As notas do GP do México de 2018

Em outro ano que teve dificuldade no México, Lewis Hamilton ficou fora do pódio e mesmo assim conquistou o Mundial de F1. Assim como em 2017, Max Verstappen venceu de forma categórica, mas a história do dia foi o novo pentacampeão

Gabriel Curty, de São Paulo,
Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro &
Vitor Fazio, de Berlim

Não foi das melhores corridas do ano, mas o GP do México vai ficar para sempre na história por ter consagrado Lewis Hamilton pentacampeão. Além disso, a corrida no Hermanos Rodríguez representou uma rara vitória para a Red Bull com Max Verstappen, além de uma dobradinha da equipe no grid de largada.

A nota mais alta da corrida foi, com folgas, para Verstappen, que teve atuação de gala. Sebastian Vettel, apesar de perder o título, também fez boa prova e passou longe dos erros que o perseguiam, enquanto Ricciardo foi bem avaliado apesar de mais um abandono por quebra.

Por outro lado, Romain Grosjean, Kevin Magnussen e Brandon Hartley tiveram dias muito ruins e ficaram na parte final da tabela de notas mexicana.

As notas do Ranking GP são calculadas através de avaliações de Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio, do GRANDE PREMIUM.

Max Verstappen
Red Bull Content Pool

1º) Max Verstappen – 9.5 – Em fase espetacular, estava quase que na cara que Verstappen sairia vencedor do GP do México. Em uma pista bem favorável para a Red Bull por conta da altitude, Max brilhou desde os treinos e, mesmo perdendo a pole para o companheiro Ricciardo, largou bem e controlou a corrida em grande exibição.

2º) Sebastian Vettel – 8.0 – Vettel não cometeu nenhum grande erro e é essa que precisa ser a manchete. O alemão finalmente entrou nos trilhos, ainda que tenha sido bem tarde, já que o título já foi perdido. Pelo menos chegou em segundo, um resultado bem positivo em uma pista que equilibrou Ferrari e Mercedes.

3º) Kimi Räikkönen – 7.0 – Lembram daquela fase meio apagadinha do Kimi em que, mesmo assim, ele ia ao pódio? Foi um pouco disso que rolou no México. Contou com a Mercedes sofrendo muito com os pneus, quebra do Ricciardo e foi terceiro ao natural.

O abraço de Hamilton e Vettel
Mercedes

4º) Lewis Hamilton – 7.0 – Certamente não era desta forma que Hamilton queria levantar o quinto caneco, mas fica o destaque para a largada espetacular em que quase superou as duas Red Bull. Errou ao tentar se defender de Vettel no fim, mas ficou tranquilo com o quarto lugar e o título.

5º) Valtteri Bottas – 5.0 – Bottas cometeu o mesmo erro que Hamilton, também se defendendo de uma Ferrari e também ficando sem pneus, mas tem o agravante de ter andado sempre no fundo do pelotão da frente. Vive péssimo momento.

6º) Nico Hülkenberg – 7.5 – Hülk venceu mais uma corrida na F1 B e, na verdade, encaminhou bem essa espécie de título da segunda divisão da categoria. O alemão teve mais um final de semana bem seguro e sobrou contra os rivais, só sendo de fato ameaçado por Sainz, que teve uma quebra.

7º) Charles Leclerc – 7.5 – Boa fase é a que vive Leclerc. Em uma Sauber que está cada dia mais competitiva, o monegasco segue subindo no pelotão intermediário e, no México, foi a quinta força do grid. Leclerc aproveitou e pegou mais seis ótimos pontos.

8º) Stoffel Vandoorne – 7.5 – Atenção: Vandoorne recebeu uma nota acima da média. É isso mesmo, o belga voltou a ter uma boa atuação depois de muito tempo, conseguiu bons quatro pontos e ficou perto de deixar o Z4 do Ranking GP. Ainda há tempo?

9º) Marcus Ericsson – 6.5 – Ericsson segue naquela linha de, quanto mais perto de sair da F1, melhor fica. Talvez menos pressionado, o sueco vive seu melhor momento em anos e continua bem competitivo e até próximo de Leclerc. 

10º) Pierre Gasly – 7.5 – Que corridão fez o Gasly, hein? Saindo de último, o francês ainda superou um problema na largada e foi escalando o pelotão até chegar ao décimo lugar, com um desempenho realmente bem forte. Tem futuro.

Pierre Gasly e Stoffel Vandoorne
Red Bull Content Pool

11º) Esteban Ocon – 6.0 – O francês não chegou a ser culpado por isso, mas ele mesmo admitiu que teve a "pior corrida da vida". Tudo deu errado, desde um acidente na largada até paradas antes da hora e um toque recebido já na reta final da prova. Pontuaria até bem em condições normais.

12º) Brendon Hartley – 4.5 – Acho que a boa fase de Hartley já era, né? Uma corrida bem ruim no México em que se envolveu em batidas e terminando duas posições do companheiro que largou sete atrás não pode ser considerada nem mediana, né? Faltou bastante.

13º) Sergey Sirotkin – 5.0 – Sirotkin sofreu bastante com uma Williams que voltou a ter um desempenho péssimo, mas conseguiu superar Stroll. É basicamente tudo que está dando para falar desse carro e dessa dupla.

14º) Lance Stroll – 4.5 – Aí tem o Stroll que sofreu bastante com a mesma Williams e, por sua vez, perdeu o confronto direto para Sirotkin. Não sabemos como um dia o time de Grove vai voltar a pontuar.

15º) Kevin Magnussen – 4.5 – Que a Haas é péssima no México a gente já sabia, mas os americanos capricharam com um carro tenebroso. Perderam da Williams, acho que é o melhor resumo possível.

16º) Romain Grosjean – 4.0 – Grosjean foi ainda pior que Magnussen e por isso recebeu a pior nota da etapa, mas a diferença nem foi tão grande assim, bem como a relevância da participação dos dois no Hermanos Rodríguez.

Fernando Alonso novamente não teve muito o que fazer
McLaren


NC – Daniel Ricciardo – 8.0 – Uma pole que veio do nada, um abandono que seguiu uma linha já bem conhecida recentemente por Ricciardo. Mais uma quebra, mais uma frustração, mais um pódio perdido. Desta vez, porém, vale destacar a "largada nojenta", como ele mesmo classificou.

NC – Sergio Pérez – 6.0 – Um problema no freio jogou fora a chance que Pérez tinha de brigar por bons pontos, talvez até um sétimo lugar. O mexicano se recuperou de mais uma classificação ruim e, como sempre, parecia na estratégia certa. Levantou bastante a torcida.

NC – Carlos Sainz Jr. – 6.5 – Sainz tinha tudo para até brigar com Hülk pela sexta colocação, mas uma quebra estranha acabou com seu dia. Fica o destaque para uma classificação boa e uma largada, mais uma vez, superior em relação a do companheiro.

NC – Fernando Alonso – 5.0 – Mais uma corrida em que é basicamente impossível dar nota para Alonso. Mais uma corrida em que o espanhol classifica meio que no limite do carro e já deixa a disputa na largada envolvido - indiretamente - num incidente.

GP do México - 6.0

Nem uma corrida tão ruim como as últimas na Europa e Ásia, nem tão boa quanto nos Estados Unidos. O GP do México mostrou uma Red Bull dominante que, não fosse mais um abandono, tinha tudo para cravar uma dobradinha. Max Verstappen venceu no Hermanos Rodríguez pelo segundo ano seguido, e novamente a história preferiu se voltar para o campeão. Lewis Hamilton, em quarto, fez muito mais que o necessário para sublinhar seu nome no livro de história da F1.

Melhor GP: 9.5 (Azerbaijão)

Pior GP: 3.0 (Canadá, Bélgica e Singapura)

Média: 6.3

1º) Lewis Hamilton - 8.1
2º) Sebastian Vettel - 7.0
3º) Kimi Räikkönen - 6.8
4º) Max Verstappen - 6.7
5º) Valtteri Bottas - 6.5
5º) Daniel Ricciardo - 6.5
7º) Fernando Alonso - 6.3
7º) Esteban Ocon - 6.3
7º) Charles Leclerc - 6.3
10º) Nico Hülkenberg - 6.2
11º) Pierre Gasly - 6.1
12º) Sergio Pérez - 5.9
12º) Kevin Magnussen - 5.9
14º) Carlos Sainz Jr. - 5.8
15º) Romain Grosjean - 5.7
16º) Marcus Ericsson - 5.4
17º) Stoffel Vandoorne - 5.2
18º) Brendon Hartley - 4.6
19º) Lance Stroll - 4.4
20º) Sergey Sirotkin - 4.3