Siga-nos

Ranking GP

As notas do GP do México de 2019

O GP do México não foi exatamente uma corrida memorável, mas funcionou como um trampolim para a decisão do hexa de Lewis Hamilton. Dificilmente vai passar do match-point #2

O GP do México costuma ser mais divertido do que foi em 2019, uma prova que acabou sendo mesmo ancorada por mais uma atuação totalmente marcante de Lewis Hamilton, que tentava selar o título. Não conseguiu, mas a demonstração de velocidade e controle deu aos fãs mexicanos um daqueles dias de resistência do melhor piloto de sua geração. 

Entre os pilotos que foram competitivos durante a prova, a nota mais baixa cabe a Daniil Kvyat. O motivo é a batida horrorosa que causou no fim da prova e atrapalhou Nico Hülkenberg.

As notas do RANKING GP são calculadas de acordo com avaliações dos jornalistas Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio.

Lewis Hamilton (Lewis Hamilton (Foto: AFP))

1º) Lewis Hamilton – 8.0 – Ele fez de novo. Hamilton segurou 50 voltas com o mesmo jogo de pneus e passou metade da corrida segurando Vettel e seu pneu mais novo. Uma vitória daquelas marcantes, em pista onde a Mercedes não tinha o melhor carro e para quase sacramentar o título.

2º) Sebastian Vettel – 7.0 – O alemão está guiando bem novamente, mas é difícil perceber quando Hamilton está em modo full monstro. É claro que o tetracampeão devia ter ultrapassado o rival e ganhado a corrida, por isso a nota fica meramente mediana, mas o fim de semana de Seb foi forte.

3º) Valtteri Bottas – 6.5 – A batida do sábado foi grotesca e empurra a nota para baixo, mas o finlandês fez uma boa corrida, foi agressivo e mostrou alguma força. Ei, ele ainda pode ser campeão (eu sei, eu sei).

Leclerc e Vettel (Charles Leclerc e Sebastian Vettel (Foto: Ferrari))

4º) Charles Leclerc – 6.0 – Leclerc teve um fim de semana mais calmo no México e praticamente deu adeus à briga pelo vice-campeonato, uma vez que Bottas largou bem atrás depois de bater na classificação e terminou na frente. Vettel já está na cola. 

5º) Alexander Albon – 7.0 – Desde que chegou à Red Bull, Albon marcou mais pontos que Verstappen. Não que o rendimento dele tenha sido melhor, na verdade, o holandês tem tido muitos problemas e cometido erros, mas a consistência importa. Renova logo, Marko!

6º) Max Verstappen – 6.0 – Devia ter sido o pole e devia ter ficado na briga pelas primeiras colocações e em posição de ganhar a corrida, mas ter desrespeitado a bandeira amarela após a batida de Bottas no sábado e a confusão com Hamilton no domingo jogaram Max para longe. O sexto lugar foi o que deu. 

7º) Sergio Pérez – 8.0 – Em casa, o mexicano novamente não foi ao Q3 no sábado, mas conseguiu subir a ladeira das posições no domingo e anotar mais quatro pontos: ele tem mais pontos no campeonato que todos os outros pilotos que não guiaram por uma das três equipes do grid em 2019 ou se chamam Carlos Sainz.

8º) Daniel Ricciardo – 7.5 – Assim como Pérez, Ricciardo voltou a recuperar na corrida um desempenho ruim da classificação. Mais alguns pontos para a conta do australiano após a desclassificação tardia no Japão.

9º) Pierre Gasly – 7.0 – Gasly segue pontuando bem e rendendo ainda melhor desde que voltou para a Toro Rosso, ainda que desta vez tenha sido facilitado pelo acidente que será comentado na sequência.

10º) Nico Hülkenberg – 7.0 – Apesar dos pesares, Hülkenberg ainda conseguiu anotar um ponto no sábado. O que é impressionante visto a pancada que tomou de Kvyat na última volta.

Daniil Kvyat (Daniil Kvyat (Foto: Red Bull Content Pool/Getty Images))

11º) Daniil Kvyat – 3.5 – Ainda bem que o russo foi punido, porque ele terminar com um ponto e na frente de Hülkenberg após  a barbeiragem que fez no fim da prova mexicana seria um caso de fazer perder a fé de que há justiça no mundo. Não que haja justiça, mas pelo menos é reconfortante acreditar nisso às vezes.

12º) Lance Stroll – 5.0 – Um classificador abaixo da crítica num carro que classifica mal, Stroll conseguiu escalar posições de gente com bólidos em piores condições e chegou no 12º lugar, mas sem impressionar. O ponto positivo foi esticar o stint inicial dele e render relativamente bem com pneus gastos.

13º) Carlos Sainz – 5.0 – A McLaren viveu um dia ruim no México. Se não fez com Sainz a bobagem que fez com Norris, também viu o carro minguar de rendimento após um começo promissor. 

14º) Antonio Giovinazzi – 4.5 – O italiano foi até o final, enquanto Räikkönen não conseguiu. Numa Alfa Romeo que faz péssima segunda metade da temporada, é o que resta pedir. 

15º) Kevin Magnussen – 4.5 – E a Haas? Sem possibilidade de despejar o motor Ferrari, o conjunto norte-americano deixa muito a desejar. Em ritmo de Williams, Magnussen ainda foi o melhor da dupla.

Robert Kubica (Robert Kubica (Foto: AFP))

16º) George Russell – 4.5 – O novato superou Kubica quando os dois se pegaram na pista e ainda deu um corre na Haas. Bom, não?

17º) Romain Grosjean – 3.0 – Que dia e que ano. Grosjean simplesmente não teve respostas para o ritmo abismal da Haas e teve de se contentar em andar sem qualquer tipo de competitividade.

18º) Robert Kubica – 4.0 – É o fim, não tem mais jeito. Acabou, boa sorte. Não tem o que dizer, são só palavras, e o que sentes não mudará.

NC) Kimi Räikkönen – 4.5 – Um superaquecimento acabou com o dia de Räikkönen, que também não era muito promissor para começo de conversa. 

NC) Lando Norris – 5.5 – Norris precisa de uma palavra de conforto após ter a corrida ceifada por um erro tosco: a McLaren não prendeu bem o pneu dianteiro esquerdo e custou o dia do novato.

GP do Japão: 5.5

Melhor GP: GP da Alemanha (10.0)

Pior GP: GP da França (1.0)

Média: 6.8

A tensão para saber se Hamilton conseguiria ou não segurar os pneus ultra gastos foi a animação da prova. Não foi uma das piores provas do ano, mas vai passar esquecida.
(Largada do GP do México (Foto: AFP))

Confira a média dos pilotos após o GP do México:

1º) Lewis Hamilton – 7.7
2º) Max Verstappen – 7.5
3º) Carlos Sainz Jr. – 6.7
4º) Charles Leclerc – 6.6
4º) Alexander Albon – 6.6
6º) Valtteri Bottas – 6.5
7º) Nico Hülkenberg – 6.4
8º) Sebastian Vettel – 6.3
8º) Lando Norris – 6.3
10º) Sergio Pérez – 6.2
11º) Daniel Ricciardo – 6.0
12º) Daniil Kvyat – 5.8
13º) Pierre Gasly – 5.7
14º) Kimi Räikkönen – 5.6
15º) George Russell – 5.4
15º) Lance Stroll – 5.4
17º) Romain Grosjean – 4.9
18º) Antonio Giovinazzi – 4.8
18º) Kevin Magnussen – 4.8
20º) Robert Kubica – 4.2

© 1995 - 2020 - GrandePremio.com.br - Todos os direitos Reservados.

Connect