Siga-nos

Ranking GP

As notas do GP da Emília-Romanha 2020

Ninguém esperava um GP da Emília-Romanha altamente movimentado em Ímola, mas a prova até que teve seus bons momentos no retorno ao traçado italiano após 14

Toda a equipe da Mercedes em Ímola comemora o hepta (Foto: Mercedes)

Apesar de rápida e desafiadora para os pilotos, Ímola é um daqueles traçados que acabou datado para a Fórmula 1 que se faz fenômeno da transmissão televisiva e do mundo do entretenimento. Para quem assiste, a emoção fica devendo, sobretudo pela falta de pontos de ultrapassagens. Mas o GP da Emília-Romanha teve seus erros e alguns momentos interessantes no último domingo.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Confira todas as edições da temporada 2020 do Ranking GP.

Entre estouro de pneu, erros incríveis e pit-stops dos piores já vistos, a maior nota do dia ficou mesmo com o vencedor da corrida. Lewis Hamilton largou em segundo e mal, caiu para terceiro e chegou até essa posição ameaçada. Mas controlou os pneus, definiu que queria alongar o stint, cortou os dois primeiros colocados – ainda que tenha tido ajuda do problema com Valtteri Bottas – e venceu com sobras. Agora, todas as etapas serão match-point do sétimo título.

Num fim de semana em que muita gente mereceu notas altas, as mais baixas ficaram mesmo com Alexander Albon e George Russell. O primeiro, além de não conseguir tirar muito de um carro forte, rodou sozinho na última relargada, saiu dos pontos e ainda culpou alguma batida fantasma. Já Russell, quando finalmente pontuaria, errou durante o safety-car e bateu.

As notas do Ranking GP são distribuídas por Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio.

Lewis Hamilton e Toto Wolff vibram com vitória e título (Foto: Mercedes)

1º) Lewis Hamilton – 8.5 – Mais uma vitória na conta de Hamilton, que tem um aproveitamento surreal de bom em 2020. O inglês foi superado por Bottas na classificação, mas fez um trabalho excelente na corrida, ainda que tenha largado mal e sido superado por Verstappen. Ritmo bem forte, estratégia certa e o inglês voltou dos boxes na frente de Bottas para não perder mais.

2º) Valtteri Bottas – 7.5 – Bottas foi muito, muito atrapalhado por um pedaço de asa que ficou preso em seu assoalho a corrida toda. Mesmo assim, errou além da conta e teria chegado em terceiro não fosse o estouro de pneu de Verstappen. Não foi exatamente culpado dessa vez e merece créditos pela bela pole que cravou no sábado.

3º) Daniel Ricciardo – 8.0 – Mais um pódio de Ricciardo em 2020, mais uma bela apresentação do australiano. A Renault não parecia ter o terceiro carro da etapa, Daniel não parecia ter ritmo para tanto e, mesmo assim, chegou lá. Destaque para as voltas finais, segurando os ataques de Kvyat, que tinha pneus novos.

Daniil Kvyat ficou com o quarto lugar em Ímola (Foto: AlphaTauri)

4º) Daniil Kvyat – 8.0 – A relargada de Kvyat no final da corrida foi uma das cenas do ano, hein? O russo limpou Sergio Pérez e Alexander Albon e partiu cheio de ação para se livrar de Charles Leclerc alguns metros depois. É verdade que o pódio era possível e não rolou, mas merece aplausos pelo bom final de semana e pelo excelente fim de prova.

5º) Charles Leclerc – 7.0 – Foi mais uma corrida bastante decente de Leclerc com a Ferrari, mas talvez a menos brilhante delas. O monegasco teve como ponto alto a defesa contra Pérez nas últimas voltas, quando o mexicano vinha com bastante ação de pneus novinhos.

6º) Sergio Pérez – 7.5 – Estamos considerando aqui que a culpa do pit-stop extra foi mesmo da Racing Point, que arrancou um pódio das mãos de Pérez e jogou no colo da Renault e de Ricciardo. O mexicano teve outra prova bem combativa e vinha se aproveitando bem do fato de ter largado de 11º, portanto, de pneus médios. Fez um primeiro stint muito bom para limpar seis carros na tática.

7º) Carlos Sainz – 7.0 – A McLaren não estava lá essas coisas em Ímola, mas sua dupla tratou de pontuar bem. Sainz foi um pouquinho melhor que Norris, mas a nota mais alta se deve basicamente ao show de reflexo que deu para fugir de Albon rodando metros e décimos de segundo na sua frente.

8º) Lando Norris – 6.5 – Foi um pouquinho melhor que Sainz na classificação, um pouquinho pior na corrida. No geral, saldo positivo pelas dificuldades que a equipe demonstrou ter de ritmo.

9º) Kimi Räikkönen – 8.0 – Corridaça! Kimi saiu do fundo do pelotão e foi escalando com um stint inicial gigantesco. E aí deu um azar surreal: era quarto quando veio o safety-car de Verstappen, ou seja, tivesse parado poucos minutos depois e tinha chance até de tentar o pódio. Surreal para a realidade da Alfa Romeo. Pelo menos pontuou.

10º) Antonio Giovinazzi – 7.0 – Sair de último para a zona de pontos é algo grande, hein? E Giovinazzi também merece muitos aplausos por mais uma grande largada! Foi parar em 14º depois de uma volta e, sinceramente, é algo que ele faz bem mesmo: largar. Especialista!

Sebastian Vettel sofreu nas mãos da Ferrari (Foto: Ferrari)

11º) Nicholas Latifi – 6.5 – Mais um que alongou bastante o primeiro stint, Latifi chegou a andar em sexto, mas naturalmente foi caindo quando precisou parar. Terminou perto dos pontos de novo, até que é mais do que se esperava dele.

12º) Sebastian Vettel – 6.5 – Apesar de mais uma classificação péssima caindo no Q2 e de ter batido em Magnussen na largada, Vettel vinha se recuperando e muito bem. Estava na frente de Kimi também alongando bastante o primeiro stint e tinha chances reais de bons pontos. Aí a Ferrari resolveu se enroscar em três dos quatro pneus no pit-stop.

13º) Lance Stroll – 3.5 – Stroll simplesmente não conseguiu pontuar desde o pódio na Itália e isso com uma Racing Point. Nem precisaria de mais motivos para a nota baixa, mas ele está com problemas até em classificação, não tira tudo que tem do equipamento, não é especialista em poupar pneus, enfim, está bem ruim.

14º) Romain Grosjean – 5.0 – Não foi exatamente bom, mas também não foi propriamente ruim. Grosjean simplesmente chegou na posição natural para o que o carro tinha a oferecer.

15º) Alexander Albon – 2.5 – Está sendo muito repetitivo falar de Albon nas últimas corridas, mas o tailandês parece ter entrado em um momento em que nada mais vai dar certo. Fazia outra corrida bem mediana até rodar sozinho e jogar fora o que seria ao menos um sétimo lugar. É claro que já teria sido ruim, mas 15º é bem pior.

Kevin Magnussen rodou na largada e abandonou antes do fim (Foto: Haas)

NC) George Russell – 2.5 – Aí não tem como te defender, Russell. A gente já falava aqui de outras corridas em que dava para o inglês ter pontuado e ele deixou a chance escapar, mas em Ímola foi bem pior. Era certeza de pontos até que perdeu o carro e bateu. Durante o safety-car. Nem mais uma bela classificação salva sua nota na Emília-Romanha.

NC) Max Verstappen – 7.5 – Uma pena o que aconteceu com Max, viu? O pneu estourado fez um segundo lugar que seria conquistado na marra ir embora. Classificação briosa mesmo com problema na vela, ótima largada e o ritmo também era bom. Realmente uma pena.

NC) Kevin Magnussen – 4.0 – Abandonou com fortes dores de cabeça, mas antes disso já estava pior que Grosjean, no geral. Tomou também uma paulada de Vettel que complicou as coisas.

NC) Esteban Ocon – 5.0 – Dessa vez não foi um abandono que fez Ocon perder muitos pontos, mas foi mais um abandono. A Renault segue pouco confiável e ele meio que atraindo todos os problemas. Fora isso, estava de novo bem atrás de Ricciardo.

NC) Pierre Gasly – 7.0 – A nota até foi baixa pelo que poderia ter sido a corrida de Gasly. Classificando-se numa inacreditável quarta colocação, o francês nem largou mal, mas acabou tendo a porta fechada por Hamilton e caindo para quinto, atrás de Ricciardo. Vinha mais rápido que o australiano quando o motor abriu o bico, ainda no início da prova. Era uma boa chance de pódio de novo.

Fila puxada por Daniel Ricciardo no GP da Emília-Romanha (Foto: Renault)

GP da Emília-Romanha – 6.0 – A prova em Ímola teve largada animada, como esperado por conta da longa distância percorrida até a curva um. O toque entre Vettel e Magnussen, por exemplo, teve importante papel na corrida: um pedaço quebrado da Ferrari grudou no assoalho da Mercedes de Bottas e impediu a vitória. Após Hamilton acertar o que precisava para vencer, a sequência de problemas no fim – estouro de pneu de Verstappen e batida de Russell – rendeu decisões estratégicas distintas para definir o pódio. Ricciardo foi quem se deu melhor, com Kvyat batendo na trave. Uma corrida digna.

Melhor GP – GP da Itália – 9.5
Pior GP – GPs da Espanha e Bélgica – 4.0
Média – 6.5

Média do ano após GP da Emília-Romanha

1°) Lewis Hamilton – 8.5
2°) Max Verstappen – 7.5
3°) Nico Hülkenberg – 7.3
3°) Pierre Gasly – 7.3
5°) Daniel Ricciardo – 7.0
6°) Sergio Pérez – 6.9
7°) Valtteri Bottas – 6.7
8°) Lando Norris – 6.5
9°) Charles Leclerc – 6.3
9°) Estevan Ocon – 6.3
9°) Carlos Sainz Jr. – 6.3
12°) Daniil Kvyat – 5.9
13°) Kimi Räikkönen – 5.6
14°) Lance Stroll – 5.4
15°) Alexander Albon – 5.2
15°) Romain Grosjean – 5.2
17°) Sebastian Vettel – 5.0
18°) Antonio Giovinazzi – 4.9
19°) Kevin Magnussen – 4.8
19°) George Russell – 4.8
21°) Nicholas Latifi – 4.7

*Com Gabriel Curty e Vitor Fazio

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect