTM; 2002, de Gas Gas; 2004 e 2005, de KTM; e, de 2015 e, por último, 2017, as duas com Honda, equipe que Jean representa até hoje.

SERTÕES; JEAN AZEVEDO;
Jean Azevedo vai encarar seu 25º Sertões em 2020 (Foto: Gustavo Epifanio/Mundo Press)

Entre 2008 e 2012, Jean competiu na categoria dos carros, mas depois voltou para o veículo que o consagrou como um dos principais pilotos do rali brasileiro.

Edu Piano: 7 títulos; Sólon Mendes: 5 títulos

Natural de Tatuí, interior de São Paulo, Edu Piano é um dos grandes personagens do Sertões. O piloto vai fazer sua 25ª participação consecutiva no rali em 2020 e traz no currículo muitos títulos e uma parceria vencedora.

Hoje com 50 anos, Piano conquistou seu primeiro Sertões em 2005 com uma Chevrolet S10. Desde então, nas edições de 2007, 2008, 2009, 2011, 2013 e 2014, Edu triunfou sempre a bordo de um Ford F4000 da sua equipe, a Território Motorsport, e teve nas suas jornadas vitoriosas um parceiro inseparável: Sólon Mendes, pentacampeão geral do Sertões nos caminhões e que também esteve ao lado de Piano na conquista da classe Over 45 dos UTVs, superando ninguém menos que Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, campeões do Dakar, em 2018. Davi Fonseca também fez parte das campanhas de 2007, 2008, 2009 e 2011 e é tetracampeão do Sertões.

SERTÕES; SÓLON MENDES; EDU PIANO;
Sólon Mendes e Edu Piano formam a união mais vitoriosa do Sertões (Foto: Sanderson Pereira/Photo-S)

Edu Piano e Sólon Mendes vão reeditar uma união pentacampeã na disputa novamente da categoria dos UTVs no Sertões 2020.

Zé Hélio Rodrigues: 5 títulos

Muito mais que a trajetória como pentacampeão nas motos, Zé Hélio é outro enorme personagem do Dakar. Paulistano e hoje quase um veterano, com 41 anos, Rodrigues venceu o Sertões nas duas rodas em 1999, 2003, 2007, 2008 e 2009.

Nesta campanha vitoriosa no Sertões, Zé Hélio também foi autor de uma verdadeira façanha, algo que poucos conseguiram, e em duas oportunidades: em 2007 e 2008, o brasileiro bateu o ‘império austríaco’ da KTM, que tinha, na sua equipe de fábrica, nomes consagrados como Cyril Després, Marc Coma e David Casteu no Sertões.

Ao GRANDE PRÊMIO, em especial realizado em 2012, Zé Hélio relembrou o começo peculiar da sua trajetória no Sertões.

ZÉ HÉLIO RODRIGUES; PENTACAMPEÃO; SERTÕES
Zé Hélio Rodrigues é um dos grandes personagens da história do Sertões (Foto: Reprodução)

“Eu lembro que em 1995 foi a minha primeira participação de moto, com uma Suzuki, e eu tinha 16 anos de idade, era proibido na época, fui correr com documento falso e tudo. Mas já paguei por isso (risos). E foi ali que tudo começou. Já no começo da minha carreira muita gente vinha falar que eu era bom, que era diferenciado, mas você nunca acredita muito, né? Mas aí as coisas começaram a dar certo, vi que eu tinha condições, e eu arrisquei. Aí acabou dando certo”, disse à época.

25 anos depois, Zé vai fazer seu 25º Sertões. Há tempos que o competidor já não disputa a prova na categoria das motos. Em 2020, Rodrigues vai fazer a prova a bordo de um ‘buggão’ da Giaffone Racing e tentará desafiar o favoritismo de nomes como Guiga Spinelli, os irmãos Cristian e Marcos Baumgart e do atual campeão, Lucas Moraes.

André Azevedo: 5 títulos

SERTÕES; ANDRÉ AZEVEDO;
André Azevedo é nome histórico no rali brasileiro (Foto: Divulgação)

É impossível falar em rali de resistência no Brasil sem mencionar André Azevedo. Hoje com 61 anos e já retirado das competições, o engenheiro natural de São José dos Campos foi, ao lado de Klever Kolberg, o pioneiro do Brasil no Dakar e, anos depois, marcou época também no Sertões.

Foram nada menos que cinco títulos: 1997 e 1998, como copiloto do gaúcho Kolberg, na competição dos carros, e depois, em 2000, 2002 e 2004 correndo nos caminhões.

Em 2012, Azevedo realizou seu 25º Dakar e, meses depois, cumpriu sua 20ª participação no Sertões antes de pendurar capacete e macacão e completar um ciclo vencedor nas trilhas do Brasil e do mundo.

Guilherme Spinelli: 5 títulos

Em quase duas décadas de Sertões, ninguém conquistou tantos títulos correndo na categoria Carros quanto Guilherme Spinelli. Carioca de 48 anos, ‘Guiga’, como é conhecido, tem uma trajetória bastante peculiar: foi bicampeão em 2003 e 2004, tendo ao seu lado o navegador Marcelo Vivolo, sempre correndo com Mitsubishi. Spinelli seguiu sua trajetória na prova até 2007.

GUILHERME SPINELLI; SERTÕES; 2020;
Guilherme Spinelli é o maior vencedor do Sertões na competição dos carros (Foto: Carsten Horst/Hyset)

Depois de dois anos de pausa — época que a Volkswagen dominou com o lendário Race Touareg com Giniel de Villiers e Carlos Sainz, em 2008 e 2009, respectivamente, o carioca voltou ao Sertões com novo navegador: Youssef Haddad. A parceria rendeu bons frutos, como mais um bicampeonato para ‘Guiga’, o quarto título no geral.

Em 2014, a dupla conquistou mais uma vez o Sertões. Assim, com cinco títulos, ‘Guiga’ se tornou o maior vencedor da história na competição dos carros e se consolidou de vez como uma verdadeira lenda do Sertões.

Todos os campeões do Sertões

1993:
Motos: Joaquim Rodrigues ‘Juca Bala’


1994:
Motos: Gilmar dos Anjos


1995:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Wedigo Von Borries/Suen Von Borries


1996:
Motos: Joaquim Rodrigues ‘Juca Bala’
Carros: Carlos Clouset/Norton Lopes

1997:
Motos: Juliano Saciotto
Carros: Klever Kolberg/André Azevedo


1998:
Motos: Heinz Kinigadner (Áustria)
Carros: Klever Kolberg/André Azevedo


1999:
Motos: José Hélio
Carros: Riamburgo Ximenes/Paulo Salles
Caminhões: Hélio Cangueiro/João Amaral


2000:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Reinaldo Varela/Alberto Fadigatti
Caminhões: André Azevedo/Hélio Cangueiro


2001:
Motos: Tiago Fantozzi
Carros: Édio Füchter/Milton Pereira
Caminhões: Alfredo Yahn/João Guilherme


2002:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Édio Füchter/Milton Pereira
Caminhões: André Azevedo/Robson Pereira
Quadris: Carlo Collet Jr.


2003:
Motos: José Hélio
Carros: Guilherme Spinelli/Marcelo Vivolo
Caminhões: Carlos Salvini/Guido Salvini/Fernando Chwaigert


2004:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Guilherme Spinelli/Marcelo Vivolo
Caminhões: André Azevedo/Robson Pereira


2005:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Edu Piano/Rogério Almeida
Caminhões: Amable Barrasa/José Papacena/Domenico Montalbano
Quadris: Robert Nahas


2006:
Motos: Cyril Despres (França)
Carros: João Franciosi/Rafael Capoani
Caminhões: Amable Barrasa/José Papacena/Domenico Montalbano
Quadris: Carlo Collet Jr.


2007:
Motos: José Hélio
Carros: Maurício Neves/Clécio Maestrelli
Caminhões: Edu Piano/Sólon Mendes/Davi Fonseca
Quadris: Maurício Costa ‘Índio’


2008:
Motos: José Hélio
Carros: Giniel De Villiers/Dirk Von Zitzewitz (África do Sul/Alemanha)
Caminhões: Edu Piano/Sólon Mendes/Davi Fonseca
Quadris: Robert Nahas


2009:
Motos: José Hélio
Carrlos: Carlos Sainz/Lucas Cruz (Espanha)
Caminhões: Edu Piano/Sólon Mendes/Davi Fonseca
Quadris: Cristiano Sousa


2010:
Motos: Marc Coma (Espanha)
Carros: Guilherme Spinelli/Youssef Haddad
Caminhões: Marcos Cassol/Rodrigo Mello/Davi Fonseca
Quadris: Rafal Sonik (Polônia)


2011:
Motos: Cyril Despres (França)
Carros: Guilherme Spinelli/Youssef Haddad
Caminhões Leves: Edu Piano/Sólon Mendes/Davi Fonseca
Caminhões Pesados: Guido Salvini/Flávio Bisi/Ventania
Quadris: Tom Rosa


2012:

Motos: Felipe Zanol
Carros: Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret (França)
Caminhões Leves: Carlos Policarpo/Römulo Seccomandi/Davi Fonseca
Caminhões Pesados: Guido Salvini/Flávio Bisi/Fernando Chwaigert
Quadris: Marcelo Medeiros
UTVs: Bruno Sperancini/Thiago Vargas


2013:
Motos: Paulo Gonçalves (Portugal)
Carros: Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret (França)
Caminhões: Edu Piano/Sólon Mendes/Antônio Sales
Quadris: Robert Nahas
UTVs: Carlo Collet/Marcos Gouvea  


2014:
Motos: Marc Coma (Espanha)
Carros: Guilherme Spinelli/Youssef Haddad
Caminhões: Edu Piano/Sólon Mendes/Antônio Sales
Quadris: Robert Nahas
UTVs: Vinícius Mota/Rafael Shimuk


2015:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin
Quadris: Marcelo Medeiros
UTVs: Bruno Sperancini/Lourival Roldan


2016:
Motos: Gregório Caselani
Carros: Cristian Baumgart/Beco Andreotti
Quadris: Edgley Sobrinho
UTVs: Bruno Sperancini/Breno Rezende


2017:
Motos: Jean Azevedo
Carros: Cristian Baumgart/Beco Andreotti
Quadris: Diogo Zonato
UTVs: Bruno Varela/João Arena


2018:
Motos: Tunico Maciel
Carros: Cristian Baumgart/Beco Andreotti
Quadris: Wescley Dutra
UTVs: Enrico Amarante/Breno Rezende

2019:
Motos: Tunico Maciel
Carros: Lucas Moraes/Kaique Bentivoglio
Quadris: Marcelo Medeiros
UTVs: Denisio Nascimento/Idali Bosse

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect