Siga-nos

Ranking GP

As notas do GP dos 70 Anos

Nada de esperar até o final se apegando num fio de esperança de que haverá emoção: o GP dos 70 Anos sobrou em relação à corrida de sete dias antes

Verstappen e Hamilton no pódio (Foto: AFP)

Após uma prova praticamente inteira modorrenta e com três voltas finais salvadoras na semana anterior, Silverstone rendeu a melhor corrida do ano até agora no Mundial de Fórmula 1. Num dia de calor e com pneus se acabando, Max Verstappen tirou o 100% de aproveitamento da Mercedes e ficou com a maior nota do dia.

Verstappen soube conter os pneus e dosar o ritmo para superar a dupla da Mercedes e, claro, com a preciosa e certeira estratégia que a Red Bull tira da cartola e com a qual nos brinda de tempos em tempos.

Já a pior nota da corrida de aniversário coube a Kevin Magnussen, que teve dificuldades desde o sábado e ainda aprontou uma das suas para cima de Nicholas Latifi.

As notas do Ranking GP são distribuídas por Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio.

Max Verstappen venceu o GP dos 70 Anos (Foto: AFP)

1°) Max Verstappen – 10 – Aqui temos uma nota coletiva. É um dez, mas não é um dez só para Verstappen, mas também para a Red Bull. Que trabalho absolutamente impecável que fizeram todos desde o Q2 da classificação. A ousadia na tática, o acerto na hora de anular as tentativas da Mercedes e a performance do holandês deram o tom da grande vitória de um time em 2020. Verstappen merece o 10 pelo ritmo, pela largada, pela ultrapassagem rápida em Bottas e, claro, por ter feito um tremendo Q2 de pneus duros. Show!

2°) Lewis Hamilton – 7.0 – Longe, bem longe da performance que teve no GP da Inglaterra. Mas, mesmo assim, Hamilton teve seus bons momentos ao lidar com pneus muito desgastados e, de fato, foi quem mais ameaçou a vitória de Verstappen. Manteve os 30 pontos de vantagem no campeonato e a liderança no nosso Ranking.

3°) Valtteri Bottas – 7.0 – Bateu Hamilton na classificação, segurou a dianteira na largada, mas sua boa exibição acabou ali. Foi facilmente superado por Verstappen e, também por uma tática que deu errado da Mercedes, virou alvo fácil na frente de Hamilton. Saiu no prejuízo.

Nico Hülkenberg enfim correu em 2020 (Foto: Racing Point)

4°) Charles Leclerc – 9.0 – Corridaça! Está complicado avaliar a temporada de Leclerc, né? Um erro grotesco na Estíria tirou os dois carros da Ferrari na largada, enquanto que na Hungria foi vez de um ritmo péssimo e longe do de Vettel. Só que, quando foi bem, Charles foi espetacular. Os pódios na Áustria e na Inglaterra se somam a um belíssimo quarto lugar no GP dos 70 Anos e, agora, sem nem rolar safety-car. Atuação de gala com uma Ferrari péssima.

5°) Alexander Albon – 7.0 – A corrida de Albon foi boa, sim: muitas ultrapassagens, ritmo feroz ali nas últimas voltas, manobras bonitas. Mas, de novo: não dá para se classificar tão mal. Albon perde de 2×3 em posições de largada para Pierre Gasly, por exemplo, que corre de AlphaTauri. Precisa começar a classificar melhor para acompanhar o pessoal da frente, por mais que seja muito divertido ver alguém jantando todo mundo no meio do pelotão.

6°) Lance Stroll – 6.5 – O GP dos 70 Anos foi meio chato para Stroll, né? O filho do dono da equipe tomou tempo de maneira consistente de um piloto que, por mais que seja ótimo, tava sem qualquer ritmo e fora de forma. O sexto lugar nem é ruim, mas poderia ter sido melhor.

7º) Nico Hülkenberg – 8.0 – Sentar num F1 depois de 9 meses e andar bem não é para qualquer um. Hülk deixa o GP dos 70 Anos cheio de dores, mas com a certeza de que impressionou. Merece ser titular na categoria e só ficou atrás de Stroll por um pit-stop feito no final.

8°) Esteban Ocon – 7.5 – Baita corrida! Ocon foi discreto durante a prova e a ideia era justamente essa. Fez um trabalho incrível cuidando dos pneus e um stint gigante de compostos médios. Segurou um pelotão furioso durante boa parte da prova, pontuou bem e colou em Daniel Ricciardo no Mundial de Pilotos.

9°) Lando Norris – 5.5 – Corrida não mais que mediana do bom jovem inglês. Ele garante que a McLaren não poderia fazer mais, mas nós também cravamos que ao menos na frente de Ocon ele poderia ter chegado, já que tinha pneus em estado melhor em quase toda a prova.

10º) Daniil Kvyat – 7.5 – É uma pena que Kvyat tenha furado o pneu no GP da Inglaterra, porque ele realmente estava inspirado em Silverstone. Fez uma bela corrida no GP dos 70 Anos, foi combativo, foi rápido, cuidou dos pneus até certo ponto, só ficou sem no final.

Sebatian Vettel roda na largada do GP dos 70 Anos (Foto: AFP)

11º) Pierre Gasly – 6.5 – Gasly não conseguiu repetir o desempenho do GP da Inglaterra e acabou fora dos pontos. Foi vítima de um desgaste impressionante dos pneus, acabou parando muito cedo e andou um pouco para trás. Quase chegou em Kvyat no final, mas não deu. Fica o registro para a excelente classificação, em sétimo.

12°) Sebastian Vettel – 2.5 – O que acontece com Vettel? O alemão parece estar brigando com o carro o tempo inteiro e as performances, em geral, estão tenebrosas. No GP dos 70 Anos, uma classificação tenebrosa e uma largada pior ainda com uma rodada deram o tom em um bastante discreto 12º lugar.

13°) Carlos Sainz Jr. – 4.5 – Mais uma vez, a McLaren acabou com a corrida de Sainz nos boxes, mas dessa vez o espanhol também merece críticas. Tudo bem, poderia ter brigado com Norris, mas a classificação foi terrível de novo. Precisa voltar ao Q3.

14°) Daniel Ricciardo – 5.0 – Daniel fez uma tremenda classificação, mas não foi bem na corrida. Estava ali brigando com Ocon quando, como Vettel, deu aquela rodada sozinho ao tentar se defender de Sainz. Acabou com qualquer chance que tinha ali.

15°) Kimi Räikkönen – 5.0 – Kimi fez sua melhor corrida em 2020. O finlandês foi o melhor do grupo das três piores equipes do grid e conseguiu ser combativo, fez jogo duro para Gasly e Albon, andou de forma decente.
16°) Romain Grosjean – 5.0 – Grosjean precisa largar melhor, mas não tem sido um desastre. Teve um ritmo de corrida mediano e fez uma grande classificação, colocando o péssimo carro da Haas no Q2.

Kevin Magnussen teve dias difíceis em Silverstone (Foto: Haas)

17°) Antonio Giovinazzi – 3.5 – Não foi nada bem, mas praticamente nem apareceu, né? Acho que só vimos Giovinazzi na corrida tomando um passão do Albon. Na classificação, mais uma vez, sofreu com a Alfa Romeo.

18°) George Russell – 4.0 – Russell simplesmente não consegue unir boa classificação a uma boa corrida, tem sido ou uma coisa ou a outra. Teve chances até de Q3, não rolou, mas sofreu bem na prova, largando mal e andando atrás de Nicholas Latifi por um tempo considerável.

19°) Nicholas Latifi – 4.0 – Chegar em último nunca é bom, mas Latifi teve uma evolução. O canadense acabou a corrida coladinho em Russell e ainda teve de superar uma batida do nada que levou de Kevin Magnussen.

NC) Kevin Magnussen – 2.0 – Uma péssima classificação, uma ótima largada, mas uma barbeirada daquelas! Magnussen foi bastante sem noção na disputa com Latifi, voltou de fora com tudo e quase encheu a lateral do novato. Precisa se conter.

Largada do GP dos 70 Anos (Foto: AFP)

GP dos 70 Anos – 8.5 – Silverstone pagou a dívida que deixara uma semana antes durante praticamente toda a prova. O GP dos 70 Anos foi tudo aquilo que gostamos na F1: estratégia, inesperado, grandes pilotagens, tremendas barbeiragens, ultrapassagens e resultado final surpreendente.

Melhores GPs – GP da Áustria e GP dos 70 Anos – 8.5
Pior GP – GP da Hungria – 5.5
Média da temporada – 7.1

1°) Lewis Hamilton – 8.6
2°) Max Verstappen – 8.0
3°) Nico Hülkenberg – 7.0
4°) Lando Norris – 6.9
4°) Pierre Gasly – 6.9
6°) Valtteri Bottas – 6.8
7°) Alexander Albon – 6.7
8°) Daniel Ricciardo 6.5
8°) Sergio Pérez – 6.5
10°) Carlos Sainz Jr. – 6.3
10°) Esteban Ocon – 6.3
12°) Charles Leclerc – 6.2
13°) Daniil Kvyat – 6.0
14°) Lance Stroll – 5.9
15°) George Russell – 5.4
16°) Romain Grosjean – 5.3
17°) Kevin Magnussen – 5.1
18°) Sebastian Vettel – 4.8
19°) Antonio Giovinazzi – 4.5
20°) Kimi Räikkönen – 4.4
21°) Nicholas Latifi – 4.2

*Com Gabriel Curty e Vitor Fazio

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect